Pratinho de Couratos

A espantosa vida quotidiana no Portugal moderno!

sábado, outubro 10, 2009

Anedotizar

Anos, a rosário, a acaudatar a Europa, trouxeram fartura de comédia. Finalmente, Portugal canela para a dianteira dos países com uma nacionalíssima trademark, o “ria português”, registrada pelo mais alto baú registrador da nação. Nenhum politólogo adivinhou o dom farsola do Presidente da República que, na qualidade de comandante supremo, apontou a senda, adegando divisas. Cavaco Silva norteia: faça você mesmo a pilhéria, e recuse estrangeirices, que nos levam os vouchers do FMI, como: “
The Goodies”; “At Last, the 1948 Show”; “Heil Honey I’m Home” (parte2 / parte3); o direito ao contraditório porno do “Não” (“Not The Cosby Show” é “o pai de todas as comédias porno”); “That ‘70s Show”; momentos imperecíveis; ancestrais lutas de comida; mamilos vivace; vagina molto allegro; loiras cientistas de foguetões; ou as profanidades de Charlie Brooker.
.
Arqueólogos escavaram a
anedota mais velha do mundo, datada de 1900 A. C., na Suméria: “algo nunca ocorrido desde tempos imemoriais… uma jovem não se peida no colo do marido”. Os sumérios caíam do berço da civilização a rir. Rodando a nora do humor, Cavaco Silva, somente revelado como um traga-balas, um chamborgas da luta política, reuniu os assessores mais chistosos, para não bufarinhar um lugar comum, causando um sensação de já ouvido, como nas canções. Quis a buena-dicha que um assessor entabulasse parabólico diálogo e, assim chocarreou o Presidente, para uma plateia de jornalistas: “bem, foi então que o assessor me disse: ‘bem, só há uma hipótese, é o senhor falar, falar, mas não dizer nada. É uma táctica que se recorre em situações difíceis’. Eu disse: ‘bem, isso não me parece mal, principalmente neste tempo eleitoral que nós vivemos’. Mas depois pensei melhor e disse: ‘sabe, isso não é o meu hábito. Não é o meu hábito de falar sem dizer nada. Isso é capaz de não correr bem. Eu não sou capaz’. Mas ele olhou para mim e disse: ‘yes you can, yes you can’”. Os jornalistas riram a laptops despregados.
.
Na política, cada um escalfa os seus talentos, sempre na defesa dos superiores interesses do país. O primeiro-ministro canadiano
toca piano e canta. Em Cavaco Silva reconhecem-lhe competência, grande competência numismática. Ele é um poço de sabedoria sobre boa e má moeda. E, instalando uma central de comédia no Palácio de Belém, para desfranzir a testa popular e broxar o país de alegres cores, beneficiará de uma transferência de saberes, garantindo apenas “belas”. O seu elóquio sobre a vigilância, exercida pelo Governo, nas suas coisinhas, “histericou” os analisadores. Goelaram como se o Presidente soltasse moscas que arrabavam o povo, como se Belém fosse rilhafolesco. Outros, não perceberam népia, e sugeriram um tradutor wookiee para interpretar o discurso. (Cavaco Silva em wookiee é “Oarahoraoaoo Cahanhora”, a língua de Chewbacca, o hirsuto co-piloto com 200 anos, de Han Solo, na “Guerra das Estrelas”. Criado por George Lucas, depois de ver o seu Bouvier des Flandres, no lugar do pendura).
.
Porém, a palavras presidenciais encaixam no tom chalaceador do momento. Afinal, não houve um assessor intrigando nos jornais, mas um homem, nu, na
posição petrificada por Rodin, interrogando-se. Elucida Oarahoraoaoo Cahanhora: “… as interrogações atribuídas a um membro da minha Casa Civil, de que não tive conhecimento prévio, e de que tenho algumas dúvidas, quanto aos termos exactos em que possam ter sido produzidas. Mas onde é que está o crime de alguém, a título pessoal, se interrogar sobre a razão das declarações políticas de outrem?”.
.
O direito à interrogação também é exercido por Cavaco Silva: “estará a informação confidencial contida nos computadores da Presidência da República suficientemente protegida?”. Chamou o gajo da segurança e: “fiquei a saber que existem vulnerabilidades e pedi que se estudasse a forma de as reduzir”. As recomendações do gajo da segurança são obviamente… secretas. Talvez incluam um
cursor teta e um rato chocolate. Há uma certeza, aqueles intencionados em emburricar o nosso Presidente, efundir-lhe vírus no computador, vão encalhar num sistema blindado contra hackers, russos ou chineses. Em Belém, nunca serão ultrapassados os limites do tolerável e da decência, nunca espreitarão o Presidente sentado na privada a ler os jornais.
.
O maior inimigo dos segredos de Estado é… o porno. O porno é unipessoal tal como a Presidência da República. Mas se o Presidente, o chefe da sua Casa Civil, ou o chefe da sua Casa Militar, clicarem à parva, nos resultados do seu
