Pratinho de Couratos

A espantosa vida quotidiana no Portugal moderno!

terça-feira, junho 09, 2020


Está tudo quase esgotado (tl;dr)

26 de julho de 2017 data maior na Grande História portuguesa, nesse dia, um deputado, de aspeto escangalhado, trôpego, ar de bebé gigante, salvou a democracia do deserto infravermelho no espetro da luz política nacional. Nesse verão ameaçava secar o combate governo / oposição, a economia prosperava, a Europa cooperava, o povo engordava, não havia contrapropostas ganhadeiras de votos. A bandeira opositora murchava. Mas, no Parlamento sentava-se um génio, um Péricles, um Júlio César, um Alcibíades Clinias Escambónidas, si parva licet componere magnis (“se é lícito comparar as pequenas coisas às grandes", expressão de Virgílio, ao comparar o trabalho das abelhas ao dos ciclopes, “Geórgicas”, IV, 176). Não é comparável, o nosso é muito maior que todos os antigos, tem dois olhos e visão interior, na qual anteviu que, no futuro, a oposição escassearia empolgaduras do povo quando as urnas chamassem. O dia 26 de julho de 2017 altera essa trajetória, nesse dia Hugo Soares, líder parlamentar do PSD, tem a maior vitória política alguma vez vencida em Portugal: “Acabou a especulação, hoje as famílias podem continuar a sua vida, porque o Ministério Público andou bem ao divulgar a lista nominativa das vítimas da tragédia, da tragédia de Pedrógão Grande, e por isso nós não vamos, já informamos hoje o senhor presidente da Assembleia da República, requerer, nem a comissão permanente nem a conferência de lideres que ‘tava agendada.” [1]
António Costa, o primeiro-ministro, não desvendava o número de mortos no incêndio de Pedrogão, nem que a vaca tossisse e o boi espirrasse e o comentador engasgasse, refugiando-se no somenos segredo de justiça, Hugo Soares agarrou-o pelo gasganete e chocalhou-lhe a verdade: “Pedir o levantamento desse segredo para devolver a calma e a confiança às pessoas. (…). Se não sabe governar nem tomar decisões no momento difícil, então tivesse deixado governar quem ganhou as eleições.” (26-07-2017). E assim, magnânimo, – perdoou a contabilização dos suicídios de Passos Coelho [2] e dos cadáveres da empresária Isabel Monteiro [3] –, Hugo Soares aceita a lista nominativa dos 64 mortos em Pedrogão e resgata a democracia em Portugal. Não há democracia sem luta político-partidária, não há luta político-partidária sem argumentos para arremessar ao adversário, sem a visão visionária de Hugo Soares estes resumir-se-iam nas eleições legislativas de 2019: ao líder da oposição, Rui Rio, atirar “a dramatização”, “o circo montado”, “o teatro” [4]; e à líder da direita, Assunção Cristas, lengalengar “a maior carga fiscal de sempre” [5], – pela luta de Hugo Soares enriquecerão esse caldo aguado com as críticas ao incêndio de Pedrogão [6].
Não há herói sem aio, um herói quer aio, e um houve multum in parvo (“dizer muitas coisas em poucas palavras”). Carlos Abreu Amorim, o aio, meteu todos os discursos políticos, do “Pro Sestio” de Cícero ao “O culto do indivíduo” de Nikita Khrushchev, numa sapatilha com o seu “Discurso do indigno”: “Vimos ontem apenas declarações dalguns responsáveis governamentais, que rejeitamos, no mínimo estranhas e até um pouco desesperadas [7]. As acusações que foram feitas ao PSD são totalmente descabidas, são desajustadas e, fazem ricochete. Por exemplo, o governo diz que o PSD está a tentar obter algum aproveitamento político desta tragédia, nada mais falso. (…). Foi dito ontem que o comportamento do PSD é indigno, e o PSD responde de uma forma muito clara. (…). Não houve um responsável governamental que viesse assumir responsabilidades, e pedir desculpas aos portugueses e com toda a sinceridade o PSD julga que já era tempo disso ter acontecido. (…). Indigno e absolutamente reprovável é o facto do PSD ter apresentado um projeto que criava um mecanismo urgente extrajudicial para reparação às famílias dos falecidos e aos feridos graves, e o Partido Socialista não ter consentido que esse projeto fosse aprovado no passado dia 19, ehh, ehh, não dando consentimento para que fossem feitas as três votações, designadamente a votação final deste projeto que ficou a aguardar para setembro. Indigno também é, sem dúvida nenhuma, a lei da rolha, que condicionou a atividade da comunicação social, que aumenta um clima de suspeição e desconfiança em relação àquilo que está a ser feito na prevenção e no combate aos incêndios. Indigno também é este governo não ter sabido explicar por que razão é que mudou os comandos da Autoridade Nacional de Proteção Civil, ehh, eh, a meses do início da época dos fogos com resultados que neste momento estão à vista. Indigno, por fim, é também o facto de insistir na lógica de passa-culpas absolutamente compulsiva e negativa no sentido de que ninguém assume responsabilidades. (…). Não houve até agora um responsável governamental, o próprio primeiro-ministro não pediu desculpa ao país, não pediu desculpa às populações que são diretamente afetadas por esta tragédia dos incêndios, não apenas as de Pedrógão Grande, mas também as da Guarda, as de Alijó, as da Sertã, as de Mação e todas aquelas que estão neste momento a temer pela sua vida e pela segurança dos seus bens. Não houve um responsável governamental que viesse assumir responsabilidades e pedir desculpa aos portugueses e com toda a sinceridade o PSD julga que já era tempo disso ter acontecido. (…). O PSD congratula-se por o governo estar satisfeito pela divulgação da lista nominativa, mas convém não esquecer que foi graças à atuação enérgica do PSD, e contrariando tudo aquilo que o governo vinha defendendo publicamente há semanas, que esta lista foi conhecida.” (27-07-2017).
“Com as suas acusações e política de passa-culpas que estão a fazer há mais de um mês sobre esta tragédia, o que parece estar a acontecer é uma inegável gestão da comunicação e de marketing politico elevado ao ponto máximo, que criou este clima de suspeição e desconfiança, que é muito negativo.” (27-07-2017).
“O vice-presidente da bancada social-democrata Carlos Abreu Amorim quis falar aos jornalistas para criticar as declarações de vários membros do governo na quarta-feira e para vir reclamar os louros do PSD pela divulgação, pelo Ministério Público, da lista de 64 mortos e de outros dois em investigação. «O PSD congratula-se por o governo estar satisfeito pela divulgação da lista nominativa. Mas convém não esquecer que foi graças à atuação enérgica do PSD, e contrariando tudo aquilo que o Governo vinha defendendo publicamente há semanas, que esta lista foi conhecida», vincou o deputado. Pôde acabar assim o «clima de suspeição que estava a grassar por todo o país», acrescentou, criticando a «lógica estranhíssima de ocultação» que envolveu o caso. Questionado pelo Público sobre o timing da divulgação da lista - horas depois de o PSD exigir que o governo pedisse o fim do segredo de justiça e a divulgasse, e meia hora antes de o presidente da República chegar ao incêndio de Mação - o deputado social-democrata disse que a «posição enérgica» do PSD «não era para o Ministério Público mas ainda bem que teve resultados», vincando o «papel fundamental» das exigências de Hugo Soares.” (27-07-2017).
Carlos Abreu Amorim matou a discussão com um tweet: “Tantos ataques ao PSD por exigir os nomes das vítimas e agora, o que dizer? Será que os conheceríamos caso o PSD estivesse calado e manso?” (27-07-2017).
____________________
[1] Hugo Soares malhou na esquerda: “Depois ter sido publicada a lista deixa de fazer sentido aquilo que tinha sido a exigência do PSD, que era a de que houvesse uma conferência de líderes e uma comissão permanente para debatermos este assunto. Ora, uma vez que a lista foi divulgada ficou resolvido essa questão. Voltamos a repetir, acabou a especulação, hoje as famílias podem continuar a sua vida porque o Ministério Público andou bem ao divulgar a lista nominativa das vítimas de tragédia, da tragédia de Pedrogão Grande. E por isso nós não vamos, já informamos o senhor presidente da Assembleia da República, requerer nem a comissão permanente nem a conferência de líderes que ‘tava agendada. (…). Foi posto um ponto final na especulação que foi criada pela irresponsabilidade do governo e pela forma como o governo quis gerir politicamente aquilo que não pode nem deve estar no domínio a política.” (27-07-2019).
[2] Passos Coelho: “Há pessoas, por exemplo, eu tenho conhecimento, já vitimas ehh indiretas deste processo, pessoas que puseram termo à vida. Pessoas que em desespero se suicidaram ehh e que não receberam em tempo, o apoio psicológico, que deveria ter existido ehh isso ainda hoje se passa, e tem havido dificuldade em que esse apoio seja prestado … (olha para Teresa Morais atrás dele) … não há confirmação? Há pouco, há pouco ehh deram-nos essa notícia, enfim, como uma notícia particular ehh ehh enfim de pessoa até de família, e portanto como deve calcular não tive ehh ehh muitas dúvidas nessa nessa indicação ehh mas seja como for, isso eu posso testemunhar, houve muitas pessoas que eu ouvi, e que me deram conta da falta de resposta em termos de apoio psicológico ehh que ainda hoje se sente no terreno. E portanto há pessoas ehh que estão internadas, em consequência de tentativas ehh de suicídio, nomeadamente, e que ehh até hoje não tiveram ehh o apoio que era devido.” (Na visita aos bombeiros de Pedrogão, 26/06/2017).
O jornal Público parangonava no dia seguinte: “Polémica. Passos começou o dia ao ataque e acabou a pedir desculpa”.
Passos Coelho: “Não há arma de arremesso nenhum, o que há é uma situação a que é preciso responder e politicamente é importante que os órgãos do Estado possam reagir em relação a isso. Não é possível esperar que exista uma espécie de branqueamento político sobre as situações que vão ocorrendo.” (26/06/2017).
[3] Graças a um trabalho brilhante de copy / paste a comunicação social revelou o número exato dos mortos, não apenas os 64 que o bom Hugo Soares aceitou. “Lista mortos Pedrogão - Isabel Monteiro cruzou dados de hospitais, bombeiros e agências funerárias, e forneceu ao jornal i uma lista de vítimas mortais da tragédia maior do que a oficial. Não são 64 nem 65, mas pelo menos 73 as vítimas mortais do incêndio em Pedrógão Grande, garante Isabel Monteiro, que foi para o terreno contar as vítimas uma a uma. A empresária de 57 anos, natural de Lisboa, queria construir um memorial na Estrada Nacional 236. Quando começou a recolher os primeiros nomes da lista de vítimas, junto de famílias e agências funerárias, percebeu que a lista total de mortos era mais extensa do que a oficial divulgada pelo Governo, diz ao jornal i. (…). De acordo com a empresária, o número de mortos pelo incêndio será ainda maior do que os 73 nomes que já terá confirmado – Isabel Monteiro diz mesmo que o número pode ultrapassar uma centena. «Ao verificar se os dados da imprensa estavam corretos, comecei a ir de família em família, a abordar bombeiros e cheguei a contar as campas frescas de um dos cemitérios para confirmar que os números são superiores. Parece macabro mas tive de o fazer», conta ao i. O resultado é publicado esta segunda-feira naquele diário, que cita nomes de cadáveres encontrados depois da lista oficial de mortos ter sido divulgada. O jornal relata ainda o clima de «medo» que se vive entre a população e a «pressão» para que não se discuta mais o número oficial de mortos. A lista não foi divulgada pelas autoridades, que se recusam fazê-lo alegando que o caso está «em segredo de justiça», no âmbito do processo-crime que investiga as circunstâncias das operações de combate ao fogo e de resgate às vítimas.” Em jornal Público, 24 de julho de 2017.
“Última Hora: Incêndios. Empresária contou mais de 80 mortos em Pedrógão Grande. Isabel Monteiro, empresária de 57 anos, natural de Lisboa, reuniu uma base de dados com as vítimas mortais do incêndio dos concelhos de Pedrógão Grande e já contabilizou mais de 80 mortos, dos quais 73 estão confirmados pelas famílias com nomes completos, localidade e local da morte. A intenção era criar uma lista de vítimas para a criação de um memorial na Estrada Nacional 236, hoje conhecida como «Estrada da Morte», mas foi ao recolher a informação junto das famílias, funerárias, bombeiros e dados da comunicação social que Isabel constatou que o número de vítimas mortais seria superior ao número oficial divulgado pelas instituições do Estado. Começou então uma investigação de fundo e o total de mortos contados até à data, na sua base de dados, já ultrapassa os 80. A experiência dizia-lhe que, para ser útil na situação de Pedrógão, teria de ir diretamente ao local e perceber de que tipo de ajuda as famílias precisavam. O instinto tem uma história. Em 1996, na guerra do Kosovo, Isabel viu um apelo da AMI e da Cruz Vermelha Portuguesa e decidiu ajudar, mas apercebeu-se que os donativos não estavam a ser encaminhados. Organizou, nesse ano, o Concerto dos Cobertores, na Praça Sony, cujo bilhete de entrada era um cobertor que seria enviado para Kosovo. O evento foi um sucesso e Portugal foi o segundo país a entregar o maior número de cobertores no Kosovo. Isabel entrou em conflito com a AMI e pressionou o governo para ir diretamente no avião C130, que transportou muita da ajuda humanitária enviada de Portugal. Quis ir diretamente ao local dos acontecimentos entregar em mão a ajuda às vítimas do histórico conflito.” Em jornal Sol 22 de julho 2017.
“O i divulga a lista em constante atualização. Já se contabilizaram mais de 80 mortos, dos quais 73 estão confirmados pelas famílias com nomes completos, localidade e local da morte. Isabel Monteiro, empresária de 57 anos, natural de Lisboa, reuniu uma base de dados com as vítimas mortais do incêndio dos concelhos de Pedrógão Grande e já contabilizou mais de 80 mortos, dos quais 73 estão confirmados pelas famílias com nomes completos, localidade e local da morte. A intenção era criar uma lista de vítimas para a criação de um memorial na Estrada Nacional 236, hoje conhecida como «Estrada da Morte», mas foi ao recolher a informação junto das famílias, funerárias, bombeiros e dados da comunicação social que Isabel constatou que o número de vítimas mortais seria superior ao número oficial divulgado pelas instituições do Estado. Começou então uma investigação de fundo e o total de mortos contados até à data, na sua base de dados, já ultrapassa os 80. A experiência dizia-lhe que, para ser útil na situação de Pedrógão, teria de ir diretamente ao local e perceber de que tipo de ajuda as famílias precisavam. O instinto tem uma história. Em 1996, na guerra do Kosovo, Isabel viu um apelo da AMI e da Cruz Vermelha Portuguesa e decidiu ajudar, mas apercebeu-se que os donativos não estavam a ser encaminhados. Organizou, nesse ano, o Concerto dos Cobertores, na Praça Sony, cujo bilhete de entrada era um cobertor que seria enviado para Kosovo. O evento foi um sucesso e Portugal foi o segundo país a entregar o maior número de cobertores no Kosovo. Isabel entrou em conflito com a AMI e pressionou o governo para ir diretamente no avião C130, que transportou muita da ajuda humanitária enviada de Portugal. Quis ir diretamente ao local dos acontecimentos entregar em mão a ajuda às vítimas do histórico conflito. Isabel contou ao i que aprendeu com essa experiência a não doar dinheiro ou a entregar donativos sem ser diretamente a quem precisava e, ao saber da catástrofe de Pedrógão, decidiu pôr em prática mais uma vez o método de solidariedade direta. «Fui a primeira vez a Pedrógão no dia 21 de junho. Dirigi-me ao quartel dos bombeiros e fiquei mesmo muito impressionada com tudo o que vi. Decidi então recolher donativos e voltei no dia 3 de julho. Fui diretamente à junta de Castanheira de Pêra levar donativos que uns amigos da família que teve nove vítimas mortais me pediu para entregar», conta. «Fui recebida por uma senhora que me disse que não era a Junta que tratava desse assunto e mandou-me entregar tudo aos Médicos do Mundo». Isabel que se recusa a entregar donativos às ONG, decidiu seguir caminho pelas aldeias. Foi então que o seu grupo de voluntários se cruzou com quatro senhoras que recolhiam sementes de eucalipto, na localidade de Vermelho, certificando-se de que estas árvores não voltariam a crescer perto das suas zonas de habitação. As mulheres, apesar de terem perdido todas as árvores e hortas, não quiseram receber donativos uma vez que as suas casas por dentro estavam intactas. «Foi aí que me disseram pela primeira vez que o número de mortos seria muito superior ao anunciado».
A Contagem
«Falaram-me de uma família de duas pessoas que salvaram tudo sozinhos e deixámos lá donativos, já que tinham dado abrigo à sobrinha que só tinha a roupa do corpo desde o dia do incêndio», conta ao i. Foi depois deste contacto que Isabel decidiu ir à aldeia de Nodeirinho, uma vez que tinha sido uma das localidades mais faladas na comunicação social. «Quando cheguei lá, as pessoas estavam todas reunidas na capela. Falei com toda gente, disseram-me o que lhes fazia falta e voltaram a confirmar a teoria de que o número de mortos seria muito superior ao anunciado». Isabel, intrigada com o assunto, terá falado telefonicamente no sábado dia 8 de julho com uma agência funerária em Vila Facaia que pelo telefone lhe confirmou, mais uma vez, que o número era muito superior. Abordou os funcionários com uma história que acabara de inventar. «Tive de inventar uma história, caso contrário nunca se iriam abrir comigo. Falei-lhes então que procurava um rapaz amigo de uma amiga minha que estaria a chegar para o tentar encontrar e que precisava de saber se o nome dele estaria entre os 64 mortos».
Terá sido neste momento que a primeira pista lhe foi dada. Uma das funcionárias terá respondido sob pressão com um sincero «eu sei lá menina, são muito mais, só eu vi mais de 95 corpos», desabafo que Isabel nunca mais conseguiu que se repetisse, já que a senhora em causa nunca mais o confirmou. Isabel explica ao i que, nas suas visitas às localidades dos concelhos afetados pelo incêndio, «os locais estão muito pressionados politicamente e há um estado de medo instalado». Mas ao falar com as famílias de luto, a ideia da criação de um memorial surgiu. «É o mínimo que se pode imaginar depois de uma tragédia destas, nada faz sentido se não houver uma homenagem a todos os que morreram». A empresária de Lisboa terá então iniciado um processo de recolha de informação. «Primeiro procurei tudo o que a imprensa tinha escrito sobre os mortos, chegando mesmo a perceber que tinham dado como mortas pessoas que estavam vivas. Com o é o caso da dona Gina, que estava internada e viva e na comunicação social deram o nome dela como falecida». «Ao verificar se os dados da imprensa estavam corretos, comecei a ir de família em família, a abordar bombeiros e cheguei a contar as campas frescas de um dos cemitérios para confirmar que os números são superiores, parece macabro mas tive de o fazer».
Segundo Isabel e dois bombeiros que não querem ser identificados, várias vítimas foram encontradas mortas depois de os números oficiais terem sido dado como certos. Terá sido o caso de Leonor Silva Henriques e Armindo Henriques Modesto que não estavam referenciados em lugar nenhum, mas morreram dentro do carro de Anabela Lopes Carvalho, de Sarzedas, que circulavam na EN236. Otília, irmã de Anabela, teve de identificar o corpo da irmã na estrada e falou a Isabel dos dois acompanhantes da irmã que não faziam parte das listagens. Também Fernando, de Campelo, foi encontrado carbonizado por uma local de Pobrais no meio do mato vários dias depois. «Estes corpos foram encontrados e enterrados mas os números nunca foram atualizados», explica Isabel Monteiro. O i contactou várias das famílias das vítimas que pertencem à listagem de Isabel e que pedem para não ser identificadas, mas que garantem que o número de mortos (64) dado pelas autoridades «está muito longe da verdade».
Isabel Monteiro e a sua amiga Ana Sousa e Silva juntaram algum dinheiro e, com a ajuda e confiança do padre da Paróquia de Nossa Senhora dos Navegantes, no Parque das Nações, e um de Bragança, conseguiram uma quantia de dinheiro que lhes permitiu a aquisição local de animais e hortícolas para doar às famílias. Compraram 80 animais (com 208,99 euros) e com 197 euros compraram 700 mudas de hortícolas que transportaram às famílias afetadas pelos incêndios. Foi aí que constataram que, depois de 30 dias, a ajuda ainda continuava por chegar. «Chegaram-me a dizer que havia certamente mais de 100 mortos, eu não queria acreditar. Mas realmente assim que comecei a juntar toda a informação percebi que pelo menos mais de 80 mortos tínhamos listados». Para Isabel há demasiadas falhas em tudo que se relaciona com este assunto, como o exemplo dos questionários online para as vítimas dos incêndios. «Como é que o ministério da Agricultura espera que idosos que não fazem ideia do que é usar a internet, depois de todo o trauma, ainda preencham formulários?», pergunta. O formulário poderia ser entregue na Câmara Municipal até ao sábado dia 15 de julho.
Como Alcafache
No dia 13 de julho, às 18h21, Isabel publicou a lista na sua página do Facebook pedindo que a ajudassem a atualizar e a corrigir os dados disponíveis. «As chamadas, até hoje ainda não pararam, sempre com novas informações». «Isto como bombeiro não me surpreende, já tivemos situações destas em Portugal, como no caso do comboio de Alcafache que nunca chegaram a dar o número real de vítimas e soubemos de corpos enterrados em vala comum». O bombeiro de Viseu conta que militares já lhe haviam falado de um número de mortos muito superior ao anunciado, logo no primeiro dia de ação em Pedrógão. «Entre pessoal das operações sempre se ouviu falar em mais de 100 mortos. Mas sempre se falou disto sem provas, eram apenas boatos. Agora há nomes, como é que se mentem nomes de pessoas?». Segundo a empresária e os dois bombeiros que o i contactou, têm sido várias as pressões para que este assunto «morra na praia». «Disseram-me que devia estar calada porque isto envolve interesses nacionais. Mas eu não quero viver num país em que interesses do Estado valem mais do que vidas humanas». A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) reiterou neste sábado que o incêndio do mês passado em Pedrógão Grande fez 64 vítimas mortais, em «consequência direta» do fogo, e que outros eventuais casos não se integram nos critérios «definidos». Os critérios que foram identificados para apurar as vítimas do incêndio são «mortes por inalação e queimaduras», resultantes do fogo, adiantou à agência Lusa a adjunta nacional de operações Patrícia Gaspar. Segue-se a listagem das vítimas mortais contabilizadas por Isabel Monteiro, que reuniu informação com famílias, populares, funerárias e bombeiros.
Lista de vítimas mortais confirmados na EN236 (O número está em atualização constante) 1. Fausto Lopes da Costa (73 anos); 2. Lucília Simões (70 anos); 3. Fernando Rui (48 anos); 4. Luís Fernando (5 anos); 5. Ana Boleo Tomé; 6. Miguel Costa; 7. Ana Mafalda Lacerda; 8. Joaquim (4 anos); 9. António (6 anos - esta família de nove pessoas fugiu de casa com a mesa posta para jantar e morreram na estrada); 10. Maria Cipriano (59), empresária natural de Serpa vivia na Amadora; 11. Manuel André Almeida (esposo de Maria); 12. Aurora Abreu (ia com marido, filho e nora estrear a casa remodelada); 13. Manuel Abreu (esposo de Aurora); 14. Fernando Abreu (Monte Abraão, filho de Manuel e Aurora); 15. Arminda Abreu (esposa de Fernando); 16. Sérgio Machado (35 anos - vivia em Sacavém tinha ido com esposa e filhos à Praia das Rocas); 17. Lígia Sousa (35 anos - esposa de Sérgio); 18. Bianca (4 anos - filha de Sérgio e Lígia); 19. Martim (2 anos - filho de Sérgio e Lígia); 20. Susana Pinhal (41 anos - vivia em Póvoa de Santa Iria); 21. Margarida Pinhal (12 anos - filha de Susana); 22. Joana Pinhal (15 anos - filha de Susana); 23. José Maria Graça (68 anos - vivia na Bobadela); 24. Maria da Conceição Graça (66 anos - esposa de José); 25. Ricardo Martins (37 anos); 26. Fátima Carvalho (57 anos - mãe de Ricardo, era de Pobrais, Vila Facaia); 27. Jaime Mendes Luís (52 anos - padrasto de Ricardo); 28. Ana Henriques (30 anos - namorada de Ricardo); 29. Eduardo Costa (60 anos - era da Pontinha, deixa dois filhos); 30. Maria Cristina (56 anos - esposa de Eduardo); 31. Anabela Silva Lopes Carvalho; 32. Leonor Silva Henriques (ia no carro de Anabela Carvalho); 33. Armindo Henriques Modesto (ia no carro de Anabela Carvalho); 34. Anabela Esteves (47 anos); 35. Anabela Araújo (38 anos amiga e vizinha de Anabela Esteves fugiam do incêndio no mesmo carro). Note-se que o Governo anunciou 47 mortes na EN 236 mas só 38 foram confirmadas nesta lista. Confirmados em outros locais. 36. António Lopes (88 anos - morreu abraçado à sua esposa debaixo dos escombros da casa); 37. Augusta Lopes (87 anos - esposa de António); 38. Sara Costa (35 anos - morreu em casa deixou um filho de 7 anos); 39. Alzira Carvalho da Costa (71 anos - atropelada a fugir das chamas, sepultada em Vila Facaia); 40. Eliana Damásio (38 anos - sepultada no cemitério de Sarzedas); 41. António Damásio Nunes (41 anos - sepultado no cemitério de Sarzedas); 42. Nélson Damásio (33 anos -sepultado no cemitério de Sarzedas); 43. Paulo da Silva (36 anos - sepultado no cemitério de Sarzedas); 44. Vítor Manuel Rosa (56 anos - corpo encontrado em casa em Pobrais e retirado dia 19); 45. Gonçalo Conceição (39 anos - bombeiro); 46. Alphonse Conceição (75 anos - emigrante em França); 47. Sidel Belchior (37 anos viajava com o sobrinho na estrada de Nodeirinho teve um acidente em consequência do incêndio); 48. Rodrigo (4 anos - sobrinho de Sidel); 49. Odete Antunes (avó de Bianca, fugiu de casa com a neta ao colo em Nodeirinho); 50. Bianca (4 anos); 51. Felismina Rosa (83 anos - morreu em casa em Avelar); 52. Luciano Joaquim (78 anos - morreu perto de Vila Facaia); 53. Luísa Rosa (cerca de 50 anos, de Lisboa); 54. Sara Antunes (33 anos - de Lisboa, nora de Luísa); 55. Vasco Rosa (cerca de 50 - de Lisboa, cunhado de Luísa); 56. Dídia Augusto (53 anos - de Balsa, invisual morreu agarrada à cama); 57. Anabela Quevedo; 58. Manuel Bernardo; 59. Maria Odete Anacleto (esposa de Manuel); 60. Mário Carvalho (em Nodeirinho); 61. Diogo Costa (21 anos esteve desaparecido 8 dias, segundo uma vizinha. Saiu para procurar o tio); 62. Jaime Mendes; 63. Helena Henriques; 64. José Henriques da Silva; 65. Fernando Santos (encontrado carbonizado numa mata em Pobrais vários dias depois); 66. José Rosa Tomás (morreu no hospital, era de Nodeirinho, funeral a 17/7); 67. Armindo Rodrigues Medeiro; 68. Esposa de Armindo; 69. Fernando Silva (de Castanheira de Pêra, informação da segurança social local). Em jornal i 23/07/2017.
[4] Rui Rio: “Um governo que se preze não faz chantagem com os portugueses. Na greve dos motoristas, a dramatização que fizeram, o circo que montaram, só tinha sido visto na questão dos professores. Chamaram GNR, mobilizaram Forças Armadas, mandaram atestar os carros 15 dias antes da greve, fixaram serviços mínimos que eram serviços máximos. E tudo para mostrar que o Estado tem autoridade. Mas a autoridade não se exerce desrespeitando a liberdade dos trabalhadores de fazer greve. Não podemos pôr em causa o direito à greve desta maneira grosseira apenas porque há eleições dia 6 de outubro.”
E o líder versejou: “O circo monta e desmonta / Dramatiza e sobressalta / Tem sempre a novela pronta / Espetáculo nunca falta. // Não são dados a rigores / As políticas socialistas. / Foi assim com os professores / É agora com os motoristas. // Mas o teatro montado que o povo irá julgar / Por certo será derrotado / E o PSD vai ganhar.” (31/08/2019).
