Pratinho de Couratos

A espantosa vida quotidiana no Portugal moderno!

quarta-feira, Novembro 12, 2014

Ovos com coeficiente estrelado

1983. Agosto. “Duas barreiras psicologicamente importantes foram ultrapassadas pelo dólar no dia um de agosto. Em Paris, a moeda americana foi cotada, pela primeira vez na História, a 8 francos e em Madrid ultrapassou, também pela primeira vez, as 150 pesetas. Esta vaga altista da nota verde está a lançar o pânico nos países industrializados, principais parceiros comerciais dos Estados Unidos. (…). Junta-se a esta onda de pânico o rumor de que as taxas de juro americanas vão subir de novo o que deverá acarretar mais uma violenta fuga de capitais dos mercados europeus para os Estados Unidos”. Dirigente bom é dirigente passado, apenas por erro da memória, que revira o passado e vira ouro a fancaria. No presente, uma “classe política medíocre”, no passado, “políticos excecionais”, é um absurdo que se repete todas as épocas [1]. O ministro francês da Economia e das Finanças, Jacques Delors, comme il faut, ladrava às canelas de Ronald Reagan: “Os EUA não respeitaram os compromissos assumidos na cimeira de Williamsburgh em maio último, nomeadamente em matéria de défice orçamental e de taxas de juro”. Para Delors, dólar a 8 francos era “uma nova tradução da crise e da pouca importância que os americanos atribuem à situação económica, financeira e social dos seus aliados”. Os EUA, “não deram seguimento aos seus compromissos” de reduzirem o seu défice orçamental de 200 mil milhões de dólares, miou Delors, “como é que os americanos podem pedir a solidariedade dos seus aliados no plano político e diplomático se mergulham a Europa numa crise ainda mais profunda?” “Não se trata de um problema francês, mas europeu”, gania Delors e apelava aos países do Mercado Comum para que “reajam em conjunto” para “levarem os seus amigos americanos a ouvirem a voz da razão”.
Sábado, 6, em Portugal, ouvia-se a voz da vazão. “Já foi concluída a operação de venda de 30 toneladas de ouro para liquidar um empréstimo de 400 milhões de dólares (cerca de 50 milhões de contos) que estava a vencimento no Banco para os Pagamentos Internacionais (BPI)”, confirmou fonte do Banco de Portugal, o que na sexta-feira  tinham negado, “repare que o Banco de Portugal se limitou a dizer que não houve venda de ouro porque a operação está a ser tratada e estudada mas ainda não está concluída. A verdade é que não havia outra saída, o empréstimo tinha sido negociado com ouro à vista e a curto prazo. Este já se esgotou”.
Quinta-feira, 11, esgotou-se o prazo dado pelo presidente da Câmara de Lisboa, Krus Abecassis, aos vendilhões do Martim Moniz para desocuparem esta praça. “Pouco passava das 6:30 desta manhã quando os homens da polícia municipal de Lisboa iniciaram as operações de despejo dos 223 vendedores que desde há 9 anos ganham a sua vida nos pavilhões instalados no Martim Moniz. (…). Arlete, vendedora com muitos anos de Martim Moniz, grita com todas as suas forças quando os vê chegar e desfaz a sua raiva contra a chapa do contentor onde até hoje tinha o seu ganha-pão. Meio da manhã mostrar-nos-ia os braços negros testemunho do desespero com que tentou domar a sua impotência. ‘Estava ali, com 4 filhos, dentro da barraca quando eles chegaram a correr. Gritei-lhes que não precisavam de correr porque não havia aqui ninguém com armas’. Na sua frente, a nora, de 19 anos e grávida de muitos meses, deixa correr as lágrimas pelo rosto: ‘O meu marido ganha 10 contos numa loja e pagamos 9 contos de renda de casa’. Arlete acrescenta desesperada: ‘Se um dia destes andar para aí a roubar a culpa é do presidente Abecassis’. A impotência e o desespero são hoje os sentimentos mais generalizados entre os homens e as mulheres a quem ‘Vasco Gonçalves deu um meio de ganhar a vida’, como disse um deles, a propósito da autorização que nesse tempo lhes foi concedida para ali trabalharem sem ter que passar os dias a fugir à polícia, na venda ambulante”. “Segundo um responsável da direção dos serviços de abastecimentos da Câmara, a decisão de Krus Abecassis de se montar o mercado na Palhavã, junto ao Instituto Português de Oncologia, mantém-se e os trabalhos iniciar-se-ão na segunda quinzena de outubro”.
“No próximo mês, uma vez formalizado o acordo, o FMI concederá a Portugal um empréstimo de 300 milhões de dólares e outro de 100 milhões de dólares na modalidade compensatory facility, que se destina a compensar situações de quebra nas exportações por razões externas à economia o que aconteceu em Portugal em 1981. A diminuição do consumo privado deverá ser determinada por uma redução de 4 a 5 pontos percentuais nos salários reais. As maiores exigências do FMI centraram-se na redução do consumo público, pedindo uma forte diminuição do défice orçamental dos 11 % do PIB (cerca de 200 milhões de contos em 1982) para os 6% em 1984”. Mário Soares, primeiro-ministro, no domingo 7, em Vila do Conde, confirma que não há dinheiro para palhaço, “não estamos em tempo de vacas gordas, pelo contrário”. Ele, por outro lado, tem tempo para palhaçadas: “Se levarmos adiante o Plano Conjuntural de Emergência, proposto para os próximos 18 meses, poderemos relançar uma política de desenvolvimento”.