spezify, lá vem trojan a bombar para o adversário, e os segredos voejam do e-mail e da reciclagem. O alerta presidencial não caiu em monitor roto. Os altos dirigentes do Estado requalificam-se, com cursos de informática para navegação segura, que lhes concederá a liberdade governativa. Assim, contornarão instalações de malware escondidas no famoso vídeo de Erin Andrews, (apresentadora americana de desporto BOA, isto é, boa profissional e boa pessoa, que apetece dar banho, quando enlameada), filmada nua, num quarto de hotel, através do visor da porta.
.
E apreciarão as vedetas da net: Paris Hilton, uma actriz que exibiu o seu método, no óscarizado filme “
One Night in Paris”; Ariel Rebel, modelo canadiana, situada na net, de loooonga carreira na fotografia e no vídeo, a solo, ou no chão, ou com uma amiga do coração e já com o seu best of no portfólio; Liz Vicious, modelo punk, artista, gabada nos blogs, com vlog, Facebook e obra cinematográfica, contracenando com as meritórias actrizes Ava Knight e Trisha Uptown. Ou, os altos dirigentes da nação vestirão a bandeira e apoiarão a nossa portuguesa no YouStrip.
.
A agnosia de Cavaco Silva, “só sei que nada sei”, das andanças do assessor, de informática, de e-mails, de economia, de poda, graças a Nossa Senhora de Fátima que não sabe o que é o Twitter ou, ainda o ouviríamos num
rap, quando cancelasse a sua conta, como Miley Cyrus.
.
[
Sean Lennon – nascido a 9 de Outubro de 1975 é um dos gaiatos Beatles. O grupo abastecedor de canções para Os Marretas e marinheiros, e que a sua editora discográfica marcializa como o negócio dos mil anos, no final da década de 60, sofria um golpe de estado de Paul McCartney pelo controlo do poder, e John Lennon moscou-se com Yoko Ono, (a artista, o bode expiatório dos fãs e com, pelo menos, um fim-de-semana estragado, enquanto John papava uma gaja no quarto ao lado). Do bed-in manou Sean. O bem amado filho, pelo qual Lennon enfiou o avental de dona de casa, e Yoko, as calças do sustento do lar, até que Mark David Chapman lhe enfiou cinco balázios, no dia 8 de Dezembro de 1980. Sean baptizou-se no sol-e-dó, em 1981, no primeiro álbum a solo da mãe Season of Glass, (na capa, os óculos ainda ensanguentados de Lennon, um copo de água meio cheio e o Central Park, desfocado, em fundo. Yoko explicou esta mórbida escolha para “lembrar às pessoas que Lennon não morreu naturalmente… ele foi assassinado”. Desde aí a vingativa nipónica rejeita todos os pedidos de liberdade condicional de Chapman).
.
Aos 16 anos colabora com Lenny Kravitz na composição de “
All I Ever Wanted”. Sean também participa nalguns filmes. Em 88, “Moonwalker” com Michael Jackson e em 90 na curta-metragem vanguardista “Infinite Escher”, inspirada no trabalho do matemático alemão MC Escher, e música de Ryuichi Sakamoto. No ano de 96 conhece as malucas Miho Hatori e Yuka Honda, dos mordazes Cibo Matto, (significa “comida louca” em italiano – “Scifi Wasabi” S “Sugarwater” S “Birthday Cake), que o convidam para integrar o seu fátuo projecto paralelo, Butter 08, com Russell Simins baterista dos Jon Spencer Blues Explosion, Rick Lee percussionista passageiro nos Skeleton Key e o realizador e artista gráfico Mike Mills. No início deste século, Sean atravessou a cena hip-hop cooperando nos Handsome Boy Modeling School, Del tha Funkeen Homosapien e nos Jurassic 5. Confessou admiração pelos Mutantes, desenhou-lhes a capa do CD “Tecnicolor” (2000), e tocou com Arnaldo Baptista. Produziu a supermodelo canadiano-romena Irina Lazareanu e prossegue uma graciosa carreira a solo com três álbuns editados – “Dead Meat” S “Parachutes” S “Spectacle” S “On Again off Again” S com Moby e Rufus Wainwright.
.
Sean
catrapiscou uma namorada boa como o Windons7, a supermodelo Kemp Muhl, aparência e cérebro na mesma embalagem. Ela trocou uma perninha nos vídeos “Just Feel Better” de Carlos Santana; “Lolita” dos Elefant; e “Purple”, dos Whirlwind Heat, nas palhaçadas com Susan Eldridge, (outra febra das passerelles, fotografada por Jennifer Tzar, e, na época, namorada do realizador do vídeo, Terry Richardson. Fotógrafo de moda, com mais sorte que Paulo Portas, rifou-a pela “hipster suprema”, Jen Brill, de quem está de casório marcado).
.
Kemp Muhl e Sean são os modelos na
campanha Outono/Inverno 2009/10 da Zadig & Voltaire. E, refizeram o célebre “objecto pop” de John Lennon e Yoko Ono (a foto de Annie Leibovitz, para a capa da Rolling Stone, com John nu, enroscado na Yoko). Na altura, ninguém estava interessado em ver Lennon desnudo e muito menos a Yoko, credo cruzes lagarto lagarto!!! mas Kemp Muhl nua é outra loiça.
.
O casal forma os GOASTT, acrónimo de “Ghost of a Saber Toothed Tiger”, uma peça escrita por Kemp Muhl – “Britney Jean” S lançaram concurso para o vídeo de “The World Was Made for Men” S e na estreia parisiense].