“A recente crise dos motoristas, é que serviu, serviu exatamente p’a se perceber a forma como o primeiro-ministro atuou nos motoristas e atuou exatamente da mesma maneira nos professores: uma dramatização, com um circo montado, com um teatro montado; agora nos motoristas chama as Forças Armadas, chama a GNR, manda racionar a gasolina. Faz, faz trinta por uma linha, como se aquilo fosse uma coisa muito difícil, muito difícil, que era p’a depois aparecer o governo, aparecer o PS a resolver aquilo que era difícil, não resolveu nada.” (5/09/2019). 
[5] Assunção Cristas: “Queria dizer que o CDS tem feito, e fez, durante estes quatro anos o seu melhor para ser uma oposição muito firme e muito construtiva a uma governação das esquerdas, que nós entendemos que é uma governação que fez mal ao país. Tem, temos a maior carga fiscal de sempre, temos uma degradação enorme dos serviços públicos e entendemos que o país precisa de outro projeto político, com outras políticas, com ambição, com arrojo, com vontade de irmos mais longe, de puxar pela nossa economia, de libertar a força criadora que há nas empresas e que há nas pessoas.” (05/09/2019).
[6] Rui Rio: “O senhor primeiro-ministro, nós todos temos de nos lembrar que quando houve o incêndio de Pedrógão, em que morreram mais de 60 pessoas, não é? aqui, o que está aqui em causa, neste caso agora, que ele fala (crise energética e greve dos motoristas), era entrar ou não entrar num circo mediático ali durante quatro ou cinco dias, entrar mais ou entrar menos, mas o que esteve em causa quando ele não interrompeu pura e simplesmente as férias foi a morte de mais de 60 pessoas. [É mentira, ou como se diz, é inverdade. O primeiro-ministro não estava de férias e estava no local dos incêndios, porém, em lalangue política é uma afirmação verdadeira, porque tudo é verdade]. Portanto foi de uma infelicidade enorme aquilo que o dr. António Costa ontem se referiu, e revela na prática uma coisa: é que não tinha resposta pra ‘quilo que eu tinha dito.” (17/08/2019).  
Assunção Cristas: “O que nós vemos é um governo incompetente, que não assume a sua responsabilidade, é uma ministra da Administração Interna que não é capaz de evitar novas falhas no SIRESP. E portanto este sistema, que foi contratado pelo atual primeiro-ministro, na altura noutras funções, volta a falhar e nós não percebemos como nem porquê. E em terceiro lugar, vemos que falha a chegada das ajudas ahm do dinheiro que solidariamente foi dado por todos os portugueses ahm às populações e às vítimas deste incêndio, portanto é um governo triplamente incompetente.” (17/07/2017).
[7] António Costa: “A polémica surge e só quando resolveram especular e acusar o governo de estar a esconder o número de vítimas, bom seria, aliás, as acusações mais parvas que eu já vi. (…). Estou muito satisfeito que a divulgação tenha posto fim a esta especulação.” (27-07-2019).
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬ ֍ ▬
1984. Dezembro. Quinta-feira, 27, “a cançonetista brasileira Elba Ramalho fará vários espetáculos no próximo ano em Portugal, devendo estrear a 4 de abril no Coliseu dos Recreios, de Lisboa. O conjunto Blitz também promoverá uma digressão a Portugal, a começar pelo mesmo Coliseu, em maio do próximo ano. Em 25 de abril deverá deslocar-se a Portugal o sambista Martinho da Vila. A cantora Tetê Espíndola virá em outubro, enquanto Lucinha Lins e Cláudio Tovar devem encerrar em Lisboa as temporadas que pretendem realizar em cidades europeias. Os espetadores das emissões do sistema brasileiro de televisão puderam assistir no dia de Natal a um pograma especial sobre o cantor Ney Matogrosso gravado pela RTP, em Lisboa. Entretanto, anuncia-se no Rio de Janeiro que Paco Bandeira dará uma série de espetáculos nesta cidade por iniciativa do programa de rádio luso-brasileiro «Seleções portuguesas».”
Sexta-feira, 28, “a breakdance pode afetar seriamente o pescoço, a cabeça, os ombros e os testículos – segundo relatório fornecido hoje pela Associação Americana de Medicina. A breakdance, que tanto pode ser dançada de pé como estendido no chão, inclui rápidos movimentos da cabeça, do pescoço e dos ombros que, segundo os médicos, podem ser divertidos mas são um risco de morte. O documento afirma que vários jovens já tiveram de ser tratados por lesões provocadas por essa forma de dança, até agora leves, como fraturas de braços e pernas, rotura de ligamentos e feridas nos ombros e testículos. Os médicos afirmam que, potencialmente, esta dança pode levar a partir o pescoço, a paralisias várias e estrangulamento dos testículos, que pode cortar a circulação e causar gangrena.” [1]
Sábado, 29, “o défice global do setor público administrativo previsto pelo governo para 1985 é de 335 milhões de contos – informou uma fonte oficial. A mesma fonte disse que «esse é o défice previsto para o Orçamento do Estado», acrescentado que o resto do setor público administrativo deverá apresentar contas globalmente equilibradas, uma vez que o governo prevê lucros em alguns Fundos Autónomos, nomeadamente no Fundo de Abastecimentos. O governo tinha anunciado em novembro, em comunicado de Conselho de Ministros, que o défice do Orçamento do Estado para 1985 seria de cerca de 312 milhões de contos. O acréscimo de 23 milhões de contos significa, segundo as fontes «uma opção no sentido de um ligeiro relançamento da economia» no próximo ano. Os setores privilegiados com este aumento das despesas públicas foram as obras públicas, as autarquias (que acabaram por ver consagrada no OE uma verba de 65 milhões de contos) e algumas empresas públicas, de modo a garantirem a concretização dos seus planos de saneamento económico e financeiro. O défice do Orçamento do Estado deste ano, negociado com o Fundo Monetário Internacional, deveria representar 6,2 % do Produto Interno Bruto mas «deverá situar-se próximo dos 9 %». O aumento do défice do Orçamento resultou da ultrapassagem das metas negociadas com o FMI para o crédito ao setor público alargado (Orçamento do Estado, mais Fundos Autónomos e empresas públicas). A taxa de inflação, que em 1984 se situou acima do previsto, e a ultrapassagem das metas para o crédito ao SPAL são as duas únicas cláusulas fundamentais negociadas com o Fundo Monetário Internacional não cumpridas já que o crédito interno, o défice da balança de pagamentos e a dívida externa ficará abaixo dos níveis negociados com o FMI. A taxa de inflação média prevista para 1984 era de 24 % e deverá ser da ordem dos 22 %. Este último valor foi conseguido devido ao adiamento, pelo governo, de aumentos de preços de bens e serviços essenciais programados para o último trimestre deste ano (combustíveis e transportes, nomeadamente) e que se prevê venham a acontecer no início de 1985.”        
Sábado, 29, “o FMI aprovou um empréstimo em «stand by» à Argentina, completando um pacote financeiro multilateral para a reestruturação da dívida externa argentina, que supera os 45 mil milhões de dólares. A junta executiva do FMI decidiu conceder à Argentina uma linha de crédito contingente de 1419 milhões de direitos especiais de transferência, equivalentes a cerca de 1405 milhões de dólares, por um período de 15 meses. O FMI, ainda, prevê mais 275 milhões de direitos especiais de transferência.” 
Sábado, 29, “os emigrantes vão passar a pagar impostos pelos seus depósitos em bancos portugueses que vencem uma taxa de juro líquida de 30 % ao ano, soube-se de fonte oficial. O Orçamento do Estado para 1985, aprovado quinta-feira pelo governo, prevê um imposto sobre estes depósitos que reduz a sua remuneração líquida para 24 %. No entanto prevê-se que metade do imposto não seja suportado pelos emigrantes, pelo que o rendimento líquido dos seus depósitos deverá situar-se nos 27 %. Os depósitos dos emigrantes no sistema bancário português ascendem a cerca de 700 milhões de contos. A mesma fonte acrescentou que, para além da introdução de impostos sobre os depósitos dos emigrantes serão, ainda, aumentados os impostos sobre todos os depósitos em bancos portugueses.”  
Sábado, 29, “a dívida externa portuguesa deverá situar-se em 15/16 mil milhões de dólares no fim deste ano, 21 % dos quais correspondentes ao vetor de curto prazo, disse hoje à ANOP uma fonte do Banco de Portugal. Em moeda nacional, a divida corresponde a cerca de 2,5 mil milhões de contos. Este valor significa uma evolução altamente favorável no perfil temporal da dívida, pois, no fim de 1982, o vetor de curto prazo representava 33 % do total, acrescentou a mesma fonte. A evolução favorável da dívida externa resultou do facto de o défice da balança de transações correntes ficar este ano em cerca de 700 milhões de dólares (1250 milhões negociados com o FMI), ou seja, 3 % do Produto Interno Bruto. Estimativas do Banco de Portugal indicam que o défice das transações correntes de janeiro a setembro de 1984 foi de 456 milhões de dólares (1300 milhões em igual período do ano passado), o que garante aquele défice no conjunto do ano. O défice da balança de transações correntes atingiu um recorde de 3200 milhões de dólares no fim de 1982, diminuindo para cerca de 1300 milhões no fim do ano passado. Deve situar-se este ano em pouco mais de metade deste valor. A evolução favorável do défice externo durante este ano resultou de uma recuperação das receitas em dólares do turismo (subiram 16 % de janeiro a setembro) e as remessas dos emigrantes, que praticamente estagnaram em dólares, invertendo a tendência para a diminuição verificada em anos anteriores. A diminuição do défice externo fica, ainda, a dever-se à melhoria da balança comercial e à queda da atividade económica (o Produto Interno Bruto deverá ter um crescimento negativo superior a 2 %), bem visível também na diminuição das importações, nomeadamente de bens de equipamento, o que se refletiu numa queda do investimento de cerca de 20 % em termos reais. Em 1984, os salários deverão ter caído em 11 % e o consumo em 4 %. Para 1985, prevê-se um ligeiro relançamento da atividade económica, que passa por um crescimento de défice da balança de transações correntes para cerca de mil milhões de dólares. A verificação deste valor é possível – segundo os cenários elaborados por entidades oficiais – com um crescimento do PIB em 3 %, das exportações e das importações em 8 % cada, em volume, e um crescimento das receitas do turismo de 10 % em dólares e nova estagnação nas remessas dos emigrantes. Para 1985, Portugal precisará de cerca de 2,7 mil milhões de dólares de crédito externo, sendo 1,7 mil milhões para amortizações.”            
 Sábado, 29, “um incêndio que deflagrou esta madrugada, pelas 2h45, nas traseiras do edifício da firma Braz & Braz, na rua de Santa Catarina, no Porto, provocou 20 mil contos de prejuízo, segundo informou à NP um dos responsáveis da firma. (…). O incêndio destruiu completamente os segundo e terceiros pisos e a zona do armazém, deixando, incólume, a área reservada ao centro comercial que, assim, pode continuar a operar. O facto de se encontrarem a dormir nas instalações 15 trabalhadores, que por morarem longe pernoitavam na empresa com vista a procederem a obras de remodelação dos armazéns, possibilitou que o alarme, e consequente combate às chamas, fosse feito em tempo útil, limitando, deste modo, as consequências. Contudo, o ataque ao sinistro foi prejudicado pela explosão de três botijas de gás, instaladas na cozinha, onde os trabalhadores preparavam as suas refeições. Funcionários da firma consideram que o sinistro deve ter tido origem num curto-circuito, já que não existiam aquecedores no edifício, e é pouco provável que qualquer cigarro pudesse desencadear as chamas às 2h45 da madrugada.”       
Segunda-feira, 31, “Zeca Afonso: a sua voz já não canta e os seus dedos já não dedilham a viola. Gravemente doente, Zeca mantém a mesma lucidez e a mesma combatividade de sempre. Sente-se honrado por este poder o ignorar. Acusa as editoras para quem trabalhou de não lhe pagarem aquilo a que tem direto. Diz, sem rodeios, que quem lhe tem valido é a «sociedade dos amigos anónimos». E afirma, para todos ouvirem, que é este o momento de voltar a ser combativo. (…). Zeca tem consciência total da sua situação. Foi ele quem, na tarde de sábado último, em sua casa, no Azeitão – onde vive com dois dos seus quatro filhos e com Zélia, essa espantosa companheira de há longos anos – nos falou cruamente do que tem vivido, do seu dia-a-dia, do amanhã que chegará. (…). «Estou com um aspeto porreiro, não estou? Sou uma espécie de bomba de neutrões: por fora, corda de viola, por dentro, pão bolorento». Os médicos – e tantos já consultou – dizem que Zeca sofre de esclerose lateral amiotrófica. E ele explica para os amigos: é uma doença que afeta todo o sistema nervoso, que avança a pouco e pouco e vai provocando a paralisia gradual, através dos nervos. Os primeiros sintomas apareceram quase há quatro anos. Zeca já recorreu praticamente a tudo o que era possível recorrer. Gastou o que tinha e o que não tinha. (…). «O governo? O Estado? Estou-me… para eles», responde sem hesitar. (…). Falar agora das dificuldades por que tem passado poderia fazer parecer que estaria a pedir alguma coisa a alguém. E Zaca, vertical como sempre o foi ao longo da sua vida, não suporta essa ideia. Insiste. «a única coisa que exijo é que sejam dadas condições para que todos os indivíduos que têm  a minha doença possam ser tratados. Afinal, eu até nem me posso queixar… Agora conheci muita gente na minha situação que já deixou de fazer os tratamentos de que necessita porque não tem dinheiro, não tem possibilidade financeira. É revoltante».
Um exemplo: um dos medicamentos fundamentais para o tratamento desta doença – pelo menos para retardar o seu avanço – é o Interferon, que vem diretamente da Dinamarca. Cada ampola custa cerca de cinco mil escudos. Zeca Afonso esteve quase um ano a tomar uma ampola por dia. Agora, é de dois em dois dias. Fácil, portanto, de fazer as contas. E só desde junho é que a ADSE, a que tem direito, uma vez que foi reintegrado no ensino, de onde havia sido expulso no tempo do fascismo, lhe paga 50 % do preço do medicamento. Mas não é só o Interferon. Zeca já foi a França, Inglaterra, aos EUA, à Roménia, sempre em busca de um remédio, de um tratamento, e algo que o pudesse curar. Sempre à sua custa, com duas exceções de permeio: as viagens a Nova Iorque e a Paris foram arranjadas por dois amigos, o Manuel Beça Múrias e o Joaquim Calhau, este da CGTP. (…). «Posso parecer psicologicamente bem, mas para os desabafos quem me tem aturado é a família». (…). «Gostaria de poder intervir mais no que se passa no meu país. O que me custa é, no período de crise em que vivemos, não poder regressar à estaca zero e andar de terra em terra a lutar, nos limites que me cabem, para atirar com este sistema todo abaixo». (…).
É com azedume que Zeca Afonso fala das duas editoras para quem trabalhou. A Sassetti [2], com quem tem um contrato ainda em vigor, nem os seus telefonemas atende. Desde setembro que deixou de pagar aquilo a que, mensalmente, o cantor tem direito. É certo que Zeca Afonso, segundo o contrato, deveria ter feito três LPs. Só fez um, o «Como se fora seu Filho», que teve «uma publicidade fraca». Mas em contrapartida a editora fez dois outros discos, com base no espetáculo de homenagem no Coliseu. Zeca sublinha que, em termos humanos, tem as melhores relações com o pessoal da Sassetti. Não entende é o comportamento da editora em si, «de profundo esquecimento», «como se eu não existisse». «Não tem dinheiro?» - pergunta Zeca Afonso antes de dar ele próprio a resposta. «Então ao menos um telefonema a dizer qualquer coisa. Quando eu vivia em Coimbra, no Beco da Carqueja, eu não tinha dinheiro para pagar as minhas dívidas – mas empenhava tudo, chegando a ficar apenas com a cama e uma mesa. Mas paguei tudo, que diabo… A verdade é que a insolvência entrou nos hábitos deste país. Deve impunemente quem pode» - desabafa, deixando a Sasseti em paz para falar então do Arnaldo Trindade. «Pois é. O Arnaldinho… Desde 82 que não faz contas comigo. E quanto às cassetes do Arnaldo Trindade: nem um chavo! Ele já disse que enquanto a Sociedade Portuguesa de Autores não resolver a questão das cassetes piratas ele não paga os diretos de autor das cassetes que ele faz. Olha, convido-te a pensar quem é que promove as cassetes piratas». (…). Zeca fez questão de sublinhar que Arnaldo Trindade nem sempre teve, para com ele e para com outros cantores, o comportamento que agora tem. «Há uns belos anos atrás Arnaldo Trindade foi a primeira editora a dar-me condições para viver do disco. Mas os métodos de trabalho da editora foram-se degradando até que chegou ao que chegou. Por isso muitos cantores – além de mim o Sérgio Godinho, o Fausto, o Vitorino, por exemplo – foram saindo de lá. É curioso: no tempo do fascismo a AT estava interessada em gravar a nossa música… Mas agora… olha, não nos podemos esquecer que há toda uma situação político-social que protege o calote unilateral. Isto é: os patrões a não pagarem aos empregados». (…). «Olha, se calhar morri como cantor na altura própria. Não há que prolongar artificialmente uma atividade que só se justifica num dado período. Agora tenho aqui – faz um gesto indicando os seus livros – muitos calhamaços que nunca tive tempo para ler. Ao menos a doença dá-me essa possibilidade. É o que eu tenho feito: ler e estudar». (…).
«Eu até sou um privilegiado: a secretaria de Estado da Cultura dá-me um subsídio, ou lá o que é, de 15 contos mensais. Ou melhor, de 15 contos menos 45 escudos, pois tenho de pagar um selo qualquer… O que eu não aceito é que, por exemplo, os arquivos sonoros do Giacometti estejam a apodrecer, isto quando o ministério da Cultura, que ainda não os adquiriu, acabou agora de dar 6000 contos ao Rui Guedes por uns manuscritos da Florbela Espanca, que esse senhor comprou a um familiar da poetisa por 45 contos… Uma vergonha. Esses manuscritos deviam ser confiscados pura e simplesmente… E o trabalho do Giacometti, um trabalho de anos, militante, pessoal, recolhendo parte do nosso passado coletivo, está a perder-se irremediavelmente, como parece ter já acontecido com a parte relativa ao Minho e Trás-os-Montes. Só há dinheiro para comitivas asiáticas como a que foi ao Japão, com cronistas mundanos e tudo. Isso é que é importante. Como o são as jornadas destinadas a genuflexões junto da CEE… Coitado do Ernâni Lopes: o que ele precisava era de um genuflexório especial».”         
Segunda-feira, 31, “os hotéis, casinos e discotecas têm já desde ontem a lotação quase esgotada para o réveillon com preços que variam entre 2500 e 12 500 escudos. Em contacto efetuado junto os principais casinos, a NP apurou que os preços de entrada vão desde 5 mil escudos a 7500 escudos e segundo afirmam os responsáveis «está tudo quase esgotado». Comparativamente ao ano passado, os preços aumentaram cerca de mil escudos em média «mas nem por isso houve uma quebra de procura». Desde o norte ao sul do país nenhuma das unidades hoteleiras registou baixa de reservas. Na região de Lisboa, o Hotel do Guincho, que realiza pela primeira vez um réveillon, o preço para a passagem do ano atinge os 12 500 escudos mas nem por isso a procura é menos em relação a outras casas de espetáculos com preços bastante inferiores. No Casino Estoril, que no ano passado cobrou cinco mil escudos por pessoa e conseguiu uma casa esgotada, aumentou este ano cerca de 50 % o preço dos bilhetes e um responsável da empresa disso à NP que «também vamos esgotar». No Algarve, o Casino Monte Gordo que cobra o preço mais elevado, cinco mil escudos com jantar completo e espumante, tem ainda várias atrações para animar os festejos.” 
Segunda-feira, 31, “são pouco vistos nas ruas pelo simples facto de serem poucos, e quando aparecem é em pequenos grupos particularmente ruidosos. Muitos pensarão que eles não existem em Portugal ou que, se já existiram, o punk é qualquer coisa já morta entre nós. Não é verdade. Ainda este mês, três dias antes do Natal, eles, os punks, reuniram-se numa manifestação plena de significado: um «Requiem por um dia de Natal», segundo constava nos cartazes (tirados a fotocópia) que espalharam pela baixa lisboeta, logo tapados por colagens de instituições mais fortes. Foi um pequeno festival, um meeting quase clandestino numa sala obscura e com nome curioso e muito a propósito: A Teia, ali na Junqueira. As bandas presentes tinham nomes sugestivos: Fúria Tribal, Napalm Clímax, Grito Final e uns Youngsters que estavam lá certamente por engano, pois não tocavam nada aproximado ao punk. A assistência um naipe de cristas ou cabelos ouriçados com sebo, blusões pregados, jeans rasgadas, cervejas e escarros. Mobil da ocasião: acusar a hipocrisia presente na atual quadra festiva em que uns engolem o bacalhau e as filhoses lamentando entre garfadas ou trincadelas a miséria dos que têm salários em atraso ou já nem sequer têm emprego. Sim, os miúdos têm um aspeto asqueroso, um comportamento agressivo, mas para aqueles em que isso não funciona como moda de ocasião existe premeditação assumida. Em capa de um disco do guitarrista e cantor punk Richard Hell de há uns anos atrás, o músico aparecia com um blusão aberto mostrando escritas no peito estas palavras: Tu fizeste-me. O movimento punk, cá em Portugal como em outros sítios, é acusativo, logo político [3]. Entre nós é comum a postura anarquista niilista, que acabou por se fechar sobre si própria. Hoje estes grupos, estes punks, ficaram enredados na apologia da destruição de tudo, da afirmação pela negativa. Por isso um processo de dissidência em que estão por exemplo os integrantes dos Napalm Clímax, que desejam igualmente a proposta, o enunciado positivo, o que os faz experimentar incursões musicais noutras áreas que não somente o punk. No novelo ainda os Fúria Tribal, com uma música pretendida no seu estado mais instante, ou os Grito Final, com um som caracteristicamente segunda geração. Este minifestival terá sido o segundo ou terceiro do género, e em todos os casos acontecidos por auto-organização, não querendo nenhum deles a promoção. A exceção foram os Crise Total, que tocaram no Rock Rendez-vous e deram uma entrevista à Música e Som, afastando-se do meio. Aqui a marginalização é buscada, a sombra procurada: querem-se como um cancro inlocalizável, irrecuperável, algures numa pequena fibra do corpo da sociedade (não por acaso deram os punks ao seu fanzine, ainda com um único número divulgado, o nome de Subversão). Intervencionistas e provocadores admiram canções como «Sou o que sou», «Revolução» (Grito Final) ou «Virão os dias», «Antigovernamental» (Napalm Clímax). O punk é uma música urbana, um movimento de juventude como o foram por exemplo os Beatniks, décadas feitas: um modo mais de como se manifesta a nossa decadência fim de século e de milénio, na vivência como na cultura. Vem aí o século XXI e o terceiro milénio, e lembrem-se: se há punks é porque a rapaziada não é feliz.”
___________________
[1] Os tomates estão salvos. “Os organizadores dos Jogos Olímpicos de Paris 2024 propuseram o breakdance como uma das modalidades da competição. Ao breakdance, um estilo de dança tipicamente associado ao hip-hop ou ao funk, juntam-se nesta proposta o skateboarding, a escalada desportiva e o surf, sendo que estas modalidades fazem a sua estreia nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Os quatro desportos aguardam agora aprovação do Comité Internacional Olímpico, cuja decisão deverá ser conhecida em dezembro de 2020, depois dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Um desporto «urbano, universal e popular», com «mais de um milhão» de praticantes em França. Foi assim que os organizadores dos Jogos Paris 2024 justificaram a proposta de incluir o breakdance como modalidade. «Propomos trazer o breakdance e as suas famosas batalhas para os Jogos Olímpicos de Paris 2024 pela primeira vez na história», acrescentaram.”
[2] “Sendo frequente encontrar lojas que se dedicavam à venda de partituras para piano, para além de editoras especializadas, de entre as quais valerá a pena destacar a Sassetti e Cª Editora, sediada na Rua do Carmo, em Lisboa, editora cujo nome teve origem numa família italiana, e que acabou por envolver-se também em edições discográficas. A casa Sassetti existia desde 1848 e por lá passaram alguns dos maiores artistas portugueses dos últimos 150 anos. É um património musical de valor inestimável, uma inteira fatia da história da cultura portuguesa. Mas a Sassetti foi também uma das empresas vítimas do 25 de Abril, altura em que entrou em regime de autogestão que conduziria ao seu colapso comercial. Alguns artistas, como Sérgio Godinho, Fausto e José Mário Branco tomaram depois a iniciativa de recuperar o material que haviam gravado para essa produtora, tendo em vista a sua reedição em CD. Foram, todavia, iniciativas pontuais e o grosso do riquíssimo património da Sassetti ficou bastante votado ao esquecimento ao longo de toda a década de 80. A Strauss comprou, em 1991, o catálogo Sassetti.”
[3] “Ainda em 1977, Zé Pedro, à época jornalista no Diário de Lisboa, tinha testemunhado em primeira mão o poder da redução do rock aos dois ou três acordes essenciais apanhando bandas como o Clash num festival em França, em Mont de Marsan. «Nessa altura», recordou o guitarrista à Blitz aquando do 30.º aniversário do primeiro concerto dos Xutos & Pontapés, «ainda havia pouca gente sintonizada com o fenómeno punk, mas felizmente o António Sérgio tinha começado muito cedo a tocar punk na rádio, ainda na Rádio Renascença. Vivíamos aqueles tempos pós-25 de Abril com toda a gente muito aluada e aberta às cenas de arte. Havia uma enxurrada de informação para digerir. E depois havia um grupo de pessoas eu, o Paulo Borges [Minas e Armadilhas], o Pedro Ayres [Magalhães, Faíscas]... que se juntava na Munique, trocava discos e tinha grandes conversas onde se comentava a música que o António Sérgio passava, até se trocavam cassetes com gravações do programa dele. A informação ia rodando e havia muita curiosidade sobre o que era isto do punk, mas não sei se havia propriamente um movimento». Com movimento ou sem ele, «é então que o incansável António Sérgio», escreveu António Duarte, «decide lançar a público a primeira banda punk portuguesa, os Faíscas, produzida por ele próprio». E começa aqui a história do «punk tuga». Como sempre nestas coisas há algum debate sobre qual terá sido, de facto, a primeira banda punk nacional. No documentário Meio Metro de Pedra, de Eduardo Morais, Francisco Dias, um dos «historiadores oficiosos» que ajudam a contar a «nossa» história do rock, distingue os Faíscas mais «classe média», a tocarem um «rockabilly speedado» dos Aqui d'el Rock «mesmo das ruas», «punk a sério». Paulo Pedro Gonçalves, membro fundador dos Faíscas e mais tarde dos Corpo Diplomático e Heróis do Mar, tem uma visão diferente, que nos explica, a partir de Londres: «os Faíscas foram a primeira banda punk portuguesa. Os Aqui d'el Rock apareceram mais ou menos na mesma altura mas não eram uma banda punk. Em Inglaterra na altura teriam sido considerados pub rock como os Dr. Feelgood ou Ian Dury and The Kilburns. Os Faíscas tinham a atitude, a música, as letras, a imagem e a vontade de derrubar o status quo. Tínhamos um ‘following’ punk, uma fanzine, invadimos os palcos do rock português para nos deixarem tocar, criávamos situações de caos, destruição e de anarquia. O nosso lema era ‘violar o sistema’. Éramos verdadeiros Situacionistas». Óscar Martins, dos Aqui d'el Rock, explica no mesmo documentário que a diferença podia passar por o seu grupo alinhar mais com a sonoridade americana e menos com a atitude cultivada nas escolas de arte que talvez animasse um pouco mais a abordagem dos Faíscas.”