“A aplicação acelerada das medidas impostas pelo FMI ao Governo Soares / Mota Pinto [2] no respeitante às empresas públicas iniciou-se quinta-feira, 18 de agosto, com a aprovação, pelo Conselho de Ministros, de novos aumentos para os transportes públicos e com a adoção de uma série de medidas relativas à Setenave e à Gelmar. Os preços dos transportes subirão cerca de 30 % a partir de dia um de setembro”. “O último aumento dos transportes coletivos verificou-se em 7 de janeiro deste ano e também nessa ocasião a subida das tarifas rondou os 30 %, recorde-se, a propósito, que ainda no passado dia 2 de agosto o secretário de Estado dos Transportes, Bordalo Junqueiro, desmentira que estivesse eminente qualquer subida dos preços dos transportes afirmando que tal não sucederia antes do fim do ano”. Justifica o comunicado do Conselho de Ministros: “Ao agravamento dos custos e corresponde a uma preocupação de redução dos défices de exploração, sem prejuízo da continuação da prática, neste domínio, de preços que comportam uma forte componente social”. Novo tarifário: Carris bilhete simples 1 zona 16$50 (custava 12$50), 2 a 4 zonas 32$50 (25$00), 5 ou mais zonas 47$50 (37$50), tarifa única 50$00 (40$00). Passes sociais: L (Carris e metro) 1100$00 (850$00), L1 (Carris, metro, RN, CP, Transtejo) 1460$00 (1120$00), L2 1760$ (1350$00), L3 2000$00 (1540$00). Passe fim-de-semana para 3.ª idade na área L3 230$00 (175$00).
O comunicado do Conselho de Ministros receita para as empresas públicas. Para a Setenave “um conjunto de medidas de implementação da declaração da empresa em situação económica difícil, por forma a ser eficientemente atacada, e definitivamente resolvida, a situação de fundo da empresa, com vista ao seu redimensionamento, à racionalização do quadro dos seus trabalhadores – com dispensa daqueles a que não possa ser assegurada ocupação – e à não-aceitação, no futuro, de novas encomendas que impliquem o apoio adicional do Estado para a cobertura de diferenciais entre preços e custos”. A Gelmar foi declarada em situação económica difícil e a “preparação e breve tomada das medidas necessárias à sua futura viabilização, designadamente o redimensionamento do seu aparelho produtivo e a eventual suspensão de posto de trabalho”.
Esse mesmo Conselho de Ministros abriu o mercado do século: “Laser beam / Coming through the night / To my T.V. screen, / To my color eye. / This is telecommunication / Telecommunication / Telecommunication, / Telecommunication”, (1981), A Flock of Seagulls. “O Conselho de Ministros resolveu igualmente criar uma comissão interministerial destinada a estudar pormenorizadamente a questão da substituição das tradicionais centrais telefónicas de comutação clássica por centrais digitais. (…). Refira-se, a propósito, que a adoção da tecnologia digital implicará investimentos enormes que poderão ultrapassar os 10 milhões de contos / ano. Segundo fontes ligadas à indústria das telecomunicações, setor em que se trava neste momento, e não só em Portugal, uma batalha de gigantes tendente ao domínio deste mercado, a digitalização da rede telefónica nacional duraria 15 anos, custando assim 150 milhões de contos, a preços de 1982” [3]. Enquanto isso, correios e telefones sobem preços. Cartas 16$00. Telegramas taxa básica 60$00, cada palavra 2$00. Telefones, instalação 9500$00, assinatura 850$00, períodos 5$50.
Outra modernidade aporta à porta. O Diário da República de sábado, 30 de agosto publica as portarias que estabelecem para frangos e ovos a formação mensal de preços segundo práticas seguidas nos mercados da CEE. “Os preços máximos do frango serão estabelecidos a partir da aplicação de um coeficiente que vai de 1,15 a 2,268 (consoante a parte do frango em causa) aos preços de entrega ao retalhista por quilo da mesma parte do animal. Estes últimos preços são calculados através de um complicado sistema ponderado pela Direção Geral de Concorrência e Preços, e serão publicados todos os meses em três jornais nacionais. No caso dos ovos a complicação é idêntica, sendo o coeficiente a aplicar ao tal preço de entrega ao retalhista de 1,12”.