41 Comments:

  • At 12:29 da tarde, Blogger Táxi Pluvioso said…

    CRonaldo também já canta. Ainda bem! Assim os males dos portugueses espanta. Como não vamos entrar em nenhuma guerra é fixe ser gay.

    Manuel debruça-te sobre aquela namorada do filho do Lennon. upa upa

     
  • At 1:22 da manhã, Blogger xistosa - (josé torres) said…

    Comecei a ler a epopeia dos nossos dias mas aviso já que não sei quando vou acabar.
    No 1º link, não encalhei, aportei.
    Vou sair e visitar as redondezas.
    Voltarei.

    Só que as coisas agora inverteram-se.
    Esta Yoko não tem braçada como a outra.
    É carne de outra qualidade, apesar de ser fraca (a carne, entenda-se).

    Até já.

     
  • At 7:05 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Ainda bem que a Leibovitz não permitiu que a Yoko despisse a parte de cima, colo ela ia fazer. Poupou ao mundo uma desgraça.

     
  • At 2:34 da tarde, Blogger Carla said…

    E, de facto, o homem falou, falou e não disse nada.
    Foi quase tão anedótico, como a anedota mais antiga do mundo
    beijos e boa semana

     
  • At 2:35 da tarde, Blogger manuel said…

    Mamilos televisivos e não só, como se vê no fim.