na sala de cinema

Nati con la camicia” (1983), real. E.B. Clucher, c/ Terence Hill, Bud Spencer, Buffy Dee … sob o título local “Espiões por conta própria” estreado quinta-feira, 15 de dezembro de 1983 no Politeama e no Roma. “Rosco Frazer, um charmoso burlão e o recém-libertado da cadeia, Doug O’Riordan, condenado por afundar um iate que o incomodava, encontram-se durante uma briga num restaurante de estrada. Partem num camião, cada um julgando que o outro era o motorista. Pouco depois a brigada de trânsito para-os por excesso de velocidade, e como não conseguem apresentar os documentos, são confundidos com ladrões de camiões que a polícia procurava. Contudo, graças a Rosco ser ventríloquo, escapam. Doug preferia fugir sozinho mas não consegue livrar-se de Rosco, que tinha engraçado com ele. Juntos vão para o aeroporto a fim de se esconderem noutro estado. Como o voo para Miami estava lotado, fazem-se passar pelos passageiros Steinberg e Mason, que falharam a recolha dos bilhetes, desconhecendo que eles são agentes da CIA em missão. Como tal, são abordados por outro agente pouco antes de o voo decolar que lhe entregou uma mala contendo um milhão de dólares. Depois de várias peripécias e confusões, são levados para a sede da CIA para conhecer Tiger, o seu novo chefe, e são solicitados em várias ocasiões para omitir do seu relatório final incidentes embaraçosos que dariam uma imagem negativa dos operacionais da CIA.”
Diálogos: na abertura do filme, Rosco patina em estrada americana, encontra rapariga num descapotável. Rosco: “Vais para sul?” Rapariga: “Sim, para sul.” Rosco: “Dás-me boleia?” Rapariga: “Claro.” Rosco: “Volto já.” Rapariga: “Fico à espera. Então? Queres esta boleia ou não?” Rosco salta para banco de trás onde ela estava. No plano seguinte Rosco está outra vez a patinar. / Tim: “Doug, chamas a isto justiça? Percebes que me enfiaram aqui toda a vida por causa de um erro? A sério, deram-me 20 anos e eu pedi a revisão do processo. E eles aceitaram. Na revisão tiraram-me os 20 anos e condenaram-me a prisão perpétua.” Doug: “Eu sei, eu sei” Tim: “Chamas a isto justiça? Um coitado como eu comete um pequeno erro. E fi-lo de boa-fé, mas condenaram-me a perpétua. Sabes como foi, certo? Eu trabalhava numa grua.” Doug: “Eu sei, eu sei como foi. O juiz decidiu que largar uma trave de cimento em cima da cabeça da tua sogra não foi uma boa ação. Sabes como são os juízes.” Tim: “Mas eu pensei que era a minha mulher! Tinha toda a razão para fazê-lo.” / Tigre: “Sim, já percebi, mas que me dizes do Fidel Castro?” Agente: “Acordou a meio do dia, diretor.” Tigre: “Que raio de revolucionário é esse? Dorme mais que a Raquel Welch.” Agente: “Fez uma partida de basquete à noite e depois copulou ininterruptamente até às seis da manhã.” Tigre: “E as condições físicas?” Agente: “O satélite Esculápio só transmitiu os dados.” Tigre: “Então?” Agente: “Tensão arterial 130/80. Frequência cardíaca em repouso 42, em esforço 43. Tonificação muscular excelente. Sono tranquilo, digestão normal. Fezes abundantes e consistentes. Sem aerofagia ou outras anomalias.” Tigre: “É são como um pero, esse barbado.” Agente: “Excelente, diretor.” / Tigre: Não, mas que dizem? Ninguém chega a piloto, alpinista, mergulhador, atirador de primeira, campeão de karaté, paraquedista, sabotador, lançador de facas, perito em códigos, em transmissões, em sinalização, em camuflagem, em medicina e em química apenas por sorte.” Doug: “E o agente Steinberg também é ventríloquo, diretor.” / Tigre: “Bem, para além dos vossos dotes, pedi ao Sam para preparar uma coisa extra para vocês, força, Sam.” Sam: “Estes dois frasquinhos têm aquilo a que nós chamamos Eros Plus. Uma essência altamente erotizante. Sabem bem da importância da relação com o outro sexo no vosso trabalho. Uma pequena borrifadela nas vossas roupas e nenhuma mulher será capaz de lhes resistir. E vão transformar-se numa mina inesgotável de informação.” Rosco: “E funciona? Eu não preciso. Já sou fascinante. Experimente nele.” / Tigre: “Mostre-lhe a outra maravilha.” (rolo de papel higiénico) Rosco: “Ele é um crânio.” Sam: “Se cortarem pelo picotado, sai como papel higiénico normal. Em caso de absoluta urgência, também pode ser destinado ao uso, digamos, tradicional, mas…” Doug: “Mas…?” Rosco: “Mas…?” Sam: “Usado na longitudinal torna-se muito resistente. Pode puxar um camião, suportar o peso de um teleférico.” Doug: “É bom para fugir por uma janela.” Rosco: “Sam, deves ter bebido leite de raposa.” / K1: “Bem-vindos a bordo do futuro.” Doug: “Esta tina não está nada mal, K.” K1: “Ora, é uma coisinha de nada.” Rosco: “A propósito, o que significa K1?” K1: “Nada, absolutamente nada. Gostei de K1 e usei-o. É bastante misterioso, não acham?” / K1: “É uma curiosidade legítima. Num futuro muito próximo, senhores, eu, o K1, dominarei o mundo.” Rosco: “Não está a ter mais olhos do que barriga?” / K1: “Exatamente 30 segundos depois do lançamento, partirá um míssil do meu submarino atómico que está fundeando ao largo da Florida. Intercetará o vaivém a exatamente sete milhas na perpendicular do cabo Canaveral. O impacto será emitido em direto pelas estações de televisão de todo o mundo. A cabeça do meu míssil conterá um explosivo mortífero, a bomba K. Quando intercetar o vaivém, explodirá na colisão, e difundirá as suas radiações por todo o planeta. A bomba K é o explosivo mais formidável que já foi concebido pela mente humana. Manterá intacto, tanto as pessoas como as coisas, mas apagará das mentes de todos o número.” Doug: “O número? Qual número?” K1: “Todos, todos os malditos números do primeiro ao último.” / Doug: “Imaginas um mundo sem números? Um jogo de futebol não teria marcador.” Rosco: “É o fim.” Doug: “E não podes mais marcar um número de telefone. 3657… já não podes ligar para uma prostituta.” Rosco: “Nem pedir dois hambúrgueres.” / Tigre: “Não podem fazer esperar o presidente.” Rosco: “Presidente?” Doug: “Qual presidente?” Tigre: “Como qual? O presidente dos Estados Unidos, convidou-vos a passar com ele o fim de semana em Camp David.”

no aparelho de televisão

Os Trapalhões” (1975/1995), série brasileira transmitida aos domingos, pelas 21h25, na RTP 1, entre 13 de janeiro / 17 de fevereiro de 1980. “Foi um programa humorístico brasileiro, criado por Wilton Franco e protagonizado pelo grupo cómico do mesmo nome, composto por Didi, Dedé, Mussum e Zacarias; cada um desenvolveu uma persona cénica distinta. O grupo já obtinha sucesso na televisão e no cinema desde meados da década de 1960 [1]. (…). O programa era formulado por várias cenas de alguns minutos, em que tomavam parte situações cómicas dos protagonistas, às vezes com um deles, dois, três e mesmo com os quatro Trapalhões. Os assuntos das cenas eram, por exemplo, os Trapalhões se opondo a inimigos ou a si mesmos em disputas (nas quais Didi e qualquer um dos três Trapalhões que estivessem do lado dele saíam vitoriosos em quase todas as vezes), eles pregando partidas a outras pessoas e até entre si mesmos e os quatro cooperando entre si para chegar a um objetivo comum. Houve também, ao longo dos anos do programa, várias paródias de super-heróis tradicionais, como Super-Homem (frequentemente interpretado por Didi por causa de seu papel de líder), Batman (este mais interpretado por Dedé, devido ao seu papel de segundo em comando), Homem-Aranha, Fantasma, Hulk, etc. [2] Também houve, ao longo dos anos do programa, os Trapalhões mencionando a campanha a favor dos deficientes físicos e a favor do menor carente.” [3]Noves fora… nada!” (1981), concurso transmitido às sextas-feiras, pelas 22h05, na RTP 1, entre 16 de outubro de 1981 / 5 de fevereiro de 1982. ”Artur Agostinho volta à televisão como apresentador / animador de um novo concurso [4]. Veremos hoje o programa zero, com emissão explicativa.” “Aliciante concurso com prémios em ouro que podem ir até aos mil contos.” [5] Mário Castrim: “Quanto ao concurso «Noves fora nada», fica assinalado o regresso de Artur Agostinho e Artur Varatojo. Para o primeiro, o facto representará algo de muito importante no seu equilíbrio humano, social, profissional. Será uma batalha difícil. Desejo que a vença. Sobre o concurso propriamente dito, registe-se uma frase de Varatojo: «Como eu costumava fazer antigamente…» Eis um perigo. A televisão nunca se pode fazer como antigamente. Este concurso, na sua primeira apresentação, sabe-me a chá requentado. Oxalá a realidade me desminta.” [6]
____________________
[1] Curiosidades sobre os Trapalhões. “1.ª - Exibição por 18 anos ininterruptos de «Os Trapalhões». Durante 18 anos, o quarteto atrapalhado Didi, Dedé, Mussum e Zacarias animou os domingos. 2.ª - A escolha do nome completo de Didi. A personagem de Renato Aragão chama-se Didi Mocó Sonrisal Colesterol Novalgina Mufumbo. A escolha do nome foi feita durante uma rábula do próprio programa. Saiu da cabeça do próprio artista. 3.ª - A escolha do nome de Dedé. Manfried Sant’Anna é o nome real do ator que representa a personagem Dedé Santana. O nome é a mesma alcunha do ator, que foi dado desde criança por seu irmão. 4.ª - A escolha do nome Mussum. Mussum surgiu antes mesmo de «Os Trapalhões». O humorista servia no Exército e estava sempre barbeado e com a cabeça raspada e, por isso, recebeu o apelido. Mussum é um peixe escuro e sem escamas. 5.ª - «Adoráveis Trapalhões» (1965). Poucos fãs devem se lembrar, mas a origem de «Os Trapalhões» chamava-se «Adoráveis Trapalhões», na TV Excelsior (1965), e tinha no elenco Renato Aragão (Didi), Wanderley Cardoso, Ivon Cury e Ted Boy Marino. 6.ª - Morte de Mussum pôs fim à série. A Globo tentou reviver a turma atrapalhada com novos atores, mas não teve sucesso. Mussum morreu em 29 de julho de 1994, quando a trupe se desfez. Já Zacarias morreu 4 anos antes, em 1990.”
[2] Mário Castrim: “Pelo que nos foi dado ver pela primeira emissão, que data dos primeiros tempos de 1977, quando a «abertura» brasileira apenas buscava as primeiras chupadas no biberão, Trapalhões orienta-se para o riso de cócegas, riso que não quer ter juízo, quer apenas ser um riso de guizo, em suma, um riso que em 1977 não queria ter prejuízo. Esta comicidade, este palhacismo, tem sem dúvida as suas raízes e os principais atores da nova série são profissionais de qualidade. Mas, como espetáculo novo, tem muitos trapos velhos. O truque das janelas, o dos fantasmas e macacos, o da vela, são barbudíssimos. Ora múmias de pirâmides não fazem rir. Conceda-se a dúvida ao programa. Foi a primeira emissão, grande parte do jogo importante está na manga. Mas a recordação do «Planeta dos homens» é uma terrível sombra. As trapalhadas inteligentes são uma coisa. As trapalhadas chochas, são outra. E uma audiência inteligente – ai está uma coisa em que eu profundamente acredito.”  
[3] Os Trapalhões em Portugal” foi um programa exibido durante três anos, de 1995 a 1998, pela SIC em Portugal. “Depois da morte de Mussum em 1994, o programa «Os Trapalhões» ainda sobreviveria alguns meses no Brasil. Em 1995 o programa acabou por aqui, mas continuou com a dupla Renato Aragão e Dedé Santana em Portugal. «Os Trapalhões em Portugal» foi produzido entre 1995 e 1997 pela emissora portuguesa Sociedade Independente de Comunicação (SIC), famosa pela sua forte ligação com a TV Globo (A SIC exibe programas e telenovelas brasileiras por lá. Até o logotipo da emissora foi criado por uma figurinha carimbada global: Hans Donner). «Os Trapalhões em Portugal» levava a mesma fórmula do programa consagrado no Brasil com algumas adaptações para a realidade dos portugas. Piadas e alguns musicais, por exemplo, sofriam alterações para termos, regiões e cidades da terrinha. Além da dupla Renato Aragão e Dedé Santana (Lá também chamados de Didi e Dedé), havia a presença de Roberto Guilherme (chamado no programa e conhecido entre os portugueses somente como Pincel) e atores portugueses. Convidados completavam o casting do programa, que após seu término ficaram muito conhecidos por lá como, por exemplo, Cristina Möhler e a cantora Bárbara Barradas. «Os Trapalhões em Portugal» teve relativo sucesso entre os lusitanos sendo lançado até vários VHS de momentos do programa. Uma pena que os portugueses não tenham convivido com o humorismo de Mussum e Zacarias também.” – Margarida Reis, a secretária do Claxon, Ruby, também participou nesta série, nos «Malucos do Riso» e apresentou o “Mini-Chuva de Estrelas”. Vive nos Estados Unidos, onde casou com um norte-americano.    
[4] Artur Agostinho raspara-se para o Brasil após o 25 de abril, sob suspeitas de ser informador da PIDE. Ainda hoje não se sabe se foi ou não. Polícia de Estado, curiosa esta PIDE, eram poucos agentes, mas tinham uma vastíssima rede de informadores, que os elevava à excelência. Na madrugada do dia 26 de abril, operou-se um milagre superior ao de Fátima, não havia mais informador nenhum, todos odiavam a odiosa PIDE.
No Brasil, Artur Agostinho escreveu a obra “Até na prisão fui roubado!”. “Sou português, tenho 55 anos de idade mas… não sou escritor. Porque não é escritor quem quer. Verdade seja que nunca tive pretensão de o ser e, muito menos, vocação para tal. (…). Tive apenas uma pretensão: respeitar a verdadedoa a quem doer. Nada mais do que isso. (…). O livro que começo a escrever hoje, nesta maravilhosa cidade do Rio de Janeiro, seria o segundo se o primeiro não tivesse sido apreendido na prisão de Caxias. Creio que esse teria um conteúdo humano bem mais forte, pois todo ele foi escrito sob um clima emocional que, até então, eu jamais havia respirado. (…). Por mim, se um dia voltar, não deixarei de passar por Caxias onde talvez ainda esteja, em qualquer arquivo, o manuscrito que um dia me roubaram durante a sádica busca feita na cela para onde me transferiram após dois meses de isolamento e onde aguardei, ainda mais um mês, a liberdade que me concederam na véspera de Natal de 1974, para que tudo tivesse o aspeto de um indulto muto cristão, a despeito dos terríveis crimes por mim cometidos. (…). Finalmente, entrei no edifício do Quartel entre alas formadas por aquela soldadesca que gozava, à sua maneira, o show que lhes oferecia gratuitamente a chegada de um preso inocente e ainda ingenuamente convencido de que estava apenas a ser vítima de um lamentável equívoco. (…).
Não sei quanto tempo fiquei especado à entrada da enfermaria-prisão. Lembro-me, apenas, que fui despertado por uma voz que me disse: «Você também? Venha para aqui e sente-se!». Olhei e vi o general Kaúlza de Arriaga, sorridente e tranquilo, como se estivesse numa simples e vulgaríssima reunião de amigos. Estava sentado num dos vários colchões espalhados pelo chão da enfermaria já que as camas (embora em número considerável) não eram suficientes para todos os «internados». (…). O general Kaúlza – recordo-me como se fosse hoje – estava sem gravata e com barba por fazer, sinal evidente de que também tinha sido «visitado» no cumprimento de ordens recebidas. Aproximei-me e sentei-me também, enquanto me fixava melhor nos meus companheiros de… «enfermaria». Havia ali muitas altas patentes das Forças Armadas e também algumas outras pessoas que eu conhecia, pelo menos de vista. Mas havia muita gente, para mim desconhecida. Recordo-me, porém, do comodoro Valente de Araújo, do general Raul de Castro e de outros cujo nome não vale a pena citar. Depois, quando mais tarde me levaram num carro celular para Caxias, veria mais gente conhecida como Moreira Baptista, Silva Cunha, Elmano Alves, o conde de Caria, Brás Monteiro, o pai do cavaleiro tauromáquico João Zoio e, até o pai do Ministro Melo Antunes que seria libertado já em Caxias, mas antes de dar entrada na cela que lhe estava reservada. Alguém quando o facto ocorreu, comentou a propósito: «Fala-se muto em acabar com os privilégios de alguns mas, afinal de contas, continua a valer a pena ter um Ministro na família…».” 
[5] Ouro, precioso metal, que fantasiaria qualquer jovem portuguesa numa vida de casada com um arquiteto ou um doutor. “Ela era uma daquelas raparigas bonitas e encantadoras nascidas, como se fosse um erro do destino, numa família de empregados de balcão no Grandela. Ela não tinha dote, nem expetativas, nem meios de se tornar conhecida, compreendida, amada ou casar com um homem rico e distinto, portanto, deixou-se casar com um funcionário irrelevante do ministério da Educação. Vestia-se de forma simples, porque nunca tinha sido capaz de pagar nada melhor, mas ela estava infeliz como se já tivesse sido rica. As mulheres não pertencem a uma casta ou classe, a sua beleza, graciosidade e chame natural tomam o lugar do berço e família. Delicadeza natural, elegância instintiva e agudeza de espirito determinam o seu lugar na sociedade e tornam as filhas dos plebeus iguais às mais requintadas senhoras. Ela sofria sem parar, sentindo que tinha direito a todas as iguarias e luxos da vida. Ela sofria por causa da pobreza da casa enquanto olhava para as paredes sujas, as cadeiras desgastadas e as cortinas feias.” Em “O colar”, Guy de Maupassant.
[6] Muito moderna Ann-Margret aderiu à moda de casar em minissaia. Casou em Las Vegas a 8 de maio de 1967. “Las Vegas, 9 - A estrela de cinema Ann-Margret, sueca de nascimento, casou-se, a noite passada, nesta cidade, com o ator Roger Smith. A cerimónia realizou-se inesperadamente. Vencida pela comoção, a atriz-cantora, de cabelos vermelhos, chorou enquanto repetia os votos de casamento, tendo feito uma pausa, a fim de se recompor. Para Ann-Margret, que nasceu nem 1941, em Estocolmo, foi o primeiro casamento. Roger Smith, de 32 anos, mais conhecido pelo seu papel de detetive na série de TV «77 Sunset Strip», foi casado com a atriz, australiana de nascimento, Victoria Shaw, de quem se divorciou em 1965.” – Razão mais que suficiente para casar com ela. Seis anos antes, em 1961, Ann-Margret cantado “Bill Bailey, Won't You Please… Come Home?” no screen test para o filme “State Fair” (1962), real. José Ferrer, c/ Pat Boone, Bobby Darin, Pamela Tiffin… sob o título local “A feira da vida” estreado segunda, 19 de novembro de 1962 no Tivoli.