Quarta-feira, 24 “é dinamarquês, gosta de windsurf, conta 24 anos de idade, jogava a ponta de lança do Hvidrove (lá no seu país) e, esta temporada, já obteve 7 dos 17 tentos que a entidade patronal rubricou nas malhas contrárias. Evidentemente, trata-se de Michael Manniche, 1,92 m de altura, cabedal para dar e vender, especialista em remates de cabeça (…). Foi o técnico Eriksson que o foi buscar, lá à sua conhecida região nórdica (…). Quanto a verbas metidas na transferência (ultimada de uma hora para a outra pelo presidente benfiquista Fernando Martins, que parece já não acreditar em empresários-colocadores-de-futebolistas) fala-se em 7560 contos para a libertação do Hvidrove e cerca de 1800 contos para o jogador, em troca de três anos de serviço. Melhor: coisa como 500 contos mensais, ao dia 30, no bolso de Manniche”. Que já vestia a camisola: “Estou certo que vou triunfar. Depois de um treino em que vi em ação excelentes jogadores, alguns dos quais já tinha no olhar por exibições antigas por essa Europa, creio que poderei vencer e ter lugar a seu lado. Aliás, não aceitaria deixar a minha terra e vir para Portugal se imaginasse que não poderia ter um lugar no plantel do Benfica” [4].
Quinta-feira, 25 “Freitas do Amaral será candidato às presidenciais / 85. O ainda carismático e incontestado líder da direita portuguesa já começou a preparar os mecanismos que lhe permitirão formalizar junto do eleitorado e antes do fim do ano, a sua candidatura às próximas presidenciais. (…). As informações recolhidas desmentem contudo supostas intenções de Diogo Freitas do Amaral se candidatar formalmente como líder da direita”. Diz um dirigente do CDS: “Freitas não cometerá o erro de Soares Carneiro. Não quererá arvorar-se chefe da direita, mas sim líder do centro-direita, do liberalismo nacional. Sabe que só assim terá algumas possibilidades face a candidatura de Soares” [5].
Sortido 83. Neste ano, o primeiro Swatch é posto no mercado. A sonda Pioneer 10 é o primeiro objeto de fabrico humano a sair do sistema solar, transportando imagens para outros seres inteligentes noutros planetas (a 3 de junho de 1983 atravessara a órbita do planeta mais distante na época, Neptuno). “Em 1983, a Northern and Shell obteve a licença para publicar a Penthouse no Reino Unido, o que levou ao seu desenvolvimento de um portefólio de revistas para adultos, estando Asian Babes entre elas”. No final de 1981, eram reportados 270 infetados com pneumonia gay, dos quais 121 morreram. No final da década os pneumónicos caídos estavam sinfonizados. “Sinfonia n.º 1” (1988-89), p/ John Corigliano: “antes deste trabalho, Corigliano ‘há muito que resistia à noção de uma sinfonia contemporânea … pelo que sentia ser a elevação egoísta da necessidade do compositor de expressar-se a si próprio, contra as necessidades do artista ou do público’. Todavia, a perda de numerosos amigos devido à emergente pandemia da sida, fez Corigliano usar a forma sinfónica, não como um meio de expressão pessoal, mas para celebrar ‘os meus amigos, aqueles que perderam e aquele que eu estava a perder’”. Em 1983 foi detetado, num funcionário público de Cabo Verde que esteve internado em Lisboa, o primeiro caso desta pneumonia, entretanto batizada em 1982 como síndroma de imunodeficiência adquirida, “mas a notícia só foi dada em 1984. O Diário de Notícias noticia o primeiro caso de sida tratado em Portugal, a 7 de julho de 1984. A 10 de novembro do ano seguinte, o médico Palma Carlos confirma o caso do primeiro português, de 36 anos. Na notícia dizia-se que a doença ia alastrar, especialmente no Algarve e Lisboa”, em Diário de Notícias, n.º 53068.  
Maternidade 83. Iva Lamarão, 1,73 m, 87-67-91, sapatos 38, nasceu em Ovar, 23 de fevereiro de 1983. “Iva é licenciada em Bioquímica pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra e também fez mestrado na mesma instituição. Namorou durante três anos, entre 2009 e 2012, o apresentador português Miguel Domingues. Posteriormente, namorou com Diogo Machado da Silva Pereira Coutinho, filho mais novo do empresário Vasco Pereira Coutinho, e atualmente com o futebolista André Santos”. Em 2001, foi eleita Miss Portugal, no Casino Solverde, em Espinho, num espetáculo abrilhantado pelas atracões musicais, Belle Chase Hotel, David Civera e Sophie Ellis Bextor. No concurso Miss Universo 2002, realizado em San Juan, Porto Rico, não obteve classificação. Apresentou na SIC, os programas noite dentro “Todos em linha” (2008-09) ou “Allô Allô” (2010) ou o domingueiro magazine sobre celebridades, “Fama Show” (2012), e representou no vídeo “Podem passar mil anos” (2009), p/ Mickael Carreira [6].
Cláudia Borges, 1,76m, 85-61-90, nasceu em Lisboa a 9 de fevereiro de 1983 “Aos 18 anos participa no concurso Miss Mundo Portugal 2001, em Tróia, abrilhantado pelos Rádio Macau, The Gift e The Phazz e apresentado por Herman José, que acaba por vencer. A vitória valeu-lhe entrada direta na Face Models. Em setembro de 2002, estreia-se como apresentadora de televisão ao dar a cara no programa infantil da SIC, Disney Kids. Apresentou, também, o programa ‘Êxtase’ da SIC”. Cláudia também apresentou o “Fama Show” (2008).