     
  • At 12:03 da manhã, Blogger Inês Brito said…

    Os circles do "That 70's Show" são qualquer coisa de fantástico. Por acaso ainda não tive a opporunidade de ver a série toda, falta-me uma temporada e meia para terminar.
    O sentido de humor dos Sumérios deixa muito a desejar.

    O Sean é um bocadinho para o medonho, mas só um bocadinho.

    Bj,
    (i)

     
  • At 12:35 da manhã, Blogger xistosa - (josé torres) said…

    Antes de escrever o que tinha fixado e vinha a soletrar para não me esquecer, aqui fica.

    É a primeira vez que vejo porno em música.
    Agora mais descontraído, depois da esgotante maratona de ontem.
    Sempre foram 11 "súrvias" e despir as alcagoitas, (não tripas, que apesar de ser do Porto, não gosto), nem sei como consegui.
    Quem tem dedos está safo!

    Hoje lembrei-me de deixar aqui o meu mais veemente protesto.
    É que vamos ... vamos ... por aí fora, segundo as indicações do post e depois com o que deparamos.
    Locais para 18. Para mais ou para menos.
    Então os sessentões não têm direitos?

    Infelizmente não é só aqui ...

    Há cerca de 20 anos, fui com um cunhado espanhol, à Tomatina.
    Ainda hoje cheiro a tomates ... para além de ter tido de mudar de montras.
    Mas aquilo é insuperável.
    Até se deita a mão a qualquer fruta ... o que interessa é atirar, mas só com uma mão, que a outra é para proteger a nossa "fruta" que, como é lógico, levámos.
    Foi na Tomatina e nas Fallas em Valência. Mas nestas é mais para a carne ...
    Então a apanha de bivalves não está suspensa?
    Eu juro que não vi nada.

    Foi mais uma pratada de couratos e nesta época de crise, desemprego e sem cheta, talvez se justificasse o pratinho.

    Assim, vou arrotar, como aquele vermelhudo, condenado por um colectivo de sete juízes a sete anos (será coincidência?) de choldra e que maioritariamente foi absolvido pelo povo-carneiro, ou carneiro-povo, onde me incluo, porque fui votar, ainda que noutro ladrão.

    Vou regressar.
    Até já.

     
  • At 10:06 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Carla: ele ainda disse alguma coisa. Não negou que o assessor andou a falar com jornalistas, deu-lhe o direito de se interrogar (perante jornalistas) é uma bela nuance.

    O enredo do discurso não está mau. Ele, de férias na sua casinha do Algarve, os diplomas sobre a mesa, a despreocupação própria da estação, e depois sem ele nada saber o assessor interroga-se. Enfim, sou suficientemente parvo para engolir isto.

    E desconhecidos (o Vitalino Canas e o José Junqueiro) querem colá-lo a um partido, ele que é imparcial e honesto como Pilatos, é pra rir.

    No fundo é um discurso bem cómico de quem nasceu trinta anos mais tarde.

     
  • At 10:10 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Manuel: para além de mais episódios dos "Morangos Com Açúcar" (série mal compreendida e que será um clássico da TV lusa) é o que faz falta para animar a programação.

    Se a Moura Guedes mostrasse um mamilos de vez em quando, ainda estaria no seu telejornal, a falar friporte.

     
  • At 10:19 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Inês Brito: a série "That 70's Show" era demais.

    Os sumérios tinham humor... pré-histórico. De facto, não percebi bem a piada. O Cavaco conta melhores. (Só a ideia do Cavaco a contar piada é, em si, muito hilariante).

    O Sean teve azar, ficou com a cara da mãe, ou não, a cara do Lennon não era melhor. Mas acho que ele tem valor, tal como os outros que meti nos posts anteriores, nunca se libertarão do nome de família, esse é o seu azar. E as pessoas nunca lhes darão o benefício da dúvida e olharão para o seu trabalho. A música de Sean é calma mas as letras são muito esquisitas.

     
  • At 10:34 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    José Torres: o porno é como a batata frita, vai bem com tudo, até com pão. Mas nem é saída para a crise, visto o comércio estar fraco (ao contrário da carne) e elas baixaram as tarifas para se despirem e etc.