na aparelhagem stereo

Enquanto a principal - e única - reivindicação do movimento #MeToo: que as mulheres possam aceder a quartos de hotéis de homens sem serem descuecadas, para beber, comer, snifar, numa camaradagem entre iguais, não tem expressão na lei – para que os homens não paralisem, ensinam-se nas escolas inclusivas, para convívio sociável intergéneros, que as mulheres nascem com um manual de instruções: “O que elas não gostam na cama”. “Torcer e esborrachar os seios. Esqueça o que viu nos filmes pornográficos! A não ser que ela lhe dê indicações para tal... Não aperte os seios selvaticamente, não lhe dê estaladas, nem torça os mamilos como se estivesse a sintonizar o rádio. Lamba, acaricie, beije e massaje carinhosamente. Tal como referido acima, aprenda a interpretar os sinais que lhe são passados. Ignorar as restantes partes do corpo. Contrariamente aos homens as mulheres têm mais zonas erógenas, por isso não salte diretamente para a vagina como se o mundo fosse acabar amanhã! Acaricie, lamba e beije as várias zonas aprendendo a apreciar esses momentos… vai deixá-la (ainda mais) louca de desejo! Não avisar na hora H. Tenha a decência e o cuidado de avisar quando estiver pronto a ejacular, principalmente se for sexo oral. Cabe à mulher decidir como quer terminar. Não obstante, não deverá ejacular para cima dela sem falar primeiro sobre o assunto. Empurrar a cabeça no sexo oral. Se está a receber relaxe e aprecie o momento. Não agarre a cabeça para fazer o movimento e deixe ser ela a comandar. Também não caia no erro de estar a puxar-lhe a cabeça para o pénis como que a dar-lhe a dica, enquanto ela o está a beijar por exemplo. Ela há de lá chegar, mas caso não, fale com ela sedutoramente ou faça-lhe primeiro sexo oral.” [1]
Gostos dos anos oitenta:
Jailbait” (1985), p/ Lemmy & Wendy O. Williams. “Em 1985, Wendy O. Williams, dos Plasmatics, convidou Lemmy Kilmister e ‘Würzel’ para tocarem o clássico dos Motörhead, «Jailbait» do álbum «Ace Of Spades» (1980), ao vivo no Camden Palace Theatre, em Londres. O concerto foi filmado e lançado num DVD chamado «Bump ‘N’ Grind». Também inclui outra versão dos Motörhead, «No Class», embora ‘Würzel’ e Lemmy não se tenham juntado a Wendy no palco durante essa música.” (Work That Muscle) Fuck That Booty” (1986), p/ Wendy O. Williams. Canção incluída no seu segundo álbum a solo, “Kommander of Kaos”, gravado em 1984 mas só editado em 1986. “Saindo de casa aos 16 anos, Wendy viajou à boleia pelo Colorado, ganhando dinheiro tricotando biquínis. Viajou para a Florida e Europa aterrando em vários empregos como nadadora-salvadora, stripper, cozinheira macrobiótica e empregada no Dunkin' Donuts. Após chegar a Nova Iorque em 1976, começou a atuar em espetáculos de sexo ao vivo e em 1979 apareceu no filme porno «Candy Goes to Hollywood». Nesse ano o agente Rod Swenson recrutou-a para os Plasmatics e envolveram-se romanticamente. A banda rapidamente tornou-se conhecida na cena underground local, atuando em clubes como o CBGB. (…). Os seus professores e outras fontes descrevem Wendy Williams como uma criança tímida de voz apagada, aluna mediana, que aprendeu a tocar muito bem clarinete na banda da escola – embora ela se tenha descrito imensas vezes como sentindo-se uma pária e era incompreendida pelos seus pais severos, a quem se referia como «cocktail zombies». Swenson lembrou uma entrevista na qual Wendy lhe disse que houve tentativas para a internar depois de se ter tornado adolescente rebelde. Dizia-se que ela «experimentou drogas e sexo desbragado» na adolescência (embora anos mais tarde, como adulta, em 1979, inícios de 80, se tornaria abstemia, nas palavras do seu parceiro). (…). Wendy tentou suicidar-se pela primeira vez em 1993 espetando uma faca no peito que se alojou no esterno. Entretanto, ela mudou de ideias e telefonou a Rod Swenson para a levar ao hospital. Tentou suicídio outra vez em 1997 com uma overdose de efedrina. Wendy morreu de ferimento de bala autoinfligido em 2 de abril de 1998, quando tinha 48 anos. Swenson, o seu parceiro há mais de 20 anos, regressou à casa onde viveram desde que se mudaram do Connecticut para Nova Iorque. Encontrou um pacote que ela deixou para ele contendo talharim de que ele gostava, uma saqueta de sementes de hortaliças para cultivar, balsamo de massagem oriental e cartas fechadas dela. As cartas de suicídio, que incluíam um testamento vital negando suporte de vida, uma carta de amor para Swenson e várias coisas a fazer, levaram-no a que procurasse por ela no bosque. Cerca de uma hora depois, ao anoitecer, ele encontrou o corpo numa área arborizada com a pistola ao lado. Ela aparentemente tinha estado a alimentar esquilos antes do suicídio, bem como colocara um saco na cabeça antes de disparar para poupar o companheiro da horrível visão. «O ato da Wendy não foi um ato irracional espontâneo», disse ele; durante quatro anos ela ponderou o suicido. Swenson descreveu-a como «desanimada» no momento da morte.”
Massacre à l'Electrode (M.A.E) (1979), p/ Artefact. “O meu nome é Eric Vennettilli, também conhecido como Riton V., também conhecido como Dynamo, nascido em 23 de janeiro de 1959 sob o signo de Aquário, criado em Villejuif, cidade-dormitório dos subúrbios de Paris. Setembro de 1975, primeiro encontro com Maurice ‘G’ Dantec no centro cultural da Romain Rolland High School em Ivry-sur-Seine. Uma espécie de sala de alunos informal, nascida das experimentações de 68, dinamizada por Jean-Bernard ‘Pouy Pouy’, um irmão mais velho que nos introduz (e nosso camarada Tonino Benacquista) na literatura policial e ficção científica, nas teorias artístico-políticas dos situacionistas ou no cinema de Chris Marker («La jetée») e George Lucas («THX 1138», «American Graffiti»). Os meus espetáculos marcantes: Led Zeppelin e Deep Purple em 1973, Lou Reed no Olympia na época do Rock ‘n’ Roll Animal, «Foutoir», peça de teatro de Marc Caro no festival de Avignon, «Einstein on the Beach», com a música de Philip Glass, o concerto de Nico e Tangerine Dream na catedral de Reims (um milagre), os Kraftwerk no Ba-ta-clan para a tournée Autobahn. No concerto dos Hawkwind encontro a filha de um músico contemporâneo, Paul Mefano, que me iniciará em Stockhausen, Pierre Henry, Xenakis, Terry Riley e outros papas das experiências concretas ou repetitivas. Dantec (cabelos compridos, t-shirt dos Blue Oyster Cult) é fã de heavy metal e dos New York Dolls, eu próprio sou de Lou Reed e Roxy Music. Compartilhamos a nossa paixão musical por Stooges, Bowie, Kraftwerk ou Ramones, e literária por Burroughs («The Wild Boys: A Book of the Dead»), Bukowsky, Ballard («Crash»), Philip K. Dick («Ubik»), Norman Spinrad («Final Chaos»), e outros escritores do cyberpunk. Começámos a sonhar em fazer figuração no filme de Jodorowsky «Dune». Mas, como o projeto do filme capotou, partimos de camionete para o deserto marroquino durante o verão. (…). Em 1977, o movimento radicalizou-se. Somos fascinados por Baader e Mesrine [2]. Juntámo-nos à manifestação antinuclear de Creys-Malville ao som dos Sex Pistols, depois de ter enviado um texto comum, «Como garantir o caracter violento da manifestação de Creys-Malville», a ser publicada pelo Libération. Engolimos os concertos: Clash, Jam, Cherry Vanilla e Wayne County no Palais des Glaces, Iggy Pop em Pantin, Johnny Thunder e os Heartbreakers, Dave Vanium e os Damned. A ideia de fundar um grupo de punk rock ultraviolento obcecava-nos, ao meu amigo Marc e a mim. No final de novembro, o projeto materializa-se. Maurice decide, e encontramo-nos na cave do pavilhão suburbano de seu pai, em Nogent-sur-Marne. O grupo é então chamado État d’Urgence. Algumas semanas após a sua formação, Jean Ternisien junta-se a nós, e o nosso primeiro concerto ocorre no anfiteatro N da universidade de Tolbiac, no meio de uma manif. Tocamos as nossas quatro canções cyberpunk («(RAF Propaganda», «Sans Contrôle», «Massacre à l'Electrode», «Brigade Interférences») e depois fugimos com o equipamento todo podre antes das cargas da CRS.” [3]
____________________
[1] Totalmente livres, sem manual algum, resplandecem as modelos russas. Sati, 1,84 m, 48 kg, 82-80-89, sapatos 37, nascida a 12 de março de 1989 em Podolsk, Moscovo, t.c.c. Cady, Karina, Karina K, Keri, Keri B, Sadie. Sites: {The Nude} {Indexxx} {Met-Art} {Met-Art} {MPLStudios} {Domai}. “Ela é a mais enigmática das nossas modelos. Grig pouco soube sobre ela. Sati vive numa pequena cidade perto de Moscovo. Ela é muito parecida com uma personagem do programa de TV russo «Star Fabric». Talvez, Sati não seja uma personagem típica da viagem do mestre a Moscovo. Se a tivesse conhecido em Volgograd, ele teria fotografado mais e descoberto diferentes matizes da sua vida. Talvez você consiga decifrar o seu mistério nas fotos e na pequena entrevista. O rosto e sorriso de Sati são lindos. O semblante sempre sério faz com que as pessoas vejam a sua luta interior e dúvidas. Ela disse a Grig que nunca perdoa as ofensas e é muito vingativa. Consegue imaginar de onde vem a sua tatuagem? Aquele dragão verde foi um presente do namorado quando ela atingiu a maioridade. Feito desesperado. Sati é uma rapariga modesta mas autoconfiante. Ela é a única pessoa que Galitsin não conseguiu expor até à alma. Se não fosse a sua doença, o mestre teria sido capaz de passar mais tempo com ela fotografando e aproximando-se.” Entrevista: P: “Quais pensas que são os teus melhores atributos?”, Sati: “A tatuagem.” P: “Cor favorita?”, Sati: “Verde.” P: “Programas de TV favoritos, lista de nomes”, Sati: “Star Fabric.” P: “Livros favoritos, lista de títulos”, Sati: “The Coronation, Boris Akunin.” P: “Filmes favoritos, lista de títulos”, Sati: “Azazel.” P: “Revistas favoritas, lista de nomes”, Sati: “UFO.” P: “Música favorita, lista de títulos”, Sati: “Música de dança.” P: “Altura favorita do dia, porquê?”, Sati: “Gosto do dia todo. Cada parte é especial por si só.” P: “Qual é a tua formação? Curso?”, Sati: “Estudante.” P: “Falas outras línguas? Se assim for, diz-me algo nessa língua”, Sati: “Não.”, P: “Lugar favorito para viajar, relaxar ou visitar”, Sati: “Gosto de cafés.” P: “Quais foram os locais que visitaste?”, Sati: “Só na Rússia.” P: “Qual é o teu feriado preferido? (Natal, dia dos namorados, dia de ação de graças, etc.)”, Sati: “O meu aniversário.” P: “Comida favorita, lanches, doces”, Sati: “Pudim de doce.” P: “Qual é o teu carro de sonho?”, Sati: “BMW.” P: “Qual é o teu emprego de sonho?”, Sati: “Esteticista.” P: “Descreve o teu lugar favorito para fazer compras”, Sati: “Gosto de centros comerciais.” P: “Assistes a desporto, se sim, quais são as tuas equipas favoritas?”, Sati: “Não.” P: “Quais são os teus passatempos?”, Sati: “Desenhar.” P: “Preferência de bebidas, alcoólicas e não alcoólicas”, Sati: “Coca-Cola.” P: “Tens algum animal de estimação?”, Sati: “Não.” P: “Estado civil?”, Sati: “Solteira.” P: “O meu pior hábito é…”, Sati: “Roer as unhas.” P: “A única coisa que não suporto é…”, Sati: “Mentirosos.” P: “Que animal melhor descreve a tua personalidade e porquê?”, Sati: “O dragão.” P: “As pessoas que me conheceram no liceu pensavam que eu era…”, Sati: “Misteriosa.” P: “Como é que descontrais ou passas o teu tempo livre?”, Sati: “Vou dar um passeio até à floresta. É calmo lá.” P: “Qual foi o momento mais feliz da tua vida?”, Sati: “Desfruto cada momento da minha vida.” P: “Quais são as tuas esperanças e sonhos”, Sati: “Vou mantê-los em segredo para não serem desconsiderados.” P: “O melhor conselho que já me deram foi…”, Sati: “Para fazer uma tatuagem.” P: “O pior conselho que me deram…”, Sati: “Para deixar os estudos.” P: “Que tipo de cuecas usas, se algumas”, Sati: “Tanga.” P: “O tamanho importa? Qual é a tua medida ideal?”, Sati: “O mediano.” P: “Descreve a tua primeira vez (pormenores, local, pensamentos, satisfação, etc.)”, Sati: “Não quero entrar em detalhes, mas foi com uma pessoa que amei e não me arrependo disso.” P: “O que te excita?”, Sati: “Perfumes caros.” P: “O que te desliga?”, Sati: “Falta de educação.” P: “O que te faz sentir mais desejada?”, Sati: “Palavras de amor.” P: “Melhor maneira de te dar um orgasmo”, Sati: “Festas no clitóris.” P: “Masturbas-te? Com que frequência? (dedo, brinquedos ou ambos)”, Sati: “Muito raramente num banho cheio de espuma.” P: “Qual foi o teu primeiro fetiche, se algum?”, Sati: “Chicote de borracha.” P: “Qual é o lugar mais exótico ou invulgar em que fizeste sexo? Ou onde gostarias que fosse?”, Sati: “No quintal da minha casa.” P: “Posição sexual favorita, porquê?”, Sati: “À canzana.” P: “Descreve um dia típico da tua vida”, Sati: “Não tenho dias típicos. Cada dia é único e diferente.” P: “Tens alguma curiosidade sexual que gostasses de explorar ou tivesses explorado? Por favor, descreve com pormenores (rapariga / rapariga, voyeurismo, etc.)”, Sati: “Fressura.” P: “Descreve em detalhe a tua fantasia sexual favorita”, Sati: “Quero fazer amor à sombra da Grande Muralha da China.” P: “Se pudesses ser fotografada de qualquer forma, em qualquer cenário, qual escolhias? O que te faria sentir mais desejada, mais sensual?), Sati: “Quero ser fotografada numa casinha chinesa circundada de uma atmosfera antiga.” Obra fotográfica: {fotos1} {fotos2} {fotos3} {fotos4}.
[2] Foi assassinado pela polícia francesa. “Jacques Mesrine, (28 de dezembro de 1936 / 2 de novembro de 1979), foi um marginal francês responsável por numerosos assassinatos, assaltos a bancos, roubos e sequestros, em França, Espanha, Suíça, Itália, Bélgica e Canadá. Mesrine escapou várias vezes da prisão e fez manchetes internacionais durante o período final, como fugitivo, quando as suas façanhas incluíam tentar sequestrar o juiz que o havia condenado anteriormente. Uma aptidão para o disfarce valeu-lhe a alcunha ‘O homem das mil caras’, e permitiu que ele permanecesse em liberdade enquanto recebia abundante publicidade como um homem procurado. Mesrine era visto por larga maioria como um Robin dos Bosques anti-establishment. Sustentando a sua imagem carismática, ele raramente estava sem uma companheira glamourosa. (…). A unidade especial de polícia encarregada de encontrar e capturar Mesrine descobriu ser impossível localizá-lo diretamente. Por fim, usando informação fornecida pelo jornalista Jacques Tiller (que se queria vingar) apuraram a matrícula do carro que uma mulher chamada Sylvia Jeanjacquot, que acreditava-se ser amante de Mesrine, tinha usado e verificaram as multas de estacionamento que ela recebera nos meses anteriores. Estas multas indicaram que ela estava a frequentar um certo bairro sem razão aparente. Patrulhas à paisana vasculharam a área e um homem que encaixava na descrição de Mesrine foi avistado passeando com uma mulher que se acreditava ser Sylvia, a 31 de outubro de 1979. Um guarda que viu Mesrine em tribunal confirmou a identificação notando a compleição física distintiva de Mesrine. O casal foi seguido até casa e o seu prédio vigiado 24 sobre 24 horas. Dois dias depois, a 2 de novembro de 1979, o casal deixou o apartamento para um fim de semana no campo, levando consigo o caniche alperce de Sylvia. Mesrine e Sylvia chegaram à Porte de Clignancourt, nos arredores de Paris, quando o BMW dourado em que seguiam foi encurralado na entrada de um cruzamento, um caminhão diante do carro, imediatamente atiradores da polícia na traseira levantam a lona e disparam à vontade. Gabaram-se os guardas, que no instante antes de abrirem fogo, os olhos de Mesrine de tão chocados, pareciam estar saindo da cabeça quando ele percebeu que estava cercado. Vinte e um tiros foram disparados à queima-roupa; Mesrine foi atingido 18 vezes. Um golpe de misericórdia foi então administrado com uma pistola. Sylvia Jeanjacquot perdeu um olho e sofreu danos duradouros no braço. O seu cão de estimação, Fripouille, foi morto.”
[3] Polícia é a melhor profissão do mundo, podem matar à descrição, são louvados e bem pagos pela classe social que protegem e, para não se cansarem muito, são ajudados pela população. “Quando se encontra um assassino que matou seis pessoas, não esperamos deparar-nos com uma jovem minúscula nervosa carregando um bebé. «O meu primeiro trabalho foi há dois anos numa província próxima. Estava muito assustada e nervosa porque era a minha primeira vez». Maria, nome falso, atualmente executa assassinatos por contrato como parte de uma guerra sancionada pelo governo contra as drogas. Ela faz parte de uma equipa de assassinos que inclui três mulheres, que são apreciadas, porque podem aproximar-se da sua vítima sem levantar suspeitas, que um homem levantaria. Desde que o presidente Duterte foi eleito e incitou os cidadãos e a polícia a matarem vendedores de droga que resistissem à prisão, Maria matou mais cinco pessoas, todas com um tiro na cabeça. Perguntei-lhe quem dava a ordem para esses assassinatos. «O nosso chefe, o comandante da polícia», disse ela. Na mesma tarde em que nos encontramos, ela e o marido souberam que a sua casa fora exposta. Eles estão a mudar-se na bisga. Esta controversa guerra às drogas trouxe-lhe mais trabalho, mas também mais riscos. Ela explicou como começou, quando o marido foi contratado, por um polícia, para matar um devedor, que era também vendedor de droga. «O meu marido era mandado matar pessoas que não pagavam o que deviam. Isto transformou-se num trabalho regular para ele até que uma situação mais complicada surgiu. Uma vez, eles precisavam de uma mulher… o meu marido chamou-me para fazer o trabalho. Quando vi o homem, era suposto matá-lo, cheguei perto dele e dei-lhe um tiro». Maria e o marido vêm de um bairro empobrecido de Manila e não tinham rendimento regular antes de concordarem em tornarem-se assassinos a soldo. Ganham até 20 000 pesos filipinos (376 €) por trabalho, o que é partilhado entre três ou quatro deles. Isto é uma fortuna para filipinos de baixo rendimento, mas agora parece que Maria não tem saída. O assassinato por contrato não é novidade nas Filipinas. Mas os esquadrões da morte nunca estiveram tão ocupados como agora. O presidente Duterte enviou uma mensagem inequívoca. Antes da eleição, prometeu matar 10 000 criminosos nos primeiros meses de mandato. E alertou em particular os traficantes de droga: «Não destruam o meu país, porque vou matar-vos». No último fim de semana [20/21 de agosto de 2016], ele reiterou esse ponto de vista franco, ao defender as execuções extrajudiciais de suspeitos de crimes. «Será que a vida de 10 desses criminosos realmente importa? Se for eu a enfrentar toda esta dor, 100 vidas desses idiotas significam alguma coisa para mim?» O que provocou o presidente das declarações ríspidas a desencadear esta campanha impiedosa é a proliferação de cristal ou «shabu», como é conhecida nas Filipinas. Barata, fácil de fabricar e altamente viciante, proporciona uma pedrada instantânea, um escape da imundice e vida de escravidão nos bairros de lata, um carburante para meter as pessoas em trabalhos extenuantes, como conduzir camiões o dia todo. Muitas vezes chamado «ice» ou «crystal meth» ou metanfetamina no ocidente, «Shabu» é o termo usado para uma forma pura e potente de anfetamina nas Filipinas e outras partes da Ásia. Custa cerca de 1000 pesos filipinos (19 €). Pode ser fumada, injetada, snifada ou dissolvida na água. As Filipinas abrigam laboratórios de escala industrial que produzem toneladas da droga, que depois é distribuída pela Ásia. (…). Maria também lamenta a escolha que fez. «Sinto-me culpada e isso é duro para os meus nervos. Não quero que as famílias daqueles que matei venham atrás de mim». Ela preocupa-se com o que os seus filhos irão pensar. «Não quero que eles se voltem contra nós e digam que viveram porque matámos por dinheiro». O seu filho mais velho já faz perguntas sobre como ela e o marido ganham tanto. Ela tem mais um assassinato, mais um contrato para cumprir, e gostaria que fosse o último. Mas o seu chefe ameaçou matar quem abandonasse a equipa. Ela sente-se encurralada. Ela pede ao padre absolvição durante a confissão, mas não se atreve a dizer-lhe o que faz. Sente ela alguma legitimação levando a cabo a campanha do presidente Duterte para aterrorizar o tráfico de droga? «Só falamos sobre a missão, como realizá-la», diz ela. «Quando está terminada, nunca mais falamos sobre isso».” 

632 Comments:

  • At 6:55 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    31.º post de 1984, mês de dezembro. A introdução foca o acontecimento político mais importante da história de Portugal: a luta do maior político português, Hugo Soares, pela divulgação da lista dos mortos de Pedrógão. Visto de fora parece um pateta, acompanhado por outro pateta, Carlos Abreu Amorim, falhos de ideias e propostas, que atiram seja o que for ao governo porque não têm nada mais a dizer. Os historiadores do futuro dar-lhes-ão o lugar entre grandes oradores, ao lado de Garrett e Manuel de Arriaga, talvez à frente até.

    1985 previa muitos concertos de cantores brasileiros: Elba Ramalho, Martinho da Vila, a Blitz, Ney Matogrosso…

    O governo previa um défice de 6,5 % para 1985. O FMI estava em Portugal a controlar as contas, depois de terem ido embora o défice atualmente passa dos 120 %.

    Os especialistas alertavam para os perigos do breakdance, todavia havia proposta para ser integrado nos Jogos Olímpicos de 2024.

    Zeca Afonso gastava fortunas a tentar conter a doença que o levou. E queixava-se de as editoras não pagarem o devido.

    Um clássico português, mesmo durante a crise, os hotéis estão esgotados para o réveillon. Daí o título do post.

    Os punks portugueses também comemoravam o Natal com um concerto.

    Na última nota, a melhor profissão do mundo: assassino nas Filipinas. Dando sequência à guerra contra as drogas os cidadãos recebem massa para matar traficantes. Não há melhor profissão que cumprir a lei e fazer cumprir a lei.

     
  • At 7:43 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    O Ronaldo dos gatos:

    https://matt-galvo1-world.tumblr.com/post/620270995317587968/o-ronaldo-dos-gatos

    Não é que eu seja desses que preconiza que é o trabalho ideal para uma mulher:

    https://matt-galvo1-world.tumblr.com/post/620348407488331776/pioneira-em-carros-de-corrida-troca-carreira-para

    Toma uma revista:

    https://matt-galvo7-world.tumblr.com/post/620411608374575104

    Ó! Também? Mas isto já não há heróis?

    https://matt-galvo5-world.tumblr.com/post/620408548333125632/psych0candy-the-stranglers-jj-burnel-dave

    Um livro para leres todos os dias:

    https://matt-galvo7-world.tumblr.com/post/620410386367283200/distributedaccesscontrolsystem-1971

    A bófia já apanhou o jovem que levava um cartaz: “Polícia bom é polícia morto”, na manif contra o racismo. Era um jovem ingénuo, ouviu falar em liberdade e pensou que significava “ser livre”, se tivesse lido Estaline ou Hitler saberia o que é liberdade e nunca teria levado o cartaz. Por falta da leitura dos verdadeiros teóricos da sociedade livre, agora está lixado, vai gastar dinheiro em advogados e deslocações a tribunais e vai levar uma pena suspensa.

     
  • At 8:10 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Parece que a febre pelo derrube de estátuas está a ferver. Muito bom. Mais um movimento fascista no modelo #MeToo, que venham eles, o fascismo é o governo do povo pelo povo.

     
  • At 5:54 da tarde, Blogger D.A. said…

    É a esquerda caviar desocupada, têm de arranjar algo. O Facebook é interessante mas vou ter de o remover, cansa-me aquele activismo. Para já fica.

     
  • At 6:06 da tarde, Blogger D.A. said…

    Mas o derrube de estátuas não é assim tão anormal, a história foi sempre assim.

    As pessoas querem-se orgulhar da história, como o Salazar. É como a história pessoal, tens aí escondido no fundo de uma gaveta aquele disco dos Queen que adoravas e um dia vai mesmo pela conduta do lixo.

    A coisa devia começar pelos Neandertais. ahahah Uma vez li uma coisa com piada: - "Sou vegan!" - "Ainda bem que os Neandertais trabalharam por ti".

    Hoje no Facebook li que a censura ao "E Tudo o Tempo Levou" é feita pela extrema-direita, para desorientar o movimento revolucionário.

    Também não acho que isto seja um retrocesso civilizacional, é gente desocupada, só isso.

    Uma terapia para este pessoal era a "História do Mundo" do Mel Brooks.

     
  • At 6:44 da tarde, Blogger D.A. said…

    O primeiro casamento gay da história:

    https://www.youtube.com/watch?v=bPnCqsNv9v4

     
  • At 6:49 da tarde, Blogger D.A. said…

    O filósofo desempregado:

    https://www.youtube.com/watch?v=IF2RYhNhBdw

     
  • At 8:28 da tarde, Blogger D.A. said…

    Mas vou desenvolver.

    No fundo tudo remonta a Hegel e ao movimento da História, podes ter uma leitura de esquerda ou de direita.

    Em qualquer caso há sempre uma instrumentalização da História, cheguei a ler uns autores de direita ou de extrema-direita como Guénon e Evola e eles olham para a História como uma longa decadência... Ideias hindus.

    A esquerda radical tem a visão oposta: do homem das cavernas até ao seu ideário iluminista e progressista, são eles o pico da História... Em vez do homem das cavernas, o Rui Tavares (apesar da barba ser semelhante).