____________________
[1] As gerações futuras verão grandes os pequenos de hoje. António Nogueira Leite: “Para além disso, veio a sofreguidão das obras públicas, com o eng. Sócrates vieram as despesas das PPP, veio todo um conjunto, enfim, os portugueses a pedirem centros culturais pelo país fora, a pedirem piscinas pelo país fora (…). Infelizmente, o grande problema de Portugal é que o povo teve aquilo que pediu. (…). Eu dou-lhe um exemplo, eu sou de Aveiro, eu tive pessoas que me quiseram, enfim, tirar de razões, por eu num programa de televisão em 2002, disse que era contra a construção do estádio. A população estava indignada com um concidadão que achava, que uma melhoria tão extraordinária, não viesse p’a sua terra. Portanto, os portugueses têm a obsessão pelo betão, têm uma obsessão pela construção. Não foi à toa que gastámos o dinheiro do Brasil em Mafra. (…). Se for ao século XIX, o fomento do Fontes Pereira de Melo foi feito com o dinheiro dos franceses e dos ingleses. (…). O prof. Poiares Maduro é uma pessoa citada nos meios académicos, é uma pessoa que tem, de facto, uma carreira académica muito relevante. (…). Os apoiantes da dra. Ferreira Leite, que são pessoas muito estimáveis, como é o caso do dr. Lomba ou do próprio prof. Poiares Maduro, que são pessoas que eu acho que poderão fazer a diferença, p’a melhor, no Governo”, maio 2013, no programa “Olhos nos olhos”, da TVI24.
[2] “Em 1983, o acordo secreto para se fazer o Bloco Central entre Mota Pinto, então líder do PSD, e Mário Soares, do PS, fez-se em casa de Proença de Carvalho”. Proença de Carvalho, um manojeiro de famílias, ele e elas, sempre no superior interesse da nação. “O nome do constitucionalista e deputado social-democrata Paulo Mota Pinto foi sugerido a Ricardo Salgado [para presidente não executivo do conselho de administração do BES] por Daniel Proença de Carvalho, seu advogado, e um dos seus conselheiros mais próximos. A solução terá recebido o acordo dos vários ramos da família. A ligação de Proença de Carvalho à família Mota Pinto é antiga. Em 1978, o advogado foi ministro do breve governo chefiado por Carlos Mota Pinto (pai de Paulo, falecido em 1985)”, na revista Sábado, n.º 530, junho 2014.
[3] “A chanceler alemã Angela Merkel concedeu o seu apoio aos apelos para aliviar as restrições à consolidação no setor das telecomunicações europeias, enquanto o regulador decide sobre duas fusões-chave”. Na Alemanha, entre a Telefónica e a KPN’s E-Plus. Na Irlanda, entre a Hutchinson’s Three e a O2, da Telefónica. “Merkel disse que, enquanto a China tinha três grandes fornecedores de telecomunicações, a EU tinham 28 e, sempre que um destes ficava maior, as leis da concorrência da EU ameaçavam bloqueá-lo. ‘Um equilíbrio deve ser alcançado entre o poder do mercado e a concorrência para que possamos faturar internacionalmente’, disse Merkel num evento organizado pelo seu partido democrata-cristão em Berlim”, (maio 2014).   
Motor da economia europeia a Alemanha tem um papel de líder. Beate Uhse AG “é um grupo industrial alemão especializado na venda de entretenimento adulto no formato brinquedos sexuais, lingerie, roupas e pornografia. É a empresa de maior sucesso na indústria do sexo alemã, e líder retalhista de pornografia no país. Foi fundada pela antiga piloto de guerra e pioneira do sexo Beate Uhse-Rotermund em 1946 e começou como distribuidora de panfletos sobre planeamento familiar chamados Schrift X (‘Publicação X’ ou ‘Escrito X’), o que foi um grande sucesso. Em 1962, a empresa abriu a primeira sex shop do mundo em Flensburg, na Alemanha Ocidental”, batizada Instituto de Higiene Conjugal. “A gama de produtos incluía lingerie, revistas, livros, contracetivos, preparações farmacêuticas e produtos estimulantes. Filmes eróticos não faziam parte da oferta nesta fase”. – Em 2011, a variedade nestas lojas fez a Rihanna gastar 1500 dólares em Paris. “A loja Lovestore foi onde a artista adquiriu cuecas, algemas, velas perfumadas, óleos de banho e um livro erótico de Ellen Von Unwerth, além de brinquedos sexuais”.
[4] Futebol, campo das marcas desportivas. Lugar de poupanças nos equipamentos: “BERLINintim zeigt: Sexy Soccer 2012”. Arena de desafios: “Sumire Matsu vs Hitomi Kitagawa”. Desporto too big para estádios: “Nacktfußball EM Berlin 2013, Bühnen”. Na América, país da meritocracia, através de intensos programas de treino: “Naked teens play soccer”, nenhuma tática é descuidada: “Naked Girls Football Team”. O rapper finlandês JippiKayJei em “Cheek”. A ex-mulher do jogador croata, Dino Drpić, Nives Celsius, em “Take me to Brasil”. Nives Zeljkovic, olhos cor de avelã, cabelo castanho, nascida a 18 de dezembro de 1981 em Zagreb, Croácia, modelo, escritora, socialite e cantora: “Bijesna”. Vestiu-se para a Playboy, capa na Croácia (setembro 2003), Sérvia (maio 2004) e Croácia (junho 2004). Gravou um vídeo sobre os seus dotes de atriz. Em 2008, o seu filho Leone foi confundido por um histérico casal de turistas ingleses com a desaparecida Maddie McCann.