    São para maiores de 18 anos acompanhados dos país, e até não deve ser visto mesmo assim, pois acho que as senhoras devem ser ladies na cama e na mesa, ao contrário do engatatão Marco Paulo, e não andarem em preparos pouco próprios.

    A Tomatina deve ter piada, estragam os tomates, e depois passam o ano a salada de alface. Coisas de países ricos e com tradições.

    "Ir votar noutro ladrão" é a sina do eleitor.

     
  • At 2:29 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Grande Taxi,

    Deve ser no anedotário sumério que o gajo que escreve para os malucos do riso se inspira.
    Esse e o João Braga que também não deve aspirar a comediante.
    Ademais, continua quente e por este andar é o Verão de São Martinho que passa a ser uma anedota.

     
  • At 9:49 da tarde, Blogger xistosa - (josé torres) said…

    Esqueci-me de dizer que a festa da tomatina, não é em Valência, mas nos arredores, em Buñol.
    Tenho familiares em Burjasot.
    São cidades que estrangulam Valência.
    Há muitos anos, não foram vinte, mas 32.
    As festas eram um bocado diferentes, apesar dos tomates andarem pelo ar sem necessidade de se fazer o pino.
    Depois era um banho à mangueirada, no passeio, pois claro e terminava com uma paella, bem condimentada com um Rioja tinto.

    No fim tenho que fazer uma revisão porque não li se o nosso cavaco, todos temos um Cavaco, até a terra das cavacas (Caldas da Rainha) tem cavacos.
    Mas descendente dos sumérios ... essa é forte.
    Admirava os sumérios porque escreviam com o "cu".
    Sim não foram eles que inventaram a escrita cuneiforme?
    Gosto da comparação do nosso monogãmico monolóquio, com o Bouvier des Flandres.
    Ambos têm uma grande cabeça e a dele levou-o ao trono.
    (Que ninguém esqueça os "belos tempos em que nos governou")
    Coitado do fala só ...
    Já não me recordo bem, mas parece que na amamentação é necessário limpar a "teta" para não se desenvolverem germes.
    Daí o trabalho insano de "empregadas" para todo o serviço, sempre são 37 minutos ...
    (vi o intróito, não vi tudo, mas desconfio muito).

    Parece que o Mark David Chapman para poupar dinheiro, aceitou os balázios que a CIA lhe colocou à disposição e parece que até lhe ensinaram a meter o dedo na coisa, para disparar.

    Vou ter que encerrar esta coisada.
    Não é que o cérebro da Kemp Muhl me encravou a máquina.
    Só a muito custo não perdi ... a cabeça.
    Até já.

     
  • At 10:06 da tarde, Blogger xistosa - (josé torres) said…

    A 3ª foto, do "Fotógrafo da 'moda' estive para a roubar e colocar no post do "pied de poule"
    Coincidências de quem anda por aí.
    É que homem está sempre na moda.
    Tenho um convite +para o casamento, mas não tenho fato para levar e é bestialmente chato aparecer em cuecas.
    Não sei se o homem tem bom gosto, se foi atrás do contador de "quilómetros" que marcava menos.
    Mas parece que se equivocou.
    Parece que é evidente que há quem goste de carne mal passada e os que a querem bem passada, pelo lume, como é lógico.
    E o fim chegou mesmo no fim.
    Adeus, até ao meu regresso.

     
  • At 7:11 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    O Braga larachou mas não sei que piada foi, tenho de perguntar ao Deus Google, sendo quem é deve ser muito inteligente.

    Este tempo é bom pró Carnaval, talvez as motive a despir mais.

     
  • At 7:26 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    José Torres: mas eles não deviam, limpar as ruas à pazada, e aproveitar tudo aquilo, para enfrascar, e vender como polpa de tomate? Sempre era mais ecológico.

    A escrita é que era em forma de "cu", eles escreviam com as mãos, como toda a gente, excepto eu, que tenho computador e escrevo com os dedos.