    Salazar queria orgulhar-se da História. A Esquerda Radical quer limpar a história dos "maus". Vai dar ao mesmo, ambos recusam a História nas suas contradições, a "big picure", ambos querem ajustar os factos às suas teorias.

    E a visão do Bem e do Mal, em vez do bem e do mal ser visto como um conflito de dois termos inseparáveis em cada um de nós, é visto como a separação de dois termos exclusivos: temos os maus e os bons, os anjinhos e os diabinhos. Que toda a gente tem dentro de si os anjinhos e os diabinhos não lhes ocorre...

    Este último aspecto leva-me a pensar que os mesmos que são agora anti-esclavagismo podiam bem ser os esclavagistas daquelas épocas...

    A história da humanidade é um horror? Tem de se começar pelos Neandertais...

    O pessoal quer ser bom, estar do lado certo da História e aparecer bem na fotografia...

    É normal, tudo tem de ser assim, é preciso que alguns tenham a ilusão que são bons para o Bem realmente acontecer.

    É tudo uma tragédia, é uma farsa, talvez seja antes a "História do Mundo" do Mel Brooks.

    Mas tudo muda? As coisas mudam? A História é movimento?

    Lá voltamos a Hegel de novo.

     
  • At 10:17 da tarde, Blogger D.A. said…

    Quando a gata expirou é que percebi mesmo que sou católico, não foi a única vez, mas não de forma tão intensa. É o Nada, que resta senão pensar que Deus preparou um "Pussy Heaven" para a gata e para tudo o resto? Um piscar de olhos e somos nada, tem de haver Deus ou o que quer que lhe chamem, não resta mais nada... Se não existir o "Pussy Heaven" tem de haver pelo menos uma justificação. A verdade é que a gata em momento algum se queixou ou questionou. O mal é não sermos um gato.

     
  • At 10:30 da tarde, Blogger D.A. said…

    Mas a gata é que me demonstrou o que já estava em Nietzsche: a dor passa. Que importa que eu esteja aqui mais uns milhares de anos a ouvir a "Circulatura do Quadrado"? Passará, e como na aposta de Pascal, o pior que me pode acontecer é não ir ter com ela, é o mais provável, mas também pode acontecer que eu, antes expirar, a ouvir o Pacheco, me lembre dela e acaba tudo em bem.

     
  • At 10:35 da tarde, Blogger D.A. said…

    antes de expirar

     
  • At 11:30 da tarde, Blogger D.A. said…

    Se vivesse na Amadora tinha possibilidades de ir ter com a gata mais cedo ahahah.

     
  • At 11:31 da tarde, Blogger D.A. said…

    Pelo menos a estátua do Eusébio não será derrubada.

     
  • At 1:06 da manhã, Blogger D.A. said…

    - Já viste o "Garganta Funda"?
    - Credo, só se for com uma nota explicativa.

     
  • At 1:19 da manhã, Blogger D.A. said…

    Bowie:

    https://www.youtube.com/watch?v=IybvTLwN4Mg

     
  • At 2:06 da manhã, Blogger D.A. said…

    "a separação de dois termos exclusivos"

    "a separação de dois termos, exclusivos"

     
  • At 2:27 da manhã, Blogger D.A. said…

    Se não há uma gaja, se não há amor por uma gaja, uma gaja que substitua a gaja, não há nada.

     
  • At 2:34 da manhã, Blogger D.A. said…

    Estou a ouvir de novo este do Bowie, agora em repeat, umas músicas entram mesmo no ouvido:

    https://vimeo.com/166628642

     
  • At 9:04 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    É isso mesmo: gente desocupada. O capitalismo gerou algum conforto económico libertando tempo para as pessoas. Por outro lado, as taxas de desemprego nos países ricos é alta, logo, mais gente sem nada que fazer, e ainda, muitos filhos vivem à custa dos pais, o que lhes permite serem militantes de causas (têm tempo, não trabalham). Ora, todo este tempo livre, este ócio, não é canalizado para a filosofia e a ciência, a Grécia antiga já lá vai, é dirigido para a contestação, qualquer uma serve.

    A contestação não surge de uma posição informada, ajuizada, nasce, como é óbvio numa sociedade com excesso de informação, da ignorância. Tens o exemplo daquele post sobre Marx, Hegel, Kant, algum daqueles comentadores alguma vez leu Marx, Hegel, Kant? Duvido. Mas isso não os impediu de emitir opinião (produto da ignorância). E falo só em ler, ler e compreender Marx, Hegel, Kant, é outra conversa. Isso implicaria anos de estudo.

    E por falar em casamento homossexual, será que Cláudio singrou com o Big Brother? As audiências estão do seu lado? Ou é infeliz no amor e na TV?

    Estou muito feliz comigo próprio. Tenho estado atento ao racismo na nossa cultura, e esse estado alerta ontem deu frutos. Encontrei um ato de odioso racismo. Acho que vou alertar o Marcelo para que retire o filme de circulação:

    https://matt-galvo1-world.tumblr.com/post/620642467250847744/voz-te%C3%B3filo-das-neves-claro-claro-te%C3%B3filo

    A etiqueta “racismo em todo o lado” está a ficar bem apetrechada, a visualização de racismo em todo o lado já vem do passado. O racismo em todo o lado é como Deus… está em todo o lado:

    https://matt-galvo1-world.tumblr.com/tagged/racismo-em-todo-o-lado

    Olha, uma boa rapariga, sabe o que quer:

    https://matt-galvo6-world.tumblr.com/post/620436375340285953/gosto-de-homens-mais-velhos-acho-que-eles-sabem

    De facto, com a crise não se ouviu falar em filósofos desempregados.

    “Os mesmos que são agora anti-esclavagismo podiam bem ser os esclavagistas daquelas épocas” é mais que certo, ninguém vive fora da sua época. (Visionários há poucos). Empoleiram-se na sua época para criticar o passado, que, se o vivessem, fariam o que criticam agora.

    A História é uma ideologia, um conjunto de ideias, ou melhor, uma interpretação dos factos para agarrar as pessoas a uma ideia: o pequeno na Europa, grande no mundo, do dr. Salazar; o somos mesmo bons, do dr. Marcelo, etc. Os factos existiram, aconteceram, mas nós não temos acesso aos factos, temos acesso aos factos “históricos” (uma interpretação dos factos consoante a época em que vivemos. A História serve para dar sentido ao presente, não para elucidar o passado. Agora estamos no clima Pretos Importam, logo é preciso adequar a História a este momento. Derrubar estátuas, renomear ruas, queimar livros, queimar filmes, etc.).

    "Pussy Heaven" existe, existe. Situa-se no Alvito.

    Ontem até houve reportagem na TV aqui perto sobre o surto COVID na zona. Foi pena não me terem entrevistado.

    Fogo a estátua do Eusébio não está segura. A PSP tem de destacar um contingente para a proteger.

    Estará Bowie num "Pussy Heaven"? Ou espera por Iggy Pop no purgatório?

     
  • At 9:32 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    "Garganta Funda" não é de diferente inteligibilidade que um Bergman ou um Jean Renoir.

    O melhor da vida: “Dope Smoker are a 3 piece rock group from South West Wales where everyone smokes dope & surfs.”

    https://www.youtube.com/watch?v=J_BU-gbeDBw

    Tenho alguns CDs do Bowie. Fui ver, não tenho esse "Station to Station". Tenho o "Scary Monsters".

    O dia de Portugal:

    https://www.youtube.com/watch?v=jpyOizN2vfw

    Era o que tu querias para apresentar no Facebook aos esquerdas:

    https://www.youtube.com/watch?v=f3Cai8mrnxs

     
  • At 6:20 da tarde, Blogger D.A. said…

    Não sei se é o clássico "snifar coca nas nalgas":

    https://www.msn.com/pt-pt/desporto/mais-desporto/pugilista-americana-acusou-doping-por-ter-sexo-desprotegido/ar-BB15nZUe?ocid=msedgntp

     
  • At 6:28 da tarde, Blogger D.A. said…

    Sim, muitas vezes o Bem nasce do Mal, há "males que vêm por bem", o Leibniz dizia que o mal é mal visto em particular, mas que no plano de conjunto é um bem:

    https://paginanegra.pt/2020/06/11/o-bem-e-o-mal/

    E foi o Hitler que fez auto-estradas. E a internet nasce do aparelho militar. E se eu não tivesse partido uma perna não tinha conhecido a mulher com quem casei.

     
  • At 6:33 da tarde, Blogger D.A. said…

    " "Garganta Funda" não é de diferente inteligibilidade que um Bergman ou um Jean Renoir. "

    O Bergman tem filmes bastante simples, nada é mais simples que "O Sétimo Selo".

    Nunca vi o "Garganta Funda", só aquele excerto famoso. A nota explicativa seria necessária a todos os níveis, até pelo enquadramento social e histórico, foi o primeiro filme porno a ser visto pelos portugueses. Imagine-se, décadas sem sequer poderem ver um rabo num filme de Bergman e de repente aparece-lhes aquilo na tela, imagino a comoção.

     
  • At 6:46 da tarde, Blogger D.A. said…

    ehehe "A Canção de Lisboa".

    Isto de derrubar estátuas é como ter um pai muito autoritário ou muito mau e um gajo para se vingar parte-lhe qualquer coisa, nem que seja o corta-unhas. Não resolve nada, mas fica-se mais aliviado.

    Ficam muito pelas representações do racismo, sem chegarem às verdadeiras causas do racismo.

     
  • At 9:57 da tarde, Blogger D.A. said…

    Podias ter esta netinha:

    https://www.msn.com/pt-pt/entretenimento/famosos/neta-de-elvis-presley-posa-nua-no-jardim/ar-BB15cVPP?ocid=msedgntp

     
  • At 10:09 da tarde, Blogger D.A. said…

    Saquei a discografia do Bowie. Estou a ouvir o "Heroes", nunca tinha ouvido, o "Low" e o "Lodger" sim. O lado b do "Heroes" tem bons instrumentais. Um:

    "Sense of Doubt" is an instrumental piece written by David Bowie in 1977 for the album "Heroes". It was the first of three instrumentals on Side Two of the original vinyl album that segued into one another, preceding "Moss Garden" and "Neuköln".

    Cited as "portentous" and "thoroughly foreboding", "Sense of Doubt" is one of the darker tracks of the album, with a descending four-note piano motif juxtaposed with "an eerie synth line like a scrap of sound from a silent expressionist-era soundtrack". Brian Eno suggested that the contrasting themes were the result of him and Bowie each following an Oblique Strategies card to guide them in the track's overdubbing, Eno's directing him to "make everything as similar as possible" and Bowie's to "emphasize differences"

    https://www.youtube.com/watch?v=TjXLKE3_l5g

    Se tivesse 20 anos ficava fascinado, agora tenho de fazer de conta.

     
  • At 10:27 da tarde, Blogger D.A. said…

    Por causa do Bowie fui parar à wiki do Christiane F., filme que vi, mas não me lembro disto:

    "When Christiane walks in on the two having very loud anal intercourse, she has a breakdown and flees."

    Há uma paródia dos Ena Pá 2000.

     
  • At 12:14 da manhã, Blogger D.A. said…

    As raparigas gostam de monstros:

    https://merryweather-comics.tumblr.com/post/617415539190530048/clinic-of-horrors-episode-14-art-pokurimio

     
  • At 12:18 da manhã, Blogger D.A. said…

    Girls:

    https://odioart.tumblr.com/tagged/girls

     
  • At 12:21 da manhã, Blogger D.A. said…

    Não aparecem muitas assim. Mais aqui:

    https://odioart.tumblr.com/post/620472423665614848/hazuki-kaoru-x-odio-%E6%9C%AC%E5%BD%93%E3%81%AB%E3%81%82%E3%81%A3%E3%81%9Fh%E3%81%AA%E4%BD%93%E9%A8%93%E6%95%99%E3%81%88%E3%81%BE%E3%81%99-ill-teach

     
  • At 12:25 da manhã, Blogger D.A. said…

    O Dragon Ball:

    https://odioart.tumblr.com/post/187409222161/%E3%83%89%E3%83%A9%E3%82%B4%E3%83%B3%E3%83%9C%E3%83%BC%E3%83%AB-a-n-i-m-e-x-r-e-a-l-i-t-y-c-o-l-o-r-f-u?is_related_post=1

     
  • At 12:28 da manhã, Blogger D.A. said…

    Já não vou ao Facebook.

    Tou a ouvir o "Scary Monsters". Já conheçia o disco. Ouve-se bem e não preciso de fazer grande esforço para não ficar deprimido, só um bocadinho.

     
  • At 12:37 da manhã, Blogger D.A. said…

    ahahahah

    https://matt-galvo8-world.tumblr.com/post/620623511409639424/rhera-my-poor-love-look-what-theyve-done-to

     
  • At 12:57 da manhã, Blogger D.A. said…

    A última vez que tinha visto o "Luzes Modernas" estava no Rebecca. Puseste montes de cenas fixes, merecias subsídio estatal. E puseste montes de coisas da Christiane F. ahahah Chegamos ao filme quase ao mesmo tempo por fontes diferentes.

     
  • At 1:01 da manhã, Blogger D.A. said…

    Fogo, bebeu tudo:

    https://matt-galvo9-world.tumblr.com/post/620481944668520449/artist-duchamp-bottlerack-1914-marcel-duchamp

     
  • At 1:05 da manhã, Blogger D.A. said…

    Ò andar pelas ruas de uma cidade até às tantas da noite, tenho vaga ideia, foi noutra vida:

    https://www.youtube.com/watch?v=9T59ej_TlXE

     
  • At 1:47 da manhã, Blogger D.A. said…

    Já merecia ver uns pornozitos, era a única salvação.

     
  • At 2:03 da manhã, Blogger D.A. said…

    uh uh uh

    https://matt-galvo8-world.tumblr.com/post/620363877472944128/gatutor-madeline-smith-vive-y-deja-morir

     
  • At 2:23 da manhã, Blogger D.A. said…

    Continuo no Bowie.

     
  • At 2:28 da manhã, Blogger D.A. said…

    O melhor que li sobre as estátuas vem do Facebook:

    "Em vez de vandalizar e derrubar estátuas, seria mais giro pegar nelas e pô-las a viajar pelo mundo, como a Amélie Poulain fez com o anão de jardim do pai."

     
  • At 2:46 da manhã, Blogger D.A. said…

    Which came as some surprise
    I spoke into his eyes
    I thought you died alone,
    A long-long time ago

    https://www.youtube.com/watch?v=PdlU8e9wBIE

     
  • At 2:49 da manhã, Blogger D.A. said…

    I think that it goes like this:

    Bowie meets an old friend ( alcoholic, addict, somebody that stayed in the hood ).

    Although he ( Bowie ) was not there for a long time, this man calls him a friend, which suprises Bowie a lot, since he has been away for long time.

    Bowie tells this man to his eyes that he thought that this man has died a long time ago, knowing abut his sin. This man responses that he always had control ( over his addiction I suppose ), but he feels like failure after all ( he sold his career, his world, his everything )

    Now, Bowie shakes his hand, smiles politely, and goes away.

    After that, Bowie is travelling a lot, looking at millions of people, and then he realizes that we are the ones that have sold the world, we have died alone, and sold everything ( our worlds ) when we sold our dreams and became grown ups.

    ...

    Here in Serbia, we have a saying that goes something like: " God bless the man that goes crazy early in the life, at least he spends his life in joy ". To me, this song has a lot to do with it

    That is just how I see it :)
    Vlada

     
  • At 3:06 da manhã, Blogger D.A. said…

    "I guess i living my fantasy" diz uma gaja no fim. Fogo, 74.

    https://www.youtube.com/watch?v=cZ_wnJSRFso

     
  • At 6:08 da manhã, Blogger D.A. said…

    Tudo o que eu disse sobre a História e Hegel provavelmente já não faz qualquer sentido.

    Gostava de ler isto:

    https://en.wikipedia.org/wiki/Empire_(Hardt_and_Negri_book)

    E provavelmente também isso não faz qualquer sentido.

    Um fragmento:

    "The Empire can only be seen as a universal republic, a network of power structures and counterbalances structured into an inclusive and unlimited architecture. The expansion of the Empire has nothing in common with imperialist expansion and is not based on nation states bent on conquering, pillaging, massacring, colonising peoples into slavery. Unlike this imperialism, the Empire expands and consolidates its power structures [...] Finally, remember that at the basis of the development and expansion of the Empire is the quest for peace." [iii]

    http://www.marxist.com/toni-negri-empire-critique150103.htm

     
  • At 6:15 da manhã, Blogger D.A. said…

    ahahah

    "In the post-modern era, as the figure of the people dissolves, the militant is the one who best expresses the life of the multitude: the agent of biopolitical production and resistance against Empire [...] When we speak of the militant, we are not thinking of anything like the sad, ascetic agent of the Third International [...] We are thinking of nothing like that and of no one who acts on the basis of duty and discipline, who pretends his or her actions are deduced from an ideal plan [...] Today the militant cannot even pretend to be a representative, even of the fundamental human needs of the exploited. Revolutionary political militancy today, on the contrary, must rediscover what has always been its proper form: not representational but constituent activity.[...] Militants resist imperial command in a creative way. In other words, resistance is linked immediately with a constitutive investment in the biopolitical realm and to the formation of co-operative apparatuses of production and community.[...] There is an ancient legend that might serve to illuminate the future life of communist militancy: that of Saint Francis of Assisi. Consider his work. To denounce the poverty of the multitude he adopted that common condition and discovered there the ontological power of a new society. The communist militant does the same, identifying in the common condition of the multitude its enormous wealth. Francis in opposition to nascent capitalism refused every instrumental discipline, and in opposition to the mortification of the flesh (in poverty and in the constituted order) he posed a joyous life, including all of being and nature [...] Once again in postmodernity we find ourselves in Francis's situation, posing against the misery of power the joy of being. This is a revolution that no power will control - because biopower and communism, co-operation and revolution remain together, in love, simplicity, and also innocence. This is the irrepressible lightness and joy of being communist" [xvii].

     
  • At 11:03 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Mais uma notícia para dar má fama ao pénis. Vê-se que o seu objetivo é afastar as mulheres do pénis e, se o usarem, que seja vestido, (por, assim, assemelhar-se a um dildo, já é mais aceitável pelas nossas irmãs fufas, e já não pertence à masculinidade tóxica).

    Há que banir Chaplin da nossa cultura. Ele não tem nenhuma estátua para ser derrubada?

    A comoção foi muita com o "Garganta Funda". Cheirou-se a liberdade, aliás, foi a última vez que ela foi cheirada.

    Eh eh, já tinha posto a netinha o Elvis (que gostaria que fosse minha, claro), no “mais que moderno”.

    Educando as netinhas:

    https://matt-galvo7-world.tumblr.com/post/620766034563104768/ilovedamsels1962-national-lampoon-1975

    Do Bowie tenho “Ziggy Stardust”; “Space Oddity”; “Aladdin Sane”; “Pinups”; era capaz de jurar que tinha o “Scary Monsters”. Pode estar fora de ordem, sucede muitas vezes, ao ordenar os CDs, passando de uma estante para outra, ficarem fora de ordem. Depois, só o acaso me faz encontrá-los.

    https://matt-galvo5-world.tumblr.com/post/620364718749663232

    Girl é a Nancy Pelosi. A velhota fez tanta plástica, que fala de uma forma estranhíssima. Realmente os políticos nos EUA são contemporâneos de George Washington.

    A Francis era uma gulosa:

    https://matt-galvo5-world.tumblr.com/post/620293204075528193/missisanfi-the-battle-of-the-cookie

    Ela anda ousada:

    https://matt-galvo6-world.tumblr.com/post/620723025867931648

    O saudoso Dragon Ball.

    Elas existem:

    https://matt-galvo8-world.tumblr.com/post/620727111226900480/marypickfords-cannibal-girls-ivan-reitman-1973

    Meti tanta coisa da “Christiane F.” que até fez uma tag.

    Ah, a velha Marianne:

    https://matt-galvo5-world.tumblr.com/tagged/marianne-faithfull

    Eh eh a Amélie Poulain.

    Agora não falta homens who sold the world, o episódio das estátuas é o exemplo mais recente. A tontice à solta. Venderam o juízo para estarem nas redes sociais.

    Em 1974 estavam os lusos a fazer o 25 de abril, se calhar por causa do “Space Oddity”.

    Também estava a precisar de ler algo recente, para refrescar as ideias, mas, uma verdade maior se alevanta: burro velho não aprender línguas. Burro velho não aprender línguas não é um ditado popular, é uma verdade científica, gajo velho já não computa nada, o cérebro não compreende o novo (por isso é que os vírus os vêm buscar).

     
  • At 1:33 da tarde, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Parece bom esse livro do Negri. Vale a pena uma leitura. Não está errada essa definição de militante. E até vemos que militante é um gajo que está aborrecido em casa, e que vem para a rua partir merdas (ou pintar a estátua do padre António Vieira).

    Tenho de ir procurar mais racismo escondido na nossa cultura. É um bom substituto da caça à peidola, enquanto esta não há, por causa da época de confinamento, há racismo de rabo de fora em todo o lado. Veremos se hoje encontro exemplos nos filmes da TV. Racismo e calcário estragam as máquinas.

     
  • At 10:02 da tarde, Blogger D.A. said…

    Será que o Eddie tem uma estátua?

    https://www.youtube.com/watch?v=f8Vfin7mqdw

     
  • At 11:01 da tarde, Blogger D.A. said…

    https://www.msn.com/pt-pt/entretenimento/sic-passadeira-vermelha/florbela-queiroz-recebe-fotografia-ousada-aos-77-anos-e-mariama-reage-ainda-lhe-mandam-nudes/vi-BB15ohE5?ocid=msedgntp

     
  • At 11:11 da tarde, Blogger D.A. said…

    Queria ver este filme, não é o que parece, não é lesbianismo:

    https://www.youtube.com/watch?v=0D91K8YVx4w

     
  • At 11:15 da tarde, Blogger D.A. said…

    Uma dessas actrizes aparece num vídeo do Mubi, mas não consegui perceber o que é, se é de um filme, é ela ir às compras, muito antonioniano.

     
  • At 12:24 da manhã, Blogger D.A. said…

    A gaja é realizadora, aquilo do Mubi é de um filme realizado por ela, mas estou tropêgo, ainda não consegui descobrir que filme é, devia estar na wiki ou IMDB, fica para depois.

     
  • At 12:27 da manhã, Blogger D.A. said…

    Este vinil do Eddie é muito bom:

    https://www.youtube.com/watch?v=DXp5bNNu_hA

     
  • At 12:28 da manhã, Blogger D.A. said…

    trôpego

     
  • At 1:06 da manhã, Blogger D.A. said…

    https://joyceanashawati.files.wordpress.com/2009/07/a-time-to-love-and-a-time-to-die-pdvd_013.jpg?w=640

    Ainda é viva!

    https://en.wikipedia.org/wiki/Liselotte_Pulver

     
  • At 1:29 da manhã, Blogger D.A. said…

    ahahah No Mubi tinha o título do filme logo no início: "Olla". Mas não há vídeos.

     
  • At 2:43 da manhã, Blogger D.A. said…

    Ainda me ri com uma cena do Facebook, "Junior o Brutinho", o menino mais ignorante do mundo, parece Glauber Rocha em tom de comédia.

     
  • At 2:45 da manhã, Blogger D.A. said…

    O "Live in Japan" do Coltrane:

    https://www.youtube.com/watch?v=ep5s0EvudRg

     
  • At 3:50 da manhã, Blogger D.A. said…

    "As Spyros comes closer to death, Marina asks Bella to sleep with her father as a favor for the dying man, who has not been with a woman for a long time."

    https://en.wikipedia.org/wiki/Attenberg

     
  • At 3:56 da manhã, Blogger D.A. said…

    Vou comer bacalhau com broa frita.

     
  • At 4:19 da manhã, Blogger D.A. said…

    Já não te lembras do Ivic:

    https://en.wikipedia.org/wiki/Tomislav_Ivi%C4%87

     
  • At 4:25 da manhã, Blogger D.A. said…

    Já não te lembras da Io Appolloni:

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Sofia_ou_a_Educa%C3%A7%C3%A3o_Sexual

    https://www.flash.pt/atualidade/nacional/detalhe/io-appolloni-e-camilo-de-oliveira-apanhados-a-fazer-sexo-em-cama-de-hospital

     
  • At 4:40 da manhã, Blogger D.A. said…

    Já não te lembras do Bento de Jesus Caraça:

    http://cvc.instituto-camoes.pt/ciencia/p19.html

    Uma vez dei uma olhadela ao seu "Conceitos Fundamentais da Matemática" e estava a gostar muito, ele começa logo a dizer que "medir" apareceu apenas para a burguesia nos lixar.