[5] Dizia Rui Reininho em dezembro de 1982: “Ainda outro dia um porta-voz do CDS comentava a morte do Brejnev desta maneira: lamentamos a morte de um ser humano”. “You're just a pig inside a human body”, “Swine” (2013), p/ Lady GaGa.
[6] Os programas noturnos Ella Jolie, 1,62 m, 44 kg, 81-60-81, sapatos 37 ½, olhos cor de avelã, cabelos castanhos, nascida em 6 de junho de 1986, Londres, modelo telefónico na Playboy TV Chat, Red Light Central, Babestation TV (mudança de turno com Lori Buckby)…

na sala de cinema

Breakin'” (1984), real. Joel Silberg. Estreou sexta-feira, 3 de agosto de 1984, nos cinemas Alfa 1, Berna e Tivoli. “Kelly (Lucinda Dickey) é uma jovem batalhadora dançarina de jazz. Através do seu amigo gay, Adam (Phineas Newborn III), é apresentada a dois dançarinos de rua, Ozone (Adolfo Quinones) e Turbo (Michael Chambers), que têm uma amarga rivalidade com outra crew conhecida como Electro Rock, consistindo dos poppers (dançarinos) Electro Rock 1 (Timothy ‘Poppin’ Pete’ Solomon), Electro Rock 2 (Bruno ‘Pop N’ Taco’ Falcon) e Electro Rock 3 (Ana ´Lollipop’ Sánchez)”. Esta foi a primeira longa-metragem de Ice T (como Rap Talker) e de Jean-Claude Van Damme: “Eu fui com um amigo, viajámos juntos da Bélgica. Por isso, foi uma estrada dura, sabe, eu não tinha dinheiro nenhum. Vim para os EUA, ficando num carro, deslocando-me de um lado para outro. Um bocado difícil, mas empolgante também. Quando eles me deram a oportunidade de entrar no Breakin’, eu era apenas um figurante. Mas, para mim, na altura, um filme era um filme. Eu não sabia a diferença entre orçamento médio, alto ou baixo. Então, eu estava a tentar ganhar a cena: eu estava no grupo por trás do ator principal, e estava a saltar tão alto quanto podia, e a dar uma cambalhota no ar. Mas, é claro, eles cortaram isso, porque eu estava a açambarcar o ecrã com aquele salto fantástico[1]. Canções não incluídas na banda sonora oficial: “Tour de France”, p/ Kraftwerk, “Boogie Down”, p/ Al Jarreau e “Beatbox”, p/ Art of Noise. “Breakin' 2: Electric Boogaloo” (1984), real. Sam Firstenberg. Estreou sexta-feira, 26 de abril de 1985, nos cinemas Alfa 1, Éden e Roma. “Kelly (Lucinda Dickey) escarafuncha como uma bailarina profissional, mas pela-se pelos dias de farra, dançando nas ruas com Ozone e Turbo (Adolfo Quinones e Michael Chambers). Ozone continua pendurado pelos afetos de Kelly, mas a sua dor de corno pela florescente carreira dela, inadvertidamente, afasta Kelly. Ele quere-a como voluntária num colorido centro comunitário do bairro, Miracles. Infelizmente, um sinistro empreiteiro (Peter MacLean) quer demolir o Miracles e substituí-lo por um centro comercial. Será que o poder do break dance mudará as mentes do Conselho Municipal?”. Cenas elétricas: “Street Dance”, canção “Reckless Rivalry (Combat)”, p/ Ice T Street Dance”, canção “Electric Boogaloo”, p/ Ollie & Jerry Break dance nas paredes”, filmado no quarto rotativo de “Pesadelo em Elm Street” (1984), como agradecimento, a luva do Freddy Krueger está pendurada na parede Hospital Scene”, canção “When I.C.U.”, p/ Ollie & Jerry. “Beat Street, A loucura do ritmo” (1984), real. Stan Lathan, c/ Rae Dawn Chong, Guy Davis, Jon Chardiet, Leon W. Grant, Saundra Santiago… Estreou quarta-feira, 26 de setembro de 1984 nos cinemas Condes e Hollywood 1. “É Natal no South Bronx. Kenny Kirkland, conhecido como Double K (Guy Davis) passa o tempo em frente dos seus pratos de gira-discos, fazendo misturas. Os seus amigos todos também têm aspirações criativas. Ramon grafita paredes e carruagens de metro sob a tag ‘Ramo’. Chollie carrega uma mala e atua como empresário de Double K. O irmão mais novo de Kenny, Lee, é um promissor breakdancer”. Banda sonora: “Beat Street Breakdown”, p/ Grandmaster Flash & Melle Mel ♪ “Baptize The Beat”, p/ The System ♪ “Strangers in a Strange World” p/ Jenny Burton & Patrick Jude ♪ “Frantic Situation”, p/ Afrika Bambaataa & the Soulsonic Force ♪ “Beat Street Strut”, p/ Juicy ♪ “Us Girls”, p/ Sha Rock, Lisa Lee e Debbie D ♪ “This Could be the Night”, p/ Cindy Mizelle ♪ “Breaker's Revenge”, p/ Arthur Baker ♪ “Tu cariño (Carmen's Theme)”.