    Cavaco descende dos sumérios humoristicamente, e não que o pai dele fosse sumério, ele é velho e ultrapassado, mas não tão velho quanto isso.

    A Kemp Muhl, que Deus lhe conserve a carne, parece ser moça prendada, toca piano e fala francês e sei lá mais o quê.

    Li o pied de poule, não sei se o guardei, como às vezes não tenho tempo para ler, costumo guardar. Tenho que lá ir salvar (salvo seja) aquele sobre o cunnilungus.

     
  • At 2:12 da tarde, Blogger Fernanda said…

    P.T. amigo, fiquei cansada...acho que não estou nos meus dias, não aguentei a sua pedalada.
    Gostei ...mas não me consegui concentrar completamente e perdi o fio à meada.
    Gostei muito do seu comentário...demais mesmo ^_^

    Beijo


    Voltarei.

     
  • At 1:02 da manhã, Blogger manuel said…

    http://www.why-yachts.com/

     
  • At 7:38 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Ai, se o Vasco da Gama tivesse um destes, quantas Índias descobriria? Agora que Portas vela por nós, espero ter dinheiro para comprar um no fim do ano, meados de Janeiro no máximo.

     
  • At 7:43 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Fernanda: devia ter dado uma outra pontuação ao texto para ficar mais ligeiro. Estou a cometer o erro, de escrever em função dos links, e não usá-los apenas como ilustração do texto. Uma chatice.

     
  • At 11:33 da manhã, Blogger Rafeiro Perfumado said…

    Mas é um riso nervoso, o do português, pois nunca sabe quando a última risada pode ser a última, e sem qualquer relação com o provérbio!

     
  • At 5:13 da tarde, Blogger São said…

    Eu já nem seriedade lhe reconheço nem à sua amiga do peito, francamente. Depois destas estórias de listas e escutas, nem pensar.

    Até sempre.

     
  • At 1:08 da manhã, Blogger Luís Correia said…

    O Magalhães 2, tá excelente...
    O Sócrates já sabe da sua existência?
    Aquele sim é um choque tecnológico há medida dos Portugueses, eh eh eh

     
  • At 10:20 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Rafeiro Perfumado: quem se ri é o povo. Acabei de ler que a electricidade vai aumentar 2.9% (e não vai abater na tal dívida, que os lusos têm para com a empresa, erguida com dinheiro público e, misteriosamente, aparece com donos privados).

    Isto vem explicar a tal coisa da "inflação negativa", não estava a perceber. Significa: as coisas aumentam, os rendimentos não sobem, logo é negativo para as pessoas. É uma verdade lapalisse.

    Começaram as apostas para quantos meses governará Sócrates?

     
  • At 10:28 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    São: a sra Leite é impagável. O problema foi o PSD não ter tido tempo para mudar de líder. Parece que eles são bons nisso. Mudaram o Marque Mendes, o Menezes e, mudariam a sra Leite, se tivessem tido tempo, ou até mais, se as eleições não chegassem rápido.

    Os analistas, que são uma espécie de economistas, isto é, não acertam uma, dão a carreira de Cavaco como finita. Não sei se assim será. Depende de quem estiver no Governo. Estes anos serão muito divertidos: teremos futebol, o Papa, os submarinos no Tejo, e governação ficamos para ver.

    E esta trapalhada toda é apenas isso, uma trapalhada como todas as outras, é o que os portugueses sabem fazer.

     
  • At 10:29 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Luís Correia: espero que o vendam rápido, com o aumento da electricidade, e o pré congelado, até eu compro um.

     
  • At 6:19 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Grande Taxi,

    Então elucida-me lá, vamos ao play-off ou ao play-on?
    Entretanto o mês de Julho não arreda pé.

    BFDS

     
  • At 2:39 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Vamos ganhar o Mundial. 2010 será outro ano luso. Teremos, o Papa, o título de campeão, os submarinos etc. etc. será tudo nosso.

     
  • At 5:14 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Grande Taxi,

    É isso...somos os eleitos, o povo de Deus (com letra maiuscula não vá Ele ler isto, se está em todo o lado é menino para dar uma espreitadela aqui em "tu sitio"). Bem pode a Maitê zurzir na gente e cuspir nos Jerónimos nunca nos chegarão aos calcanhares. Não há Orixá nem pai de santo que Lhe faça frente.

     
  • At 1:02 da manhã, Blogger Henrique ANTUNES FERREIRA said…

    Táxi & mais malta

    Acabei de postar um textículo meu na Minha Travessa, intitulado "O mal e a caramunha". Adivinha(em) sobre quem é... Sobre a «senhora» M. Proença... E tem uma foto muito sugestiva... Se quiseres(em) ter a bondade de lá ir e cumentar (com o) fico à vossa espera. Obrigado.

    Qjs & abraços

     
  • At 8:42 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Eh pah, agora é que as coisas ficaram mal. O Correio da Manhã escreve que os submarinos só têm um ano de garantia. Mas quem é que paga se forem ao fundo?

    É um problema muito profundo.

    Henrique Antunes Ferreira: veremos se amanhã tenho tempo para ler.

     
  • At 2:31 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Caro Táxi Pluvioso, o seu estilo post-ista carregado de links dificulta-me a leitura até ao fim. Está claro que criou uma espécie de blog-livro em que cada post em si não pode ser lido de uma só vez. Voltarei curiosa. Lívia B.

     
  • At 11:07 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Tenho de mudar a forma dos posts. Fiz uma inversão da escrita, em vez dos links a ilustrar o texto, é o texto que se adapta aos links. Isto é mau quando são em número impossível de ver.

    Alguns links até são interessantes, (claro que isso depende dos interesses de cada um), e tentar mostrar muito é mostrar nada, sobretudo num época rápida, onde vários segundos perdidos com alguma coisa, já é muito tempo.

    Chatice! Tenho mesmo que mudar isto. Tornou-se um hábito, e ainda por cima muitos links são bloqueados por causa dos direitos de autor.

     
  • At 2:18 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Caro Táxi Pluvioso,
    Que pena, se mudar. O seu blog é uma maneira de ler, ver e dançar e cantar (caso se possa) bastante feliz. Apenas difícil de realizar no local de trabalho, enquanto me distraio propositadamente.
    Lívia B.

     
  • At 9:46 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Ah, no local de trabalho, não. Temos que trabalhar, sem distracções, e muito, para enriquecer... bem, para enriquecer, desconhecidos, não o sujeito do trabalho. Excepto, a malta da política, quais formiguinhas, enriquecem, para inveja do povo-cigarra.

    Tenho de conter os posts. O que estou a escrever ficou tão grande, que até eu me assustei, 5 páginas times new roman 12 um espaço, e não está terminado. Ufa!

     
  • At 11:36 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Eu cá não me importo nada de enriquecer outros que não eu, não tenho ambições materiais desmesuradas. Vivo bem com o que tenho. Não fale assim dos políticos em geral, caro Táxi, conheço vários que só enchem o bolso com oseu merecido salário como o comum dos mortais. Abomino de todos os sentimentos a inveja mais que todos. Prefiro a gratidão.
    Lívia Babo

     
  • At 4:34 da tarde, Blogger Carla said…

    voltei para completar a leitura
    beijos

     
  • At 1:14 da manhã, Blogger manuel said…

    http://www.youtube.com/watch?v=f3sX30NubTs

     
  • At 6:24 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Lívia Babo: eu também não me importo de enriquecer os outros, para isso é que o povo existe. Agora, não sei se é possível ultrapassar a inveja, pois é o sentimento que define o português, não é a saudade, nem essas tretas, o que caracteriza o português é a inveja.

     
  • At 6:25 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Carla: entretanto já postei outro, sorry :-(

     
  • At 6:28 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Manuel: será que também entre os gatos, o corno é o último a saber?

     

Enviar um comentário

<< Home