     
  • At 4:47 da manhã, Blogger D.A. said…

    Já não te lembras da crise da ideologia burguesa:

    https://livrariautopia.blogspot.com/2011/10/magalhaes-vilhena-v-de-antonio-sergio-o.html

     
  • At 4:48 da manhã, Blogger D.A. said…

    Em Marte também é truca-truca:

    https://livrariautopia.blogspot.com/2019/11/o-sexo-na-moderna-ficcao-cientifica.html

     
  • At 4:51 da manhã, Blogger D.A. said…

    Para compreenderes o terrorismo:

    https://observador.pt/2015/11/18/6-livros-e-6-filmes-para-entender-o-terrorismo/

     
  • At 4:57 da manhã, Blogger D.A. said…

    Já não te lembras do César de Oliveira:

    https://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A9sar_de_Oliveira

     
  • At 5:01 da manhã, Blogger D.A. said…

    Já não te lembras da pata de galinha:

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Movimento_Democr%C3%A1tico_Portugu%C3%AAs_/_Comiss%C3%A3o_Democr%C3%A1tica_Eleitoral

     
  • At 5:05 da manhã, Blogger D.A. said…

    Credo.

    https://www.youtube.com/watch?v=u0uN-tlxNnM

     
  • At 5:13 da manhã, Blogger D.A. said…

    O filho da Leonor Poeiras é um bocado larilas, gosta de fazer festas em cães:

    https://www.youtube.com/watch?v=V9BAK7qPFdU

     
  • At 5:14 da manhã, Blogger D.A. said…

    Como não tens tido notícias do Carlos Melancia:

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Carlos_Melancia

     
  • At 5:22 da manhã, Blogger D.A. said…

    ahahah

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Clube_da_Esquerda_Liberal

     
  • At 5:29 da manhã, Blogger D.A. said…

    O João de Lisboa:

    https://en.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_de_Lisboa

     
  • At 5:37 da manhã, Blogger D.A. said…

    Já não te lembras da Luciana Stegagno Picchio:

    http://www.filidaquilone.it/num012oliveira2.html

     
  • At 5:41 da manhã, Blogger D.A. said…

    Já não te lembras do fantástico plantel do Benfica na época 97-98:

    https://en.wikipedia.org/wiki/1997%E2%80%9398_S.L._Benfica_season

     
  • At 5:42 da manhã, Blogger D.A. said…

    Já não te lembras do King:

    https://aibenfica.blogspot.com/2007/07/king.html

     
  • At 5:51 da manhã, Blogger D.A. said…

    In alto c’è un pino distorto;
    sta intento ed ascolta l’abisso
    col fusto piegato a balestra.

    Rifugio d’uccelli notturni,
    nell’ora più alta risuona
    d’un battere d’ali veloce.

    Ha pure un suo nido il mio cuore
    sospeso nel buio, una voce;
    sta pure in ascolto, la notte.

    (Salvatore Quasimodo)

     
  • At 6:25 da manhã, Blogger D.A. said…

    Oh 83, uma rapariga tapou-me os olhos enquanto outra me apalpava os tarecos, fui mordido por uma abelha na escola, fiquei com o olho tapado, já usava o ZX 81, com extensão de 16 k, nunca cheguei a ter o Spectrum, só o Commodore uns anos mais tarde.

    https://www.youtube.com/watch?v=F1qgaYASxBs

     
  • At 11:00 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Sempre atento ao odioso crime do racismo, ontem, ao ver aquele programa de humor, Eixo do mal, nem dormi quando ouvi tanto disparate. Aquilo é mesmo um programa de lugares comuns e preconceitos, não há um mínimo de testa a funcionar. Então não é que a Alves diz que nunca viu um polícia preto, talvez eles não vão para o bairro de luxo dela, para não chocarem as madames, ou então é velha cega. Ia morrendo a rir:

    https://matt-galvo1-world.tumblr.com/post/620821680067133440/clara-ferreira-alves-n%C3%A3o-temos-um-racismo

    hoje o chinesinho decidiu dar um ar da sua graça e assinalou umas fotos da Ariel Rebel como porno. Havia mamilo, não cortei, porque estava muito focado, só quem soubesse o que há inside a girl é que deduziria que era mamilo. Reclamei, mas ele foi intransigente: é porno, sim senhor. Bem, cortei as fotos e votei a publicar.

    Eh eh este teve o mesmo problema com a nipple police:

    https://matt-galvo6-world.tumblr.com/tagged/hedy-scott

    (A nipple police e a pussy police são fodidas, eu tenho um cuidadão do caraças e, muitas vezes, na dúvida, se é pussy ou não é, corto a foto. Por vezes, se é a pussy que se vê, está sujeito a debate, mas como o chinesinho é aristotélico, e não dialético, não dá para perder tempo a postar para depois ter de apagar).

    Vá lá, desta vez escapas a ser chamado de valdevinos despesista:

    https://poligrafo.sapo.pt/fact-check/camara-de-viana-do-castelo-gastou-mais-de-13-milhoes-de-euros-num-jantar-de-gala

    A Direção Geral de Saúde já publicou as regras para que as zaragatas nos bares (bar brawls, em português técnico) não violem as regras do distanciamento social:

    https://www.youtube.com/watch?v=3juaQvrlsZw

    De facto Eddie Cochran merecia que lhe destruíssem as estátuas, ele está a incomodar a mulher preta.

    Holy mother of fuck a Florbela Queiroz? Perante ela um pénis encolhe, não cresce. Olha, havia jornalista preta, a Ferreira Alves e que devia ver para não dizer baboseiras.

    Tudo o que meta gajas é lesbianismo. Até porque elas aproveitam a “arte” dos filmes para apalparem as outras ou sacar parceiras sexuais. Tudo o que meta homem português é paneleirismo, neste caso não é preciso filme.

    A Liselotte Pulver está viva e agora sabemos que recebe fotos de pénis, está na idade. De qualquer maneira o filme “A Time to Love and a Time to Die” tem de ser proibido, faz alusão ao nazismo o que ofende o homem preto.

    John Coltrane devia dar um concerto em Portugal.

    Marina asks Bella to sleep with her father as a favor for the dying man, chama-se cuidados paliativos, os tais que os contra eutanásia reclamam como alternativa, também se não for, quando eu estive na altura de ir, e aparecer uma cabra ou cabrão com outra merda qualquer, estrangulo-o(a).

    Bacalhau com broa frita, porra, isso dá para engordar. O confinamento tem emagrecido as pessoas, tenho notado por cá algumas pessoas mais magras.

    O velho Ivić, nem me lembrava dele. Ainda me lembro do Paulo Bento.

    Vi, vi a “Sofia ou a Educação Sexual” pensando que havia gaja nua, mas não havia nada. Não me lembro do filme.

    A levar na rata depois de fazer um aborto, eia, cona de ferro! A Appolloni, em nova, era boa pra caralho. Lembro-me de querer ir ver uma peça com ela (pensava que ela andaria nua no palco, não sei se sim, se não), mas como não tinha idade para entrar, e meu pai nem por sombras iria, fiquei sem receber cultura.

     
  • At 11:38 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Eh eh, o Bento de Jesus Caraça. Tenho os seus "Conceitos Fundamentais da Matemática" em apontamentos, que tirei quando estava hospedado nos hotéis do Estado por ter discordado das leis do comércio. Eu digo que cavalo e coca se podem vender, Ele, cabeça de hidra, diz que não.

    Ó o velho Magalhães-Vilhena. Será que há estátuas dele e do Bento de Jesus Caraça para derrubar? É a febre de derribe de estátuas, mas sem música disco, nem o Tavolta.

    Tenho estado a ouvir aquele disco do Coltrane no Japão, muito bom. Mas tive que tirar os auscultadores, estou com dores do caralho nas pernas e o som nos ouvidos piora a merda.

    Ó, eu tinha esse livro, “O Sexo na Moderna Ficção Científica”. Já nem me lembrava dele.

    Livros e filmes para explicar o terrorismo, bem, o pior é que depois as pessoas confundem ficção com realidade e acabam como comentadores no Eixo do mal.

    Estava a confundir o César de Oliveira com o outro da revista.

    Victorino de Almeida pertenceu ao MDP, não sabia, também naquela época estava-me a cagar para a política.

    Também acredito nos Anjos.

    Sempre pensei que o Leonor Poeiras era fufa.

    A Ariel também gosta de melancia:

    https://matt-galvo6-world.tumblr.com/post/620877864744730624

    A nossa esquerda revolucionária, espero que tenha havia muita homossexualidade realizada.

    Esse João de Lisboa é mais um para lhe derrubarem a estátua.

    Não sei que é a Luciana Stegagno Picchio. Nem vou fazer a piada fácil.

    O saudoso Benfica. Agora já não tem ADN ganhador.

    O King tinha um pontapé canhão?

    Ó Benfica v Anderlecht, o que é aquilo que está nas bancadas? Nos estádios atuais já não se vê, não faço ideia o que seja.

     
  • At 9:10 da tarde, Blogger D.A. said…

    Damn, dores nas pernas? Sei bem o que é isso de dor crónica.

    Também estive a noite toda a ouvir esse disco do Coltrane. Há uma cena dele, uma obra "free", bastante difícil de se ouvir, mas como és um radical do som:

    https://www.youtube.com/watch?v=63MfNuiXSDs

     
  • At 10:07 da tarde, Blogger D.A. said…

    Ainda aquele "Live in Japan", gosto mais, a certa altura ele repete umas figuras e é um gozo para o ouvido.

     
  • At 10:42 da tarde, Blogger D.A. said…

    O Anti-Raminhos, Capitalismo e Transtorno Obsessivo-Compulsivo:

    https://www.msn.com/pt-pt/entretenimento/sic-passadeira-vermelha/ant%C3%B3nio-raminhos-desabafa-nas-redes-sociais-tratei-mal-a-catarina-fui-bruto-com-ela/vi-BB15o7Lx?ocid=msedgntp

     
  • At 11:05 da tarde, Blogger D.A. said…

    Um futuro para o MEC é tocar banjo:

    https://www.youtube.com/watch?v=yZUoPualHW0

     
  • At 12:03 da manhã, Blogger D.A. said…

    When I Lay My Burden Down:

    https://www.youtube.com/watch?v=ppXu_3phKS0

     
  • At 12:39 da manhã, Blogger D.A. said…

    The Thrill is Gone:

    https://www.youtube.com/watch?v=pKgM6OMRqZ0

    Faz-se de conta que acaba.

     
  • At 12:59 da manhã, Blogger D.A. said…

    A demanda pelas netinhas já é muito antiga:

    https://www.youtube.com/watch?v=0L2aUSSfO38

     
  • At 1:06 da manhã, Blogger D.A. said…

    ehehehehe Vi um filme parecido com este:

    https://matt-galvo8-world.tumblr.com/post/620913868168921088/swampthingy-the-brain-from-planet-arous-1957

    que era este:

    https://en.wikipedia.org/wiki/The_Brain_That_Wouldn%27t_Die

     
  • At 1:33 da manhã, Blogger D.A. said…

    I've Got A Crush On You:

    https://www.youtube.com/watch?v=KelraygLn2g

     
  • At 2:07 da manhã, Blogger D.A. said…

    Como diria Futre: vai haver licking.

    https://www.youtube.com/watch?v=HFGsRJM_4bs

     
  • At 2:10 da manhã, Blogger D.A. said…

    E aqui:

    https://www.youtube.com/watch?v=DCWKI20VVr8

     
  • At 2:22 da manhã, Blogger D.A. said…

    Todos os vídeos de jogos que aparecem no youtube é o Benfica a ganhar ao Porto ahahaha.

     
  • At 2:40 da manhã, Blogger D.A. said…

    Fogo, excelente a qualidade de imagem:

    https://www.youtube.com/watch?v=VAuTouBhN5k


     
  • At 2:44 da manhã, Blogger D.A. said…

    ahahahahahaha O nome da primeira composição promete:

    https://www.youtube.com/watch?v=2uLpjp7xkyI

     
  • At 3:24 da manhã, Blogger D.A. said…

    A Season In Hell:

    https://www.youtube.com/watch?v=EE9QG95KLJ4

     
  • At 10:39 da manhã, Blogger D.A. said…

    Foda-se, morro de tédio a ver "coisas culturais". Que se foda a cultura.

     
  • At 10:59 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Apareceu a teoria de que o “Winds of Change” foi escrito pela CIA, não me admirava nada, sempre me pareceu uma banda de suspeitos espiões:

    https://matt-galvo1-world.tumblr.com/post/620955529808887808/os-scorpions-uma-das-bandas-mais-consagradas

    Tirei 30 fotos ao Anjo, que está cada vez mais sexy, o licking faz bem à pele.

    https://matt-galvo1-world.tumblr.com/tagged/ativista

    Muito bom disco este Coltrane.

    O odioso crime do racismo também tem dado boa matéria, ao jornalismo e a mim, que é um assunto que me é muito querido, preocupa-me imenso que o preto seja racismizado.

    António Raminhos tem cura, é só ir fazer o que gosta: ir levar na peida. Os Cómicos Portugueses não me fazem rir, talvez sejam muito bons, mas sem ser o Rui Sinel de Cordes fico igual ao Buster Keaton. Os Cómicos Portugueses encartados, com carteira profissional, os amadores, como a Clara Ferreira Alves ou Daniel Oliveira ou o Rui Tavares, fazem-me rir imenso.

    Será que o MEC já parou de comer, ele deve estar a enfardar com medo que Costa mande fechar tudo outra vez.

    Uma fumadora:

    https://matt-galvo4-world.tumblr.com/post/620969339531689984

    Esta malta é que sabia tocar:

    https://matt-galvo4-world.tumblr.com/post/620814666567925760/sufferthegestalt-blog-situationist-jam

    Parece que peida, o chinesinho não reage, tive de tirar a rata das outras fotos. Isto prova que Deus fez a mulher de forma errada, meteu-lhe rata e mamilos que vão incomodar as empresas e as famílias:

    https://matt-galvo6-world.tumblr.com/post/620961152451657728/martina-lanik-tcc-annik-163-m-49-kg-86-61-86

    Parece ser um caso de racismo, há que partir-lhe as estátuas:

    https://matt-galvo9-world.tumblr.com/post/620812467590873088/auguste-rodin-sketching-the-cambodian-dancers

    Ufa, o José Feliciano, nunca mais me lembrei dele. Foda-se, ainda está vivo, será que já vê? Com o tempo encontram Deus que lhes opera milagres.

    Um preto para estar na moda:

    https://www.youtube.com/watch?v=j6K79FDhNmY

    Bom, nos nossos dias se alguém cantasse good morning little school girl teria milhares de manifestantes pedindo que lhe cortassem o pénis e o fizessem comer com mostarda e ketchup.

    Nem o Morrison escapava:

    https://www.youtube.com/watch?v=oumWYkocAoU

    Naquele filme do brain, fiquei com a ideia de que o cérebro era de Pereira Coutinho, que é o luso com o maior cérebro do universo,

    O Costa foi escolher um ministro das Finanças com um nome ideal para piadas fáceis, e os jornalistas não perderão a oportunidade, por causa do que sucederá a Portugal nos tempos vindouros.

    Ahahahah, diz o CM: Benfica, Renato Paiva é o favorito até chegar Jesus. Ahahah, o Vieira meteu-se na religião e vai pôr-se à espera da segunda vinda de Cristo.

    Fogo, filho bate no pai de 90 anos. Nunca é tarde para ensinar, e às vezes é necessário umas chibatadas, sobretudo nos velhos que demoram a aprender.

     
  • At 11:19 da manhã, Blogger D.A. said…

    Pus no teu mural do Facebook um anão a tentar engatar raparigas.

     
  • At 11:29 da manhã, Blogger D.A. said…

    Pus outro, o início vale bem a pena.

     
  • At 11:49 da manhã, Blogger D.A. said…

    Isto aliviou-me um bocadinho o tédio:

    https://www.youtube.com/watch?v=UGK70IkP830

     
  • At 12:05 da tarde, Blogger D.A. said…

    Uma pérola:

    https://www.youtube.com/watch?v=RsGm0Y49-TA

     
  • At 12:08 da tarde, Blogger D.A. said…

    Ando fodido dos sonos. Hoje tive um pesadelo horrível, ia ser o fim do mundo e de repente ficou tudo escuro como bréu, nesse momento apareceu o João Lopes, que se escondeu debaixo da cama e disse: "tudo é previsível afinal". Mas em vez do fim do mundo, dos montes saiu um fogo de artifício.

     
  • At 2:09 da tarde, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    “Universidades lusas entre as melhores do mundo”, não sei se isto diz algo sobre as universidades portuguesas, ou sobre as universidades do mundo. O mundo deve estar numa miséria, numa miséria de filosofia e numa miséria de ciência.

    Porra, a Wiki tem o filme “The Brain That Wouldn't Die”, que um gajo pode ver. Não sabia que eles tinham filmes para visualização.

    Tive que interromper os comments para horaginasticar, agora na retoma…

    Caraças, tenho de mandar mais uns mails para o posto médico, e para a ministra, já sei que não vão renovar as receitas, é só para chatear. Neste mês a receita já passou de prazo, até me calha bem não comprar os medicamentos, pois tenho de ir pagar a quota no veterinário onde levei o gato. Se calhar é uma estupidez, devia desistir daquilo, mesmo quotizado é muito caro. Mas eles têm melhores condições do que aquele onde vou comprar a comida, e onde levei a Apito. Mas ali torra-se mais dinheiro que o Centeno a chocalhar os contribuintes.

    Eu já tinha mostrado a razão porque Linda Ronstadt canta:

    https://matt-galvo5-world.tumblr.com/post/619894762494902272/linda-ronstadt

    In heaven ou para lá chegar há sempre licking. E elas tocarem instrumentos de sopro ajuda, fortalece os lábios. Heaven já foi coisa heterossexual:

    https://www.youtube.com/watch?v=s6TtwR2Dbjg

    O Benfica a ganhar ao Porto devia ser lei. Na constituição, para não haver dúvidas.

    Eu cheguei a ver na TV alguns destes programas, em tempos muito idos.

    Rimbaud em inglês.

    Se elas eram fufas…
    Em julho de 2015, duas ex-integrantes da banda The Runaways, Jackie Fox e Kari Krome, acusaram Kim Fowley de estupro:

    https://www.youtube.com/watch?v=F7f-gB5wo9E

    Onde é que há essas "coisas culturais"? Nunca vi nada. Bom, gostava de ver o “Horas extraordinárias” na RTP, as locutoras têm voz suave que leva comprar livros e ir a exposições.

    Eu vi o anão. O telemóvel toca sempre que fazes alguma coisa, é o que se chama estar numa rede social. Socializa-se. Era bom que fosse para gajos altos, dava jeito.

    Porra, que pesadelo. Antes sonhar com um abraço do Marcelo. Também os sonos descontrolados têm-me lixado os dias, por dormir pouco de cada vez, estraga o dia.

     
  • At 2:50 da manhã, Blogger D.A. said…

    Rio Fatigado:

    https://www.youtube.com/watch?v=_yPXreT_fdM

     
  • At 9:25 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Hoje o I desvenda o mistério e deita por terra as tuas pesquisas, enquanto pensavas estar online a falar com mulheres sensuais e provocadoras, afinal eram sex bots. Provavelmente, Ninfa era um sex bot, Moça Especifica era um sex box. Nunca mais a vi, este ano não a vi, o que corrobora a notícia, possivelmente apagaram-lhe o programa e ela desfez-se em bytes.

    Foda-se, já é mau um gajo aturar professores, agora que enfiem pelas goelas abaixo dos putos o Marcelo, alegando que ele é professor, é de uma crueldade sem limites.

    Tu que andas sempre à procura de cultura, eis um livro para ler e refletir:

    https://lifestyle.sapo.pt/fama/noticias-fama/artigos/a-idade-as-operacoes-plasticas-e-a-licenciatura-que-suscita-duvidas-novo-livro-revela-segredos-de-melania-trump

    afinal a expressão dinheiro sujo aplica-se a todo o dinheiro (não é só o da Isabel dos Santos), mas é ok usá-lo, mesmo sujo:

    https://executivedigest.sapo.pt/covid-19-pagar-com-notas-e-moedas-e-seguro/

    ahahahahahahah, catedráticos! Mas que cara linda têm eles, e mais lindas ideias ainda:

    https://24.sapo.pt/jornais/nacional/4089/2020-06-16#&gid=1&pid=2

    A mamã gostava dele:

    https://www.youtube.com/watch?v=iwytKykXbpM

    também tu não reparaste:

    https://sicmulher.pt/estilo/2020-06-15-Ninguem-reparou-neste-pormenor-do-biquini-de-Carolina-Patrocinio

    Fogo, uma grafonola que ainda funciona. É por ser mecânico, se fosse destas merdas digitais de hoje, não tinha recuperação possível.

    Epá, abusos sexuais a idosa de 101 anos, diz o CM. Será possível, aos 101 anos ter sexo, não me parece, pode ter tudo menos sexo ou seria algo com um slash film, mas com sangue branco.

     
  • At 10:22 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Até o Lucky Luke assume a moda do racismo em todo o lado, espero que no próximo livro assuma o lado feminino, um lado mais rabeta:

    https://matt-galvo1-world.tumblr.com/post/621025486022344704/lucky-luke-luta-contra-a-segrega%C3%A7%C3%A3o-racial-em-nova

     
  • At 5:51 da manhã, Blogger D.A. said…

    Eu tinha visto, tu devias sentir-te discriminado, o irmão Dalton mais alto é o mais burro ehehe.

     
  • At 5:52 da manhã, Blogger D.A. said…

    Estou a zero, não tenho nada para dizer, a não ser que o Benfica vai empatar e perder e ser campeão.

     
  • At 6:52 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    O Porto empatou, não há espiga, não há razão para alarme, podes respirar de alívio, o Benfica vai perder.

    Bolas, estes não brincam em serviço, mandam tudo pelos ares (a ser verdade, claro, há muita propaganda para confortar as boas almas ocidentais):

    https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/coreia-do-norte-faz-explodir-gabinete-de-ligacao-intercoreano

    Não se pode dizer que é castigo de Deus, mas que tem graça tem:

    https://matt-galvo1-world.tumblr.com/post/621066804846084096/um-homem-da-virginia-que-foi-atingido-pela-queda

    Mais um que arranja tacho, viagens, dinheirinho bom, e depois caga no prato onde comeu:

    https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/eurodeputado-francisco-guerreiro-sai-do-pan-por-divergencias-politicas-com-direcao

    Estava a fazer tempo, a ver se o chinesinho se incomodava com as últimas fotos que postei no “modernologia”, mas ele não se manifesta. É chato apagar da caixa de transferências e depois receber o mail a dizer que há porno (isso sei eu, é mulher, é porno). Como me sucedeu ontem com a Abella Danger.

    Foda-se, estava a ler as previsões meteorológicas, vai chover mais do que nos outros anos. Tenho mesmo de ir ao telhado ver se consigo salvar a vida das andorinhas.

    Bem, o chinesinho não diz nada, vou apagar as fotos na área de transferência para ordenar as outras que lá tenho. Postar gaja é uma profissão de alto risco.

     
  • At 6:58 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Merda do vírus matou o verão. Devíamos estar com temperaturas de 30-40 graus, cenários dantescos nas bocas dos jornalistas, e os bombeiros heróis.

     
  • At 6:33 da manhã, Blogger D.A. said…

    Não me perguntes se vai haver licking:

    https://www.msn.com/pt-pt/entretenimento/famosos/dolores-aveiro-embarca-em-aventura-com-amiga/ar-BB15CoDT

     
  • At 7:44 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Ahahhah, pois não, nenhum. Fátima é uma big tits, dessas do antigamente. Deve haver filmes dela a ser ordenhada pela Anna Song ou a Maria Shumakova.

    Uma notícia que entra na categoria “boas notícias” com a qual quero incentivar o país a não deprimir e a sair da crise.

    Das big tetas gostava da Irishka:

    https://www.erosberry.com/irishka-a-onirique-by-met-art

    Agora a Sábado vem com jornalismo de investigação sobre que Amália era uma grande puta. Deviam partir-lhe a estátua, e se não existe deviam construir e depois partir. Ela é um mau exemplo para as jovens.

     
  • At 8:37 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    O chinesinho está cada vez pior, afinal ele tinha sinalizado dois porno, só agora reparei. E um deles, eu tinha reclamado e ele reconsiderara. Apaguei, não vale a pena reclamar. A mulher em si é porno, ele deixar que se publique a cara ou as mãos já uma grande cedência da sua enorme boa vontade.

    Que caralho, depois de ter apagado os posts ele volta a fechar com a indicação de conteúdo sensível, mas que chinesinho do caralho.

     
  • At 11:08 da manhã, Blogger D.A. said…

    Gesualdo:

    https://www.youtube.com/watch?v=bxeLGuXWG54

     
  • At 11:51 da manhã, Blogger D.A. said…

    Handel:

    https://www.youtube.com/watch?v=A2mtefMzZcc

     
  • At 11:58 da manhã, Blogger D.A. said…

    Berio:

    https://www.youtube.com/watch?v=E0TTd2roL6s

     
  • At 1:08 da manhã, Blogger D.A. said…

    Love Zombies:

    https://www.youtube.com/watch?v=a2UmnZGPHOY

     
  • At 1:22 da manhã, Blogger D.A. said…

    Ó, isto é um sonho:

    https://www.erosberry.com/irishka-a-onirique-by-met-art-01.html

     
  • At 3:15 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Bolas, depois de Portugal ter sido um milagre na guerra anti-covid, agora está na cauda dessa guerra, a ciência dá para provar uma coisa e o seu contrário:

    https://visao.sapo.pt/atualidade/sociedade/2020-06-18-covid-19-portugal-entre-os-paises-a-vermelho-que-precisam-de-entrar-em-acao/

    Que grande herói. Salvou toda a gente e mais alguma. Acredito no estudo feito pela nossa estudiosa, porque a história é escrita em função das necessidades presentes e não para explicar ou decifrar o passado. A história é apenas uma ideologia e não uma ciência. Ter passado milhares e milhares de vistos num mês é uma obra irrepetível no nosso funcionalismo público, atualmente um serviço desses leva uma semana a ser concretizado. O homem merece uma estátua como exemplo para os funcionários públicos:

    https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/investigacao-revela-mais-de-50-artistas-salvos-do-nazismo-por-aristides-de-sousa-mendes

    Se o bófia fosse para a puta que o pariu:

    https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/quatro-arguidos-em-operacao-da-psp-no-bairro-da-quinta-da-lage-na-amadora

    Caralho, não consigo resposta do chinesinho sobre o “modernologia”, mandei dois mails ontem e nada, mandei um hoje e vai pelo mesmo caminho. Quando ele não responde passado pouco tempo, significa que não vai responder. Estou a ver que é mais um caso de pirataria informática, como sucedeu com o primeiro Instagram. Vou voltar a insistir, mas estou a ver que aquilo deu o que tinha a dar. Ainda tinha mais umas fotos, umas até com elas nuas, sem se ver nada porno, mas sabe-se que está lá mesmo que não se veja, o que confunde o chinesinho.

     
  • At 3:24 da manhã, Blogger D.A. said…

    ehehe Já hoje fui ao "Modernologia" e dei com o nariz na porta. Ele não te responde porque desistiu do teu caso.

     
  • At 5:22 da manhã, Blogger D.A. said…

    Fogo, montes de coisas que ainda não tinha visto no "Laranja Moderna".

     
  • At 6:44 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    O chinesinho desistiu mesmo. Não há nenhuma resposta do centro de ajuda, o que significa, se algum problema acontecer noutro blogue, não vale a pena reclamar. Deve ter sido o Rui Pinto que pintou algo aqui. Pode ser que sejam eles que estejam com problemas, mas se assim fosse já o teriam resolvido, não ficariam tanto tempo na fogueira. Amanhã mando outra reclamação, apenas por causa das tosses, o melhor é abrir outro blogue e passar algumas fotos (ou todas), esperando que não ficaram conspurcadas pela vergonhosa classificação de conteúdo adulto.

    Será que o Gesualdo está feliz na sua equipa?

    Handel em latão?

    Era Berio como as cobras. Punha as gajas a fazer cada coisa.

    Depois das piadas fáceis, intelectualidade.

    Não sabia que o líder dos Monochrome Set era um monhé. Está atual. Estão na moda.

    Toda a Irishka era um sonho. Não sei se a sua carreira medrou ou merdou.

    Gostava muito destes livros, em jovem, o herói era da nobreza, o SAS, se não estou em erro era qualquer coisa como "sua alteza sereníssima".

    https://matt-galvo7-world.tumblr.com/post/621271383929978880

    Eh eh, no “laranja moderno” iniciei o espaço Gilles Deleuze, com Deleuze com gato e Derrida e Foucault todos gatifados.

    Tenho estado a ler jornais que tinha acumulado, as notícias, mesmo atrasadas, são novidade. Fiquei a saber que a princesa Beatrice adiou o casamento por causa da pandemia, espero que isso não a impeça de foder. Aos olhos de Deus está ok, a culpa não é dela se não se pode enlaçar pelo matrimónio. A filha de Costa, mais ortodoxa nos ditames de Deus, não adiou o casamento.

    Olha a moda já chegou a Espanha, não tarda nada chega a Portugal:

    https://blitz.pt/principal/update/2020-06-17-Pablo-Alboran-revela-que-e-homossexual.-Tenho-algo-para-vos-dizer-preciso-de-ser-um-pouco-mais-feliz-do-que-ja-sou

     
  • At 9:41 da manhã, Blogger D.A. said…

    Já tinha deixado uma nota no Facebook: "não é em qualquer sítio que se pode ver Deleuze com um gato".

     
  • At 9:44 da manhã, Blogger D.A. said…

    Tenho aquilo do Berio em cd, com a Berberian. Isto também tem piada:

    https://www.youtube.com/watch?v=0dNLAhL46xM

     
  • At 10:08 da manhã, Blogger D.A. said…

    Bom Berio:

    https://www.youtube.com/watch?v=qA2mXSUt77o

    Há uma coisa dele para fita magnética.

     
  • At 10:38 da manhã, Blogger D.A. said…

    O CM de hoje, que comprei, diz que o Aristides salvou o Salvador Dalí.

     
  • At 11:39 da manhã, Blogger D.A. said…

    Temos de ir beber um copo:

    https://www.youtube.com/watch?v=9sdKmM8w_vk

     
  • At 12:02 da tarde, Blogger D.A. said…

    Morreu a Vera:

    https://radiogeice.com/2020/06/morreu-vera-lynn-a-voz-do-hino-de-esperanca-na-ii-guerra-mundial/?fbclid=IwAR2ePzxZb1hBA2qx1--Kxb2OMKqRhdfLHwz4m8J7lcDFCgPWr9iCbj5WQuI

     
  • At 6:31 da tarde, Blogger D.A. said…

    Inquérito proustiano:

    https://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt/quem-fala-assim-1-11601831

     
  • At 9:26 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Ontem apanhei o susto da década. No Mini Preço, na caixa, meto a mão ao bolso para retirar o porta-moedas, e não havia porta-moedas, só o bloco de notas e a caneta Parker. Fiquei logo fodido, perdera-o ao tirar a puta da máscara do bolso para entrar no supermercado. Havia a magra possibilidade de o ter deixado em cima da cama, muito vaga hipótese, pois lembrava-me nitidamente de o ter guardado. De qualquer maneira tinha de voltar a casa buscar dinheiro.

    Antes, estivera em casa a distribuir o dinheiro pelas despesas, e metera 60 euros no porta-moedas para o resto dos gastos: o supermercado e a quota do veterinário. Vou a casa, claro, não havia porta-moedas nenhum, retiro 20 euros das despesas gatais e vou pagar a conta.

    De regresso a casa, vou verificar que porta-moedas perdera: tenho dois, um comprado e outro, mandara o sapateiro fazer, pelo valor de 13 euros nos bons tempos. E aí tomo consciência do que sucedera. Como vivo uma vida zen, todos os meus gestos são automáticos, para não ter que pensar e sofrer de frustração. Coloco as coisas sempre no mesmo lugar para, não ter que pensar onde as colocar, e para não ter que perder tempo a procurá-las quando preciso delas.

    E, ao meter os 60 euros no porta-moedas, metera-o no seu lugar, na gaveta, em vez do bolso. Beijei as reaparecidas notas que pensara ter perdido. Foi o alívio da década.

    Os sons do quotidiano que deviam ser postos em pauta para cantar nos teatros eram os comentários da bola. Ou os comentadores do Expresso.

    Estava no link que pus (acima) que o Aristides salvara o Dalí, o Aristides salvou toda a gente, mesmo you and me.

    https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/investigacao-revela-mais-de-50-artistas-salvos-do-nazismo-por-aristides-de-sousa-mendes

    (Não deixam de ser ridículos estes esforços para fazer um herói).

    Ah, o velho absinto, hoje deve estar transformado numa água choca.

    Da II Guerra Mundial? Bolas, durou bastante. As mulheres duram muito, é para os homens terem a mamã.

    Ufa, a cabra doida tem ADN para ser presidenta da República. Não lhe perguntaram quantas cocks suckou, é informação útil para avaliar a evolução do perfil psicológico.

     
  • At 9:34 da manhã, Blogger D.A. said…

    "Beijei as reaparecidas notas"

    ahahahahaahahahaha!! Capitalista!

     
  • At 11:33 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Chama-lhe capitalista chama. Até meti a foto dos dois porta-moedas no Instagram para se ver a diferença entre cheio e vazio.

     
  • At 8:14 da manhã, Blogger D.A. said…

    Não tenho novidades. Sou praticante do estoicismo agora. Ontem consegui manter-me acordado até às 6 da tarde, sem queixa alguma, sem nada para fazer, mas dou tempo ao tempo, acontece sempre uma coisita ou outra. Ontem passei o dia a ver as notícias com a minha mãe, por causa do Pedro Lima, a minha mãe dizia que até lhe tremiam as pernas e só almoçou mais tarde.

     
  • At 11:44 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    O Pedro Lima foi de facto um choque, um rapaz que parecia ter tudo, ele chegou a aparecer confinado para motivar as pessoas, e acaba assim na praia, ao menos acabava lendo centenas de livros, suicide by book, numa espécie de "Grande farra" literária.

    Afinal o chinesinho tinha uns posts antigos no “modernologia” sinalizados como porno, três, reclamei ele reviu a sua posição num, não foi má média. Apaguei-os. Agora não sei se haverá mais antigos, será que ele viu a rata da Bettie Page? Há mais fotos com mamilos indiretos, através de roupa, isso também o assusta. Vou ter que carregar o telemóvel e fazer um scroll do caralho na cata de empata-chinesinhos.

    Entretanto, abri outro moderno, para passar fotos do “modernologia”, chamei-o “bonecas modernas”, mas acho que vou mudar o nome. “Bonecas modernas” objetifica a mulher, é insultuoso, torna-a um bibelot de psiché, um ser plastificado. Vou trocar por “brinquedos modernos”. Brinquedo já dá uma ideia de igualdade, de calor humano, algo que se manuseia, que se abre e quer saber o que há no interior, no âmago da sua alma, que se quer conhecer.

    https://matt-galvo10-world.tumblr.com/

    Epá, o JN diz que o governo está a dar cachimbos para fumar crack. Suponho que o que chamam crack é o que a malta chama base. O crack dizem que é do caralho, na base não vi nada disso, é viciante, se um gajo tiver massa torra toda, mas quando acaba, acabou-se, não fica como pintam, viciado, fodido, deserdado. Gostava de ter um cachimbo desses para ver como é. Não é que eu não tenha um, mas pode ser algo mais trend.

    O CM diz que cortaram o salário do Pedro Lima para metade.

    Foda-se, uma gaja mata o namorado com óleo a ferver ao descobrir traição. Porra, esta é das que levam o amorzinho a sério.

     
  • At 11:19 da tarde, Blogger D.A. said…

    Começa a noite com irmãs fufas:

    https://www.msn.com/pt-pt/entretenimento/famosos/andreia-dinis-parabeniza-a-irm%C3%A3-transformou-se-nesta-mulher-linda/ar-BB15NjOt?ocid=msedgntp

     
  • At 12:12 da manhã, Blogger D.A. said…

    ahahaha Crias o "Brinquedos Modernos" e fica logo um poço sem fundo, mas cheguei ao fundo.

    Não consigo mesmo perceber a cena dos pés. Há um sentido metafísico que me escapa, mas visto em sequência é como se revelasse a "mulher" de uma forma a que não estávamos habituados, parece-me "cultura", no sentido nobre da palavra.

    Tens uma fixação na Adéle do caraças, até a repetiste.

     
  • At 12:16 da manhã, Blogger D.A. said…

    A Benedita Pereira deixa-me louco. Só há a ex-namorada e a Benedita Pereira.

    http://kingoftheflatscreen.com/hottest-woman-5617-benedita-pereira-sim-chef-the-blacklist/

     
  • At 6:22 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Duas irmãs, amor fraternal, vai já para a secção “boas notícias” do “mais que moderno”, porque o país está a precisar de boas notícias como de pão para a boca e azeitonas para o Martini (shaken).

    Eu tinha posto uma sugestão de trabalho, para não dizeres que é só tédio, ocupando-te assim os dias numa atividade útil, produtiva, e, por coincidência (ou não), o JN diz hoje que a quarentena estimulou o negócio dos brinquedos sexuais, logo, não terás mãos a medir:

    https://matt-galvo1-world.tumblr.com/post/621425856438534144

    Chegaste ao fundo do “bonecas modernas” então chegaste à Rita Pereira e os seus gostos. São bons. Ela é do Benfica. Também o fiz e encontrei uns posts já sinalizados como porno, apaguei, não quero controvérsias com o chinesinho.

    Ontem, passei parte da tarde num scroll no “modernologia”, fecundo. Encontrei mais posts sinalizados como porno, reclamei, mas não consegui ser aceite, o chinesinho dizia que estava na casa de banho de momento e não podia atender, para evitar celeumas apaguei. Eles não tinham mesmo nada de especial, exceto ser uma mulher, para não estar à espera que o chinesinho acabasse as suas necessidades fisiológicas apaguei.

    Agora, isso sim, ele tinha razão, o post de Bettie Page estava sinalizado como porno. Deve ter sido algum amigo que o alertou para o facto, no lounge bar, after work, Olha, já reparaste nisto? É uma rata no meio do pelo. Virgem Santíssima, como é que eu deixei isso escapar? Não vi mesmo. Claro que tive de apagar.

    Havia outra foto que mais parecia um daqueles quebra-cabeças que vêm nos jornais, por mais que eu olhasse não via mamilo. Tinha cortado a foto para retirar a cona da equação, mas deixei ficar mamilo, inadvertidamente. Por mais que olhasse não o via.

    Os pés, contrariamente ao que se possa pensar, neste caso, não é um caso de podolatria, antes pelo contrário, nem que eu esteja interessado em trampling. Tratou-se de uma piada sobre as lordas de Hollywood, que nos vendem como material perfeito, material de sonho, e muitas têm pés que são mais feios que o Diogo Feio. E surgiu para responder à pergunta Como podem sex symbols terem pés de cabra? Isso não macula uma imagem perfeita?

    Depois, no caso das atrizes do cinema especializado tem mais piada ainda, porque corto o pé direto e corto o pé esquerdo, para aqueles que se dedicam à reflexão filosófica sabem, intuem diretamente, que elas estão todas escancaradas de cona bem ao léu.

    Ai o caralho da Adèle, não tinha reparado que postei duas vezes, como isto tem sido feito ao longo de dias, o passado fica esquecido.

    Aqui também há mamilo:

    https://matt-galvo5-world.tumblr.com/post/621425023100534784/fantasticdetectivecollectionus

    E aqui que um homem fica sempre bem de farda, elas caem aos seus pés:

    https://matt-galvo5-world.tumblr.com/post/621507134704746496/those-eyes-that-mouth-bryan-ferry-by-michael

    As grannies são desejadas há muito tempo, não é de agora:

    https://www.youtube.com/watch?v=ki_UsGRj-es

    Afinal havia Scorpions antes dos Scorpions:

    https://www.youtube.com/watch?v=9_lz9eWxN70

    Epá, a vida é madrasta

    https://www.tv7dias.pt/ana-afonso-entregou-as-criancas

    Como vou ter que andar nas ruas hoje, (tenho no MP3 os Bauhaus), adequadamente com o espírito urbano, recordando os Biting Elbows:

    https://www.youtube.com/watch?v=oc0RV1WB4_o

     
  • At 6:25 da manhã, Blogger D.A. said…

    Entretanto no Red Light:

    https://www.msn.com/pt-pt/noticias/mundo/vitrinas-do-sexo-de-amesterd%C3%A3o-fechadas-pela-covid-19/vi-BB15NBeU

     
  • At 4:32 da tarde, Blogger D.A. said…

    Em relação ao beijo das irmãs, só é pena não ter continuidade.

     
  • At 9:21 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    O Costa não deixa desconfinar, agora é culpa dos jovens e das festas ilegais. Os filhos dos burgueses com carro, dinheiro, um rebanho de conas para comer (ou pichotas, há que inclusivizar), coca para snifar, Sagres para beber… vão ficar em casa aos fins de semana só para salvar alguns velhos do seu destino? Só a ideia é ridícula.

    Os políticos entraram na senda do proibir, só não proíbem levar na peida porque eles gostam:

    https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/covid-19-britanicos-proibidos-de-nadar-mariposa-nas-piscinas-603860

    Este era um poster muito famoso antanho:

    https://matt-galvo5-world.tumblr.com/post/621632823665836032/nostalgia-eh52-1967-frank-zappa

    Eh eh viste os porta-moedas no Instagram. São dois, daquele estilo, tenho vários outros. Tal como divido as despesas por copos, também, quando vou pagar, levo o dinheiro em porta-moedas diferentes. Estes são muito parecidos. São bons, são de cabedal e forrados a pano por dentro. O debaixo, não era porta-moedas, comprei-o no sapateiro, o Ti Zé, e era um porta-chaves, tinha uma argola dentro para enfiar as chaves, tirei-a e ficou um ótimo porta-moedas. O outro surgiu por acaso. Fui ao outro sapateiro, várias vezes, para que ele me fizesse uns furos no cinto. Ele não me cobrou nada. E conversa puxa conversa, mostrei-lhe o porta-moedas, ele diz Ah, isso é fácil de fazer. Eu, como estava com problemas de consciência por ele não me levar nada pelos furos, então digo Olhe, faça-me um, assim como assim, preciso de vários porta-moedas.

    O putedo sofre em todo o mundo, não é só na Holanda, e o poder político também não as deixa desconfinar. Não percebo porquê. É má vontade, já foi inventada a forma moderna de fazer amor sem transmissão de coronavírus:

    https://www.youtube.com/watch?v=ml7V7LvSi0M

    Eh eh, a Lotte já tem ideias de posições que respeitem o distanciamento, a melhor é a puta à janela, e o cliente no passeio de joelhos e uma rosa na boca.

    Hi! Hi! Hi!

    https://www.youtube.com/watch?v=H_IDdKJl0Iw

    Solidão:

    https://www.youtube.com/watch?v=x3OdzRdTJE8

     
  • At 11:53 da manhã, Blogger D.A. said…

    https://www.cmjornal.pt/insolitos/detalhe/mulher-torna-se-melhor-amiga-de-boneca-sexual-durante-a-quarentena?ref=HP_BlocoInsolitos

     
  • At 3:55 da tarde, Blogger D.A. said…

    Achei imensa graça os Marillion na Benedita Pereira.

     
  • At 3:58 da tarde, Blogger D.A. said…

    O velho porta-moedas dava dignidade ao dinheiro dava.

     
  • At 4:03 da tarde, Blogger D.A. said…

    Tenho ouvido uns discos completos.

    Esse vídeo dos Pretenders é bem fixe!

     
  • At 4:13 da tarde, Blogger D.A. said…

    "já foi inventada a forma moderna de fazer amor sem transmissão de coronavírus"

    ahahah "Dildano". Nunca vi o Barbarella, só uns excertos.

     
  • At 4:41 da tarde, Blogger D.A. said…

    ahaha Hoje pus na Antena 1 e estava o Barata-Moura a falar do Descartes. Aprendi uma coisa:

    https://en.wikipedia.org/wiki/I_Advance_Masked

    Esse título é da moral de Descartes. Li o "Discurso do Método" e o "Meditações Metafísicas", nunca li "As Paixões da Alma", nem sei onde está a moral dele, enfim, nunca estudei muito Descartes, o que para um estudante de filosofia é crime. Em compensação perdi montes de tempo com coisas de filosofia sem grande interesse.

     
  • At 4:43 da tarde, Blogger D.A. said…

    Também li o "Considerações sobre Descartes" do Koyré.

     
  • At 4:54 da tarde, Blogger D.A. said…

    Poesia:

    https://www.youtube.com/watch?v=M4yUo9_k6Bw

     
  • At 5:01 da tarde, Blogger D.A. said…

    O Damon:

    https://www.youtube.com/watch?v=f1RIkx_O_Dk

     
  • At 5:17 da tarde, Blogger D.A. said…

    Já não são os homens que comentam, é o fim do Homo Sapiens:

    https://www.msn.com/pt-pt/entretenimento/famosos/namorada-de-r%C3%BAben-dias-arrasa-em-biqu%C3%ADni-o-instagram-foi-abaixo/ar-BB15RNBe?ocid=msedgntp

     
  • At 8:05 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Estou a ver que o Benfica tem de contratar o Stjepan Lamza. O gajo entrava tão bêbedo em campo que, muitas vezes, nem sabia o nome da equipa adversária, mas marcava golos que se fartava.

    Não cheguei a sinalizar a viagem, profícua, ao veterinário, para pagar a anualidade. Quando passo pelo teatro Armando Cortez, no mp3, tocava “Rat Trap”, dos Boomtown Rats, e qual era a peça em cena? Precisamente “A ratoeira”, de Agatha Christie. (Por isso meti as fotos no Instagram). Achei uma grande coincidência e fui atento a mais coincidências. Ao chegar ao laboratório Germano de Sousa estava uma crew cinematográfica a filmar não sei o quê. Tirei três fotos, não fosse a Benedita Pereira estar por lá. Havia muito preto à volta, atribui a atividade fílmica a Manoel de Oliveira, agora na rodagem de um filme sobre a guerra colonial (num estilo “Weekend” de Godard). No mp3 tocava “Sato-Sato”, dos DAF, por isso fiquei na dúvida se seria ele. Se fosse “Der Mussolini”, não me restariam dúvidas, era ele.

    https://matt-galvo8-world.tumblr.com/post/621541941457354752/artfilmfan-week-end-jean-luc-godard-1967-i

    Quando estou próximo do bairro, no regresso, já ia no “The Lamb Lies on Broadway”, e inquiro-me se não será sinal para comprar uma raspadinha. Mas antes de entrar no bairro a bateria acaba e esse era outro sinal no sentido contrário, o meu mojo terminara, não valia a pena comprar a raspadinha.

    Uma coisa nova que notei nas ruas foi a profusão de máscaras no chão. É logico. São descartáveis, é natural que as pessoas as atirem para o chão. Num extensão curta de estrada contei nove, até estive para deitar para o chão a minha para perfazer uma dezena certa. Desisti, vou ater-me a ela por mais algum tempo.

    Notei algo curioso no Tumblr. Passei a tarde de domingo em scroll para retirar todos os posts porno, assim o fiz. Mas, ontem, por acaso, notei que o chinesinho marcara mais duas fotos com porno. As fotos não tinham absolutamente nada, mas deu para perceber com funciona o chinesinho: ele não dorme, passa a noite a marcar fotos (ao calhas) como porno. Assim é uma tarefa vã conseguir que retirem o “conteúdo explícito” do “modernologia”, quando estou a dormir, está o chinesinho a marcar fotos, o que obrigaria a todos os dias estar em scroll à procura do seu job.

    Por isso, criei outro moderno, mas este em inglês, para que se perceba bem, e com definição em inglês para que se perceba ainda melhor.

    on tumblr photos of women must stay on quarantine for evaluation of his pornographic content, as is well known women are biblical obscene by nature, so quarantine can last years

    https://matt-galvo11-world.tumblr.com/

    (E em boa hora o fiz, logo no primeiro post, o chinesinho viu porno, ela estava nua sem roupa, mas não se via nada proibido, cortei as fotos e voltei a publicar.

    A ideia seria, depois do período de quarentena, publicar no “bonecas modernas”, mas como a atividade do chinesinho não está acabada, nada garante que daqui a uns dias não apareça outra foto, como porno, mesmo depois de um mês em quarentena).

     
  • At 8:38 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Ah, um final feliz, sou um sucker pelo happy end. Uma boneca à beira da morte é resgatada: "Foi no final de março, no fim de um bonito dia de primavera. Estava a fazer uma caminhada perto da minha casa" – bonito.

    E por falar em quarentena. Estreou uma série engraçada na RTP2. Cada episódio tem 5 minutos ou pouco mais, sobre uma jovem confinada. Só vi o primeiro episódio, mas promete ser inovador e com pouco dinheiro. Claro que aos velhos aquilo pouco dirá, tal como o “Morangos com açúcar” nada disse no início do milénio. Chama-se "Quaranteens", passa à noite,

    Foda-se, já existe a palavra covidário. Bom, este ano a Porto Editora nem precisa fazer o concurso para palavra do ano: é coronavírus, ou covid, embora isto seja um acrónimo, mas estamos em Portugal.

    Ou era os Marillion ou era o beautiful do James Blunt. Bom, também há o da Christina Aguilera.

    “Barbarella” é daqueles filmes que vejo recorrentemente, quando é transmitido nas TVs. Até tenho em vhs, em cassete original, que comprei nos oitentas, inícios de noventas.

    Ah, o velho Barata-Moura ainda está vivo? Nunca cheguei a ter aulas com ele, apesar de ele pastar carneiros na faculdade.

    Também li "Discurso do método" e as "Meditações metafísicas", não se a que propósito estudei Descartes. E tinha a bibliografia completa.

    Será Rimbaud?

    Outra poesia, dos Hanatarashi (é mesmo um buldózer que é o instrumento):

    https://www.youtube.com/watch?v=rxJUbd66Vcc

    Yamatsuka Eye é o vocalista dos Hanatarashi:

    https://www.youtube.com/watch?v=CBEWnMVD5tg

    Hmm, as gajas estão atentas às outras gajas, nunca se sabe, pode haver petisco.

    Que diabo:

    https://www.youtube.com/watch?v=3XcJVBOjJ5I

     
  • At 7:50 da tarde, Blogger D.A. said…

    ahahahahahahaha! Não sei se a "obscenidade bíblica" da mulher é assim tão certa, será que há um "Pre-code" na Bíblia? No fundo, na internet aconteceu o mesmo que no cinema:

    https://en.wikipedia.org/wiki/Pre-Code_Hollywood

     
  • At 7:52 da tarde, Blogger D.A. said…

    "Tirei três fotos, não fosse a Benedita Pereira estar por lá."

    Ela era jeitosa para ti, é desbocada e acho que lhe metias na cabeça qualquer ideia.

     
  • At 7:53 da tarde, Blogger D.A. said…

    ehehehe "Quaranteens" é uma série que foi feita para ti.

     
  • At 7:57 da tarde, Blogger D.A. said…

    Fogo, nunca tinha ouvido falar do Stjepan Lamza, não é do meu tempo, estava ele a terminar a carreira e eu a nascer.

     
  • At 8:09 da tarde, Blogger D.A. said…

    Eu não gostava nada daquela música dos Marillion, mas com aquele vídeo e ligada à Benedita foi como um momento de Graça, esse de que falava Deleuze no seu último texto, momento em que todas as leis do mundo são suspensas e onde poderíamos ver Pinto da Costa a celebrar um golo do Benfica e todas as coisas mirabolantes que se pode imaginar, que traduzem talvez a Apocatástase:

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Apocat%C3%A1stase

     
  • At 8:14 da tarde, Blogger D.A. said…

    Nem resisto a replicar:

    A Benedita:

    https://www.imdb.com/name/nm1515873/mediaviewer/rm852121344

    Os Marillion:

    https://www.youtube.com/watch?v=ROuWBdmZhvY

     
  • At 9:20 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Bolas, hoje o chinesinho tinha razão. Publiquei cachos de fotos da Keisha (no “modern quarantine”) e ele deu porno num renque. Cortei algumas fotos, pensando que era dali que vinha o porno e volto a publicar, mas, logo após, noto mamilo numa outra foto. O tempo todo estava ali mamilo bom de se lhe chupar e eu não vi. Apaguei logo. Mas o chinesinho foi mais rápido, pôs logo a cortina de “conteúdo explícito”. Expliquei-lhe a situação e ele foi misericordioso e retirou o véu. Este chinesinho não brinca em serviço, aproveita-se de um gajo já se ter esquecido o que é um mamilo, para abusar da amnésia e pouca memória.

    Arranjei forma de não irritar o chinesinho: cortando os mamilos das fotos. Espero que ele não veja isso como uma chacota ao seu serviço de vigiar cona e mamas. Como fiz com a Nata Lee, retirei os mamilos, mas o cérebro continua a “vê-los”:

    https://matt-galvo11-world.tumblr.com/tagged/nata-lee

    Epá, ninguém me consegue convencer que o gajo da linguagem gestual não está ali apenas a gozar com os cabrões da política:

    Então o gajo não está aqui a dizer algo sobre o Marcelo?

    https://matt-galvo1-world.tumblr.com/post/621816007650050048

    Ou aqui. Não está ele a dizer: A gaja é boa, vai para a cama por 40 euros?

    https://matt-galvo1-world.tumblr.com/post/621822331441037312/e-portanto-isto-definitivamente-n%C3%A3o-est%C3%A1-a

    Ou aqui. Não está a dizer: Este gosta de meter coisas na boca?

    https://matt-galvo1-world.tumblr.com/post/621822187513544704/mas-vejamos-%C3%A9-ilegal-um-jovem-agrupar-se-para

    A Bíblia é o tal “manual de instruções” que dizem que deve vir com as gajas. Quando dizem “a mulher devia vir com manual de instruções” estão errados, ele existe, é a Bíblia. É a Maria Madalena, a Salomé, a Eva, um não acabar de variações de putedo.

    Hollywood está a precisar de um novo code para varrer toda a profanação dos bons costumes que por lá é feita.

    Stjepan Lamza era melhor que o Modrić. Só que era um bêbedo do caralho. Bebia mais do que jogava, e não raro era visto nos bancos do jardim a dormir, até passar a bebedeira. Num jogo do Dinamo contra o Barcelona o gajo, a cair de borracho, pergunta ao colega contra quem iam jogar, entrou em campo, marca dois golos e pede para sair no intervalo: não se sentia bem. Provavelmente voltou para a taberna para beber o resto da garrafa.

    Apocatástase seria ver o Pinto da Costa enforcado nas tripas do Sérgio Conceição.

    Ou ver-lhe a cabeça como pelota:

    https://www.youtube.com/watch?v=UULIfPLMuDw

    Tanerélle

    https://www.youtube.com/watch?v=i2XUrySbdUE

     
  • At 5:26 da tarde, Blogger D.A. said…

    Fui ao novo Lidl com a minha mãe. De repente passa uma tipa... Alta, o máximo de elegância, umas pernas até ao cu, umas calças de ganga justa a meterem-se no rabo, com aquele espaço entre pernas... A minha atenção desviou-se toda das pizzas até ela sair do campo de visão. Ainda andamos por lá um pedaço e ela sai ao mesmo tempo que nós, tinha o carro à frente do meu e vejo-a já ao volante, com óculos de sol.

     
  • At 7:08 da tarde, Blogger D.A. said…

    Uma juventina:

    https://www.youtube.com/watch?v=TTkxYmE4hyk

     
  • At 7:28 da tarde, Blogger D.A. said…

    Acho que já sou um conviva dos deuses, já não preciso de nada, não tenho qualquer necessidade sexual, não necessito de champanhe, desdenho todas as iguarias. Só mantenho o tabaco a conselho do Alan Watts, devemos ter algo que nos prenda ainda aos mortais.

     
  • At 9:13 da tarde, Blogger D.A. said…

    Aquela tipa lixou tudo... Há bocado fui ao supermercado. Estava a tipa soberbamente avantajada do quiosque a vender umas cenas do Benfica a uns rapazes, ainda testou um avental... Estava de óculos hoje... Pedi-lhe um isqueiro, começou a brincar comigo com as cores dos isqueiros... Vou à cafetaria e estavam duas das habituais e uma nova, podre de boa, ganga justa, e bonita, mesmo com a máscara dava para ver, foi ela que me atendeu. Saí de lá e já nem via bem, olhava para as da caixa e olhava como o Lobo Mau. Tem a sua piada, mas não se faz isto a um homem.

     
  • At 8:55 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Aleluia! Alvíssaras! Mariazinha deixa-me ir à cozinha! O chinesinho, na sua infinita bondade, levantou o véu do opróbrio do “modernolgia”, e o blogue já corre livre pelos bosques da net. E, apesar de eu me dirigir a ele em língua do Camões, ele incumbiu o bot inglês de me responder:

    Hello,
    We’ve reviewed your classification appeal and have determined the contents of your blog are not Adult per our Community Guidelines located here: https://www.tumblr.com/policy/en/community. Your blog has now been unflagged. We apologize for the error. For more information about what is considered adult content, please see our FAQ support post or the Tumblr Help Center.
    Thank you,
    Tumblr Trust & Safety

    E por falar em mails. Mandei três para o posto médico em sede de renovar a receita. Ontem mandei este, e hoje quando acordo já tinha resposta a dizer que não receberam nada, e para eu mandar o nome completo, e número de utente, go figure:

    No quatro email já não insisto no pedido, é assunto arrumado, já se percebeu que esse serviço está fechado. Agora, como sou muito velho e não tenho tempo para perder com cocorocós e quiqueriquis, não quero ir à consulta do hospital Santa Maria para ouvir a médica dizer que eu devia ter tomado os comprimidos, que queria ver o seu efeito nas análises, etc. etc. etc. Não tenho tempo para perder com essa conversa: por isso, peço que me seja fornecido um documento atestando que eu tentei renovar as receitas mas que tal não foi possível. Não é necessária justificação, a simples constatação do facto é suficiente.
    Sem outro assunto
    Os melhores cumprimentos

    (É verdade que também mandei, diferente, mais técnico, em vez de lhe chamar “documento”, chamei-lhe “papelinho”, para a ministra, para a secretária de Estado e para a ARS de Lisboa Vale do Tejo).

    Há bastas razões para comemorar:

    https://matt-galvo5-world.tumblr.com/post/622060003319332864/mark-lanegan-borracho

     
  • At 10:17 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…


    d.a.:

    Tenho de ir à rua buscar duas pedras. Não, não são para atirar ao Costa ou à sua matilha que está a ganhar bons lugares na nossa próspera sociedade. Como não tenho dinheiro para Picassos, uso a arte abundante no quotidiano. Como comprei umas caixas de cereais, sim, Chocapic, quero pô-las no quarto, mas preciso de um peso no interior para elas ficarem estáveis. Além disso, só o Dalí é que sabia pintar Picassos:

    https://matt-galvo9-world.tumblr.com/post/621723550692392960/escapexvelocity-salvador-gala-dali

    Porra, agora nos supermercados só me cruzo com encarquilhadas velhas, mascaradas, parecem o abrenúncio.

    Recebi no feed esta notícia, que caralho é bloom?

    https://www.dnoticias.pt/casos-do-dia/consumiu-bloom-e-foi-socorrido-pelos-bombeiros-AX6473637

    Perguntei a Deus Google. E só recebi isto, mas não deve ser:

    https://administradores.com.br/artigos/os-delirios-do-consumo-somos-todos-becky-bloom

    Foda-se, o chinesinho não para. Estive a reblogar do “modernologia” para o “bonecas modernas” e agora reparo que ele sinalizou três pornos. É mesmo uma tarefa inútil postar fotos de gajas, elas são pornográficas e ponto final, não há nada a fazer. Ele é daqueles que acha que elas são apenas cona para esvaziar os tomates, há gajos assim, eu, como sapiossexual, fico chocado com as pessoas que assim pensam.

    “Umas calças de ganga justa a meterem-se no rabo, com aquele espaço entre pernas”, como? Assim, deste modo?

    https://matt-galvo10-world.tumblr.com/post/621950368590495744/capripantslover-betty-brosmer

    Era do que eu estava a precisar, de uma gaja com carro.

    Eh eh uma Juventina. Haverá benfiquinas?

    Eu também sou um “conviva dos deuses”, apetecia-me fazer sexo com Anjos.

    Espero que tenhas comprado um isqueiro vermelho.

    Talvez não fosse olhar de Lobo Mau, fosse de coelho:

    https://matt-galvo7-world.tumblr.com/post/621904057351716864/wtxch-brownie-the-story-of-a-naughty-little

    O diário:

    https://matt-galvo7-world.tumblr.com/post/621364624125788160/the-perversions-of-quiet-girls-is-a

     
  • At 3:23 da tarde, Blogger D.A. said…

    Olha se tivesses netinhas:

    https://www.msn.com/pt-pt/desporto/futebol/filhas-de-maradona-podem-recorrer-ao-tribunal-para-internarem-o-pai/ar-BB1620Wo?ocid=msedgntp

     
  • At 4:03 da tarde, Blogger D.A. said…

    Isto é realmente lindo:

    https://matt-galvo7-world.tumblr.com/post/621903126101950464/goshyesvintageads-converse-inc-1987

    Como se chamam esses tons de cores que uma vez ouvi dizer que são burgueses?

     
  • At 4:07 da tarde, Blogger D.A. said…

    Hoje estava no carro a ouvir uma entrevista com o João Mota, aquele do teatro. Enfim, assuntos transcendentais e claro Shakespeare. Mas depois de Shakespeare ele falou dos maus exemplos, concretamente dos "Morangos com Açucar". Ri-me, Hello Benedita!

     
  • At 6:32 da tarde, Blogger D.A. said…

    Ninfas:

    https://commons.wikimedia.org/wiki/Category:Paintings_of_nymphs

     
  • At 6:32 da tarde, Blogger D.A. said…

    Vê se compras a TV Guia, traz um facalhão que mais parece uma catana.

     
  • At 8:54 da tarde, Blogger D.A. said…

    Vale a pena ouvir toda, tem muitos "eargasms":

    https://www.youtube.com/watch?v=zsTo7QxxgYg

     
  • At 10:10 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Amanhã o Público oferece um sabonete com cheiro a manjerico, assim, se queres que elas digam à tua aproximação: Olha, lá vem aquele manjerico. Já sabes que fazer, ir ao quiosque e disfrutar de umas boas ensaboadelas - cantando uma ária da tua preferência, opcional.

    Ahahahahahah, quando a Colgate deixar de pôr os dentes mais brancos, pôr pretos, beges, ou arco iris, para estar na moda, eu deixo de usar:

    https://matt-galvo1-world.tumblr.com/post/622138674992267264/presidente-do-grupo-loreal-jean-paul-agon

    Ontem, na demanda das pedras comprei o Sol, e em boa hora. Vem um artigo da Felícia Cabritona sobre aquelas duas cabras que mataram e desmembraram um gajo no Algarve. Que cabras retintas. Era um jovem solitário, previsível, kantiano, as pessoas acertavam os relógios por ele, com azar na vida, mas que queria encontrar o amor, queria o amorzinho. Enrabichou-se por uma puta, que era fufa, mas não dava pala. Quando ele recebe uns dinheiros elas planeiam roubar tudo para viverem felizes para sempre. Vale a pena ler aquilo.

    Depois de presas, pedem para ficar na mesma cela. Ou seja, a paga pelo crime é lickar lickar e lickar por vários anos. Que cabras.

    Eh eh Maradona está a viver à grande e depois vai morrer.

    Cores burguesas? Nunca ouvi falar. Nem faço ideia que cores são aquelas dos ténis.

    Esse João Mota morreu no tempo, então os "Morangos com Açúcar" são maus exemplos? Talvez o facto de ser panasca lhe tolde o entendimento.

    Há muita ninfa há.

    Eh eh a TV Guia, já a meti no quiosque (por acaso estou a precisar de uma faca daquelas):

    https://matt-galvo7-world.tumblr.com/post/622109609228894208

    Por acaso tenho-me esquecido de postar a revista portuguesa mais importante, a Nova Gente, aquilo não é uma revista, é poesia concreta, poesia em imagem, além de engajada politicamente.

    Esta moda de cabelos era uma foda do caralho, no cinema, não conseguias ver o ecrã se se sentasse uma cabra à moda à tua frente:

    https://matt-galvo7-world.tumblr.com/post/621908666722975744

    Olha, os comentadores do Expresso sabem escrever em português, não são o Google Translate:

    https://matt-galvo1-world.tumblr.com/post/622154292242022400/primeira-p%C3%A1gina-do-jornal-expresso-escrito-em

     
  • At 10:45 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Ah, e o apaixonado desmembrado viu um vídeo da gaja no Facebook beijando outra gaja, e um amigo confortou-o dizendo que agora é normal, as mulheres beijam-se, e não quer dizer que seja fufa, etc. etc. que coisa do caraças.

     
  • At 4:12 da tarde, Blogger D.A. said…

    Este tumblr é fixe:

    https://worldoro.tumblr.com/post/184315958552

     
  • At 5:16 da tarde, Blogger D.A. said…

    Podes ouvir com o Leibniz:

    https://www.youtube.com/watch?v=5xYj8YuwqDk

     
  • At 6:10 da tarde, Blogger D.A. said…

    Uns beats:

    https://www.youtube.com/watch?v=HUgcKnwnTTE

     
  • At 6:36 da tarde, Blogger D.A. said…

    É levada da breca:

    https://www.cm-tv.pt/atualidade/detalhe/20200628-1237-homicida-de-jovem-desmembrado-no-algarve-em-solitaria-apos-assediar-advogada

     
  • At 7:50 da tarde, Blogger D.A. said…

    O Anjo do Alvito a pensar em Marx:

    https://worldoro.tumblr.com/post/188313017247

     
  • At 8:31 da tarde, Blogger D.A. said…

    Uma tipa:

    https://www.youtube.com/watch?v=lGpw84iVgmM

     
  • At 8:48 da tarde, Blogger D.A. said…

    Tu na guitarra acústica e o Leibniz na percussão:

    https://www.youtube.com/watch?v=mVvkG7WQFoo

     
  • At 9:10 da tarde, Blogger D.A. said…

    Para voz:

    https://www.youtube.com/watch?v=djbQhSXY2n4

     
  • At 9:20 da tarde, Blogger D.A. said…

    Tem praqui muito Deleuze:

    https://cyberianpunks.tumblr.com/

     
  • At 9:53 da tarde, Blogger D.A. said…

    As cassetes:

    https://cyberianpunks.tumblr.com/post/186824911187

     
  • At 8:14 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Não te esqueças do sabonete do Público. Quererás ter o cheiro da quadra popular que atravessamos e elas adoram o alho-porro e o balão.

    Um Tumblr de um gajo que mete poucos posts por mês devia ser premiado, para desincentivar aqueles que descarregam informação como se estivessem na sanita.

    O patife do Leibniz não para quieto, quer brincar com o gato que já não tem idade para brincadeiras, tenho de estar sempre a enxotá-lo.

    Tu reparaste nesta? Um nosso conceituado, que que não é nada um idiota persecutório, e mal preparado licenciado da faculdade de Direito. Admira-me ninguém ver as semelhanças de argumentação “arrasadora” e “lamaçal”, para o Miguel Macedo, que foi absolvido, e agora “impactante” e “lodaçal”, para o Azeredo Lopes (que também vai cair tudo em tribunal).

    https://matt-galvo1-world.tumblr.com/post/622175532023414784/portugal-%C3%A9-conhecido-no-concerto-das-na%C3%A7%C3%B5es-como-o

    O Carlão é que está a gravar com os Beatmasters.

    Mas que grande puta, tem uma sofreguidão por grelo muito raro na mulher portuguesa, as fufas são promiscuas, mas esta abusa. Maria Malveiro, de 19 anos. A Cabritona chama-lhe Maria Davidachwilli, por isso deduzi que fosse ucraniana ou de descendência ucraniana, ou da terra do Estaline.

    O Anjo do Alvito está sempre a pensar em Marx.

    Devias era conhecer estas, são adoradoras do sangue, esse precioso líquido:

    https://matt-galvo9-world.tumblr.com/post/621541745724915712/flashofgod-clara-gutsche-les-soeurs-adoratrices

    Ou estas:

    http://aciportugal.org/project/comunidades-aci/

    Um homem fica sempre estiloso ao lado da sua guitarra:

    https://matt-galvo5-world.tumblr.com/post/622194890619715584

    “Londres divulga hoje lista de países que entram nos primeiros "corredores de viagem" com o Reino Unido. Portugal pode não estar incluído” – é engraçado o uso de “pode”, na sequência de a esperança é a última a morrer. Portugal não cumpre os critérios que os ingleses definiram, logo, é Portugal não está incluído. Os jornalistas são uns catitas.

    https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/londres-divulga-hoje-lista-de-paises-que-entram-nos-primeiros-corredores-de-viagem-com-o-reino-unido-portugal-pode-nao-estar-incluido

     
  • At 8:24 da tarde, Blogger D.A. said…

    Fogo, o Benfas...

    Epá, nem sei que dizer, ando mudo, mas alegro-me que continue a existir turismo de qualidade em Portugal:

    https://matt-galvo1-world.tumblr.com/post/622271400671100928

    https://matt-galvo1-world.tumblr.com/post/622093343043764224

     
  • At 8:31 da tarde, Blogger D.A. said…

    Já que não vais à praia a praia vai a ti:

    https://pt.xhamster.com/videos/epic-sexy-ass-latina-thong-beach-voyeur-spycam-close-up-vid-8312123

     
  • At 8:43 da tarde, Blogger D.A. said…

    Se ainda fosse um sabonete de haxixe...

     
  • At 8:51 da tarde, Blogger D.A. said…

    Excelente o "Paredes Modernas".

     
  • At 9:45 da tarde, Blogger D.A. said…

    Nada mau:

    https://www.msn.com/pt-pt/entretenimento/famosos/kylie-jenner-partilha-v%C3%ADdeo-antigo-de-biqu%C3%ADni/vi-BB166Cb6?ocid=msedgntp

     
  • At 10:46 da tarde, Blogger D.A. said…

    Fogo, até as freiras mostram as solas?

     
  • At 10:57 da tarde, Blogger D.A. said…

    eheheh Bela série:

    https://matt-galvo8-world.tumblr.com/tagged/elke-sommer

     
  • At 12:41 da manhã, Blogger D.A. said…

    Depois da toada romântica à volta da Benedita pus umas cenas cool no Facebook e uma british girl a dançar Sex Pistols que é absolutamente a minha tipa de sonho:

    https://www.youtube.com/watch?v=4yhn9mh6faM

     
  • At 9:12 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Ontem fui ao supermercado, abre parêntesis dei inadvertidamente uma cotovelada numa velha, ela olha-me com aqueles raios da visão do Super-Homem que destroem a matéria, fecha parêntesis, e aproveitei para passar pelo quiosque para inquirir da TV Guia. Bem dizias tu que era uma catana, foda-se, aquilo dá para degolar um porco capitalista. Não comprei, se fosse mais pequena… Aproveitei o embalo e comprei o Público, com o sabonete com cheiro de manjerico. Não o vou usar, meti-o na mochila para perfumar a roupa a santo popular.

    Mas que se passa por aí? O Daesh no Continente? Por precaução afasta-te das beringelas e do tomate cherry têm aspeto de que vão explodir:

    https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/explosao-de-garrafa-de-cerveja-fere-cliente-num-hipermercado-em-viana-do-castelo

    Eh eh eh está mau para fazer turismo. Um gajo vai para um desses turismos rurais para conhecer uma grossa, uns jantares, umas noites juntos, e acaba o verão, tchau e um queijo. São os amores de verão. Sem eles mais vale ficar em casa. E a pandemia afugenta as pessoas para dois metros de distância, matou a relação sexual, a não ser que a Lotte tenha descoberto novas posições que não propagem o vírus.

    E nem podemos ir para a praia filmar peidolas. Levantar-se-ia uma guerra que um gajo sairia de maca para o hospital.

    O Benfica tem de mandar vir o Mantorras, ou o Andrew Watson, o primeiro preto a jogar futebol, oficialmente. (Pela Escócia, creio).

    O “paredes modernas” é um pot-pourri de pintura, escultura, fotografia… coisas artísticas. Repus o Tono Stano, que tem uma forma interessante de fotografar as gajas:

    https://matt-galvo9-world.tumblr.com/post/622296224034373632/matt-galvo6-world-tono-stano-%C3%A9-um-fot%C3%B3grafo-que

    Tenho pensado em criar mais um moderno, “modern for dummies”, onde, com ajuda de um editor de imagem, vou tornar as gajas friendly para o Tumblr, cortando-as e montando-as cubisticamente, retirando as miudezas tóxicas. Tive de cortar os mamilos da Barbi, pois a foto levou selo de porno. A eterna questão de elas terem mamilos debaixo da roupa:

    https://matt-galvo6-world.tumblr.com/post/622089820955639808

    Nesta era do Vidas Pretas Importam (onde está a era #MeToo? E a Ocupy Wall Street? As eras acabam logo), meti um Gungunhana para lembrar a História que agora queremos reescrever:

    https://matt-galvo1-world.tumblr.com/tagged/gungunhana

    A irmã Kendall também mostra ter argumentos. Aquela amiga, Kaia Gerber, com quem ela passeia, é filha da Cindy Crawford:

    https://matt-galvo6-world.tumblr.com/tagged/kendall-jenner

    Na Elke Sommer há mamilo, um dia o chinesinho nota e será mais uma cortina de ferro, mais um muro da vergonha no blogue, e eu terei de andar à procura do porno nosso de cada dia, para que ele retire o indecoroso cartaz.

    Ah, foi retirado do x-videos. Por lá há muitas sequências de gajas vintage a dançar que depois puseram várias bandas sonoras.

    https://www.xvideos.com/video6290118/rebecca_-_dance_and_boob_jiggle

    https://www.xvideos.com/video6481316/jacqueline_dancing_again

    Já a Amber é intelectual mesmo profissional:

    https://www.xvideos.com/video27774615/best_solo_dance_amber_hahn_

    Olha, a filha da Angelina Jolie mudou de sexo. Boa notícia.

    Esclarecimento: é boa notícia, porque não importa que seja homem ou mulher, desde que tenha cona.

     
  • At 7:56 da tarde, Blogger D.A. said…

    A imagem que dizes que não vês no Facebook:

    https://fuyuhhuu.blogspot.com/2020/06/selezione.html

    É curioso. Será que é pelo sexo? Ou será que vêem aí "racismo"?

    O blog cool do costume, quero dar continuidade, é como estar ligado à máquina do cool.

     
  • At 8:09 da tarde, Blogger D.A. said…

    Esqueci-me de dizer que me ri com o Dalí a assinar Picasso ahahah.

     
  • At 10:47 da tarde, Blogger D.A. said…

    Tá fixolas o novo blog.

    Tenho de ler cada coisa no facebook, bem, eu também ando aqui há mais de 10 anos e já devo ter dito uma ou outra coisa menos sensata.

     
  • At 11:08 da tarde, Blogger D.A. said…

    Grande pinta:

    https://matt-galvo9-world.tumblr.com/post/622048995840311296

     
  • At 12:27 da manhã, Blogger D.A. said…

    Que padaria:

    https://www.msn.com/pt-pt/noticias/ultimas/rita-rosendo-ex-casa-dos-segredos-faz-subir-a-temperatura-em-topless/ar-BB16aqJI?ocid=msedgntp

     
  • At 9:56 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    d.a.:

    Foda-se, a burocracia funciona mesmo. Desde que deixei de pedir a renovação da receita, e pedi o “papelinho”, todos me respondem e já resolveram a situação. Diz o posto que posso ir hoje buscar a receita. Vou amanhã, hoje não me dá jeito, aproveito para ir ao Euromilhões. E aproveito para trazer mais umas pedras para pôr nas caixas-de-cereais/arte:

    https://www.instagram.com/p/CCEKE-yhDoh/

    Acho que agora só me falta um poster dos Sex Pistols, na parede do quarto, para ser feliz para sempre. Mas o poster que tinha no meu quarto de estudante de metafisica, já o tenho procurado na net e não encontrei, acho que foi oferecido na Rock & Folk, encontrei a revista que pus no “interiormente moderno”, mas o poster não.

    https://matt-galvo4-world.tumblr.com/post/612354858217095168

    Mas que quer este Costa com estas regras? Ressuscitar o Al Capone?
    “Proibição de consumo de bebidas alcoólicas em espaços ao ar livre.
    Hipermercados e supermercados podem permanecer abertos até 22:00, mas não podem vender bebidas alcoólicas depois das 20:00.”
    Só tenho pena de agora não ter dinheiro para beber álcool na rua, queria ver se o Costa o impede. Ainda tenho as garrafas de inox que comprei para tal efeito, e que nunca usei nesse efeito.

    Que pensará o chinesinho da mulher melhorada, tornada friendly para as redes sociais?

    https://matt-galvo11-world.tumblr.com/post/622412837436932096/shelly-starr-tcc-natasha-nixx-157-m-52-kg

    Ideal para a mulher assistir a espetáculos de cultura:

    https://matt-galvo9-world.tumblr.com/post/622409083081850880/vintageeveryday-female-urinal-ca-1800s-this

    Mariah Carey gosta de gatos (deve ser, pois se fosse para lhe lamber a snaita, pedia cães):

    https://mag.sapo.pt/showbiz/fotos/de-beyonce-a-bieber-os-pedidos-estranhos-dos-artistas

    Porra, não é uma peidola, é mesmo uma padaria gigante. Percebe-se, é deformação profissional, se ela é taxista, passará muitas horas sentada, e a peida achata e transborda.

     

Publicar um comentário

<< Home