___________________
[1] Os modernos portugueses também têm sonhos de fitas nos seus olhos, coisa boa, coisa fina, de alta cultura, sonhos de Bollywood. Em 2013, o secretário de Estado da Cultura Jorge Barreto Xavier: “Na produção cinematográfica, os espanhóis estão mais avançados, através de incentivos fiscais, na presença da produção de cinema indiano em Espanha. Nós já temos, este ano, trabalho de produtores cinematográficos indianos em Portugal com filmes que vão ser desenvolvidos na região do Douro e no Alentejo”. – O sonho do celuloide, na Jugoslávia. “Cinema Komunisto” (2010), documentário de Mila Turajlic sobre a ascensão e queda do Hollywood de Leste jugoslavo. “Utilizando imagens raras de dezenas de filmes jugoslavos esquecidos, arquivo nunca visto de sets de filmagem e sessões privadas de Tito, o documentário recria a narrativa de um país, as histórias contadas no ecrã e aquelas escondidas atrás dele. Vedetas como Richard Burton, Sofia Loren e Orson Welles acrescentam um toque de glamour ao esforço nacional, aparecendo em superproduções financiadas pelo Estado. O projecionista particular de Tito que lhe mostrou filmes todas as noites durante 32 anos, o seu realizador favorito, o ator mais famoso de filmes partidários e o chefe dos principais estúdios cinematográficos com ligações à polícia secreta – todos, contam como o mito da Jugoslávia foi construído no ecrã. Ficção e realidade divergem até que tudo colapsa, deixando para trás sets a apodrecer e clips de filmes de um país que já não existe”. – No Brasil. “Boca do Lixo: a Bollywood Brasileira” (2011), real. Daniel Camargo. “A história da Boca do Lixo, região de São Paulo que foi responsável por até 80% da produção e distribuição do cinema brasileiro nas décadas de 1960 a 1980. A fase mais prolífera e de maior fama da Boca do Lixo é, normalmente, associada às pornochanchadas. A temática, no entanto, não foi a única abordada pelos cineastas, que criaram dramas, thrillers, westerns e aventuras, além de títulos policiais e históricos. Minissérie com 5 episódios: Viagem ao Céu da Boca. Assim era a Pornochanchada. Luz, Cama, Ação. Céu de Estrelas. Fuk Fuk À Brasileira”.

no aparelho de televisão

Videopólis”, (30 min), “um programa de divulgação musical dedicado aos mais jovens”, transmitido na RTP 2, cerca das 20:00 horas, às terças-feiras, de 2 de julho 1985 / 7 de outubro de 1986, apresentado por Álvaro Costa: “Na altura, foi exagerado, aconteceu quando os vídeos estavam a tornar-se algo excitante. Mas nem sabia o que estava a fazer. Lembrei-me só de fazer um programa temático porque tinha a ver com o que estava a estudar: cultura americana”. “Countdown”, (40 min), transmitido na RTP 2 de segunda a sexta cerca das 17:00 horas, de 5 de maio de 1986 até quinta-feira, 27 de novembro, incluído num bloco de charme, para seduzir os portugueses pela sua (nova) condição de europeus [1], (integrados, como 11.º membros, na CEE desde 1 de janeiro desse ano), chamado “Europa TV”, (transmitido entre as 16:25 e as 20:00 horas, composto, por exemplo, pelos chouriços: “O tempo dos mais pequeninos”, “Count Down – Contagem rock”, “Connexions”, “Almanaque”, “O tempo”, “O mundo amanhã”, “Eurodesportos”, “Atualidades”, ”Eurorepórter”, “A Europa e os negócios”, “A fé na Europa”...) [2]: – “You Took me by Surprise” (1984), p/ Ce Soir ♪ Madonna (1985) ♪ “Surrender & Breakout” (1986), p/ Swing Out Sister ♪ “Last Words” (1986), p/ Ten Sharp. No ano seguinte, o Countdown já autónomo e produzido pela Music Box, estreia quarta-feira, 7 de janeiro 1987 pelas 19:00 horas até sexta-feira. Na semana seguinte ocupa o horário das 17:05 de terça a sexta-feira. Será transmitido de segunda a sexta a partir da semana seguinte. Quarta-feira, 1 de julho desloca-se para as 18:00 horas. Segunda-feira, 12 de outubro regressa outra vez para as 17:00 horas. Quinta-feira, 5 de novembro é transferido para as 13:15. Despede-se dos teleouvintes portugueses na sexta-feira, 4 de dezembro de 1987. “O programa holandês de música Countdown foi muito popular de 1978 a início de 1990, transmitido pelo canal Veronica. Foi classificado como o programa musical de topo em toda a Europa. Devido à popularidade deste programa, a carreira de um dos seus apresentadores, Adam Curry, elevou-se como uma estrela. (…). Uma edição especial em inglês de Countdown foi produzida pelo canal pan-europeu de música, Music Box, em 1987, com os apresentadores Adam Curry e Erik de Zwart”. Adam Curry também cantava; com Gary "Mudbone" Cooper, elemento dos Parliament-Funkadelic e do duo Sly Fox ou com Meatloaf [3]. “Music Box”, canal de música 24 horas por cabo e satélite, do qual a RTP 2 transmitiu alguns programas. De terças a sextas, estreia dia 6 de janeiro de 1987, cerca das 14:00. Terça, dia 13, adiantar-se para as 19:00. Nesta aurora musical, um apresentador sobressaiu, Nino Firetto que muitas vezes repetia: “I'm big in Portugal”, e desmanchava o estúdio ou interpretava personagens entre os quais o cozinheiro Papa Luigi. Explica ele: “Era um personagem que eu costumava fazer no meu programa do Music Box, inspirado no meu pai, italiano, que na época era dono de um restaurante. O programa era ao vivo e transmitido diariamente com uma repetição à noite. Era visto por mais de 15 milhões de pessoas por dia, e nalguns países europeus eram os únicos programas a que tinham acesso também”. Na semana seguinte, dia 19, é transmitido de segunda a sexta. Os programas do Music Box sucederam-se. Segunda-feira, 27 de abril o “It’s Simon Potter”. Quarta-feira, 4 de novembro o “Totally Live” substitui o Simon Potter. Quinta-feira, 3 de dezembro o “Formula One”, apresentado por John Leslie, substitui o “Totally Live”. Segunda-feira, 7 de dezembro o “Totally Live” é transmitido cerca das 13:16 e o “Formula One” pelas 19:00 horas. Segunda-feira, 27 de junho de 1988 o “Totally Live” volta para o horário das 19:20. Nas terças-feiras, a partir de 28 de junho pelas 18:00 será transmitido o “Music Box Especial”, o primeiro com Madonna, dia 5 de julho David Bowie, dia 12 Eurythmics, dia 19 Spandau Ballet, dia 26 Brian Ferry, dia 2 de agosto Rod Stewart, dia 9 George Harrison, dia 16 Beatles, dia 23 Boy George. No horário do “Music Box Especial”, (às terças 18:00 horas), será exibido o “Via rápida”, apresentado desde Londres por Álvaro Costa Dia, estreia dia 20 de setembro de 1988. Na segunda-feira, 2 de abril de 1990, a duração do programa encolhe para 15 minutos e será exibido diariamente pelas 20:45 até, pelo menos, 27 de novembro desse ano. Segunda-feira, 10 de outubro de 1988, o “Totally Live”, cerca das 19:00, será substituído pelo “Music Box Especial” na segunda-feira, o “Off The Wall” na terça, o “Hit Machine” na quarta, o “European Top 40” na quinta e o “Rocking in the UK” na sexta. Nas quartas-feiras, partir de 15 de fevereiro de 1989 será transmitido o “Chart Attack”, apresentado pelo Simon Potter, e o “Hit Machine” substitui o “European Top 40” nas quintas-feiras. Quinta-feira, 14 de setembro de 1989 morrem as exibições diárias da Music Box na RTP 2, mantendo-se um “Music Box Especial” aos sábados cerca das 19:00 horas até 31 de março de 1990. Em 1986, os apresentadores do canal, Simon Potter (de vermelho), Martin Buchanan (de verde), Amanda Redington (a loira), Gloria (a morena), Nino Firetto (de cabelo comprido), Steve Blacknell (de preto), Timmy Mallett (de óculos), sob a epígrafe The Rap Pack, gravaram o vídeo “Back To The Rhythm”.
____________________
[1] “A consciencialização do telespetador europeu de que partilha com os seus vizinhos uma origem e destino comuns é o objetivo da Europa TV, bem como promover um melhor conhecimento mútuo e fazer nascer, desta forma, o respeito pela diversidade dos aspetos culturais dos povos da Europa”.
[2] “A Europa - TV foi um canal generalista pan-europeu transmitido em inglês com outra programação legendada em inglês. Foi criado pela European Broadcasting Union entre 5 estações – ARD (Alemanha), NOS (Holanda), RAI (Itália), RTE (Irlanda), e RTP (Portugal). O holandês, o alemão e o português, no projeto, estariam disponíveis em canais áudio, mas isso só aconteceu com o holandês. A Europa - TV transmitia entre as 18:00 e as 22:30 CET. Programação pobre e falta de publicidade são culpadas pela morte do canal. Começou a transmitir no dia 5 de outubro de 1985, cessou as transmissões em novembro de 1986”. “A Europa - TV foi financiada através de contribuições do governo holandês, a Comissão Europeia, as estações de televisão subscritoras e receitas de publicidade. O seu orçamento inicial era de 35 milhões de francos suíços”. Quinta-feira, 27 de novembro de 1986, às 24 horas, a TV holandesa NOS cortou o acesso ao satélite. Comunicado da RTP: “A decisão da NOS foi tomada contra o parecer dos restantes quatro membros do consórcio” no final de uma reunião de mais de seis horas em Hilservum, “quando se ultimava um acordo de viabilização com uma empresa britânica. (…). O ministro holandês da Cultura, senhor Birkman, invocando razões políticas, exigiu o pagamento de 9 milhões de florins à NOS. O consórcio Europa - TV necessitava de mais duas semanas para concretizar o acordo de viabilização acima referido que lhe permitira sete anos de estabilidade financeira”. Todos os membros do consórcio, incluindo a RTP, tinham as suas contribuições em dia e “estudavam neste momento novas fórmulas de revitalização do projeto, considerado como tendo sólidas perspetivas económicas”. Em Bruxelas, o comissário para os Assuntos Sociais da CEE afirmou: “Parece notório que uma eventual decisão das estações participantes de pararem a experiência será o resultado de outra natureza e de mudança de vontade política”.
[3] “Durante uma semana, o programa de maior audiência da Europa TV, o Count Down, terá como cenário, Portugal. As filmagens decorrerão nos dias 25 e 26 de julho (1986), no local que Adam Curry, o apresentador, irá escolher entre quatro hipóteses que o departamento daquela TV em Portugal lhe irá propor: o Guincho, uma praça de touros, a Costa da Caparica ou uma boîte. Portugal foi o país escolhido por Adam Curry para a primeira saída da equipa de Count Down por ter o público mais participativo. Segundo o apresentador declarou ao semanário Sete, ‘enquanto da suécia ou da Noruega recebo uma média de 10 postais por dia com pedidos para a exibição de videoclips, quando se chega aos postais de Portugal a média sobe para 200 a 250’. (…). Sabe-se apenas que as gravações terão público português a assistir e que ‘se na altura estiver em Lisboa algum artista conhecido, contratamo-lo para ser entrevistado’, afirmou António Amaral Pais, responsável pela Europa TV no nosso país”.  
A pátria orgulhou nos píncaros mas culapou no couval. “Adam Curry adiou a sua vinda a Portugal para o dia 22 de agosto, informou a RTP. Estava previsto que Curry chegasse hoje, 23 de julho, a Lisboa para rodar algumas sequências do programa que diariamente apresenta, mas dificuldades de última hora obrigaram-no a adiar a visita ao nosso país. Assim, Adam Curry permanecerá em Portugal entre 22 e 25 de agosto onde, com a equipa responsável pelo programa, vai gravar alguns separadores da emissão”.

na aparelhagem stereo

Lily Allen: “para vender discos hoje em dia temos de fazer de puta. Faz parte do trabalho” [1]. Para a área comercial, um conselho precioso e universal, universalmente, na área criativa, desembaraçar-se da roupa [2], cantar ou tocar como se veio ao mundo [3], limita o trabalho do engenheiro de som ao único gesto de ligar o botão “on”, que as obras-primas saem cozidas como que de piano de Mozart [4]. Ilustração prática: toda a nudez é recompensada na banda japonesa SOD National Idol Unit, vestidas, “Let’s Get Fight”, seus dons são bons, pop rossianos, como uns Guarana Goal, despidas, são excelentes, as cordas vocais afinam, os instrumentos sincronizam, germina virtuosismo, “Let’s Get Fight[5].
Nos anos 80 [6], ninguém tinha de fazer de puta, na TV, os videoclipes estabeleciam boas reputações:
Rise to the Occasion” (1987), p/ Climie Fisher, duo formado pelo vocalista Simon Climie e Rob Fisher, ex-teclista da banda new wave, Naked Eyes: “Always Something There To Remind Me” (1982) ♪ “Fortune and Fame” (1983) – falecido a 25 de agosto de 1999 Boys & Girls” (1988), p/ Mandy Smith. Bill Wyman (52 anos), ex-baixista dos Rolling Stones, e Mandy Smith (18 anos) casaram-se em 2 de junho de 1989. “Supostamente, foi no Lyceum Ballroom de Londres, onde Wyman pôs pela primeira vez os olhos em Smith. Ela tinha 13 anos na época, Wyman tinha 47. Wyman disse que Smith fê-lo sentir como se tivesse sido ‘golpeado na cabeça com um martelo’”. Ele escreveu na sua autobiografia, “Stone Alone” (1990), “Ela tirou-me o fôlego… Ela era uma mulher aos 13 anos”. Numa entrevista ao Daily Mail em 2010, Mandy confessou que iniciou as relações sexuais com Wyman aos 14 anos. Divorciaram-se em maio de 1991. Em 2005, Mandy redescobriu a religião, que diz ter-lhe salvado a vida: “Deus é o único homem da minha vida agora”. “As coisas ficaram estranhas quando foi noticiado na primavera de 1993 que o filho mais velho de Wyman, Stephen, 31 anos, planeava casar-se com a mãe de Mandy, Patsy de 49 anos”. “O casamento deste casal teria durado dois anos, até ao seu divórcio em 1995” Toy Boy” (1987) ♪ “G.T.O.” (1987), p/ Sinitta. “Começou a gravar em 1983, lançando o seu primeiro single, ‘Break Me into Little Pieces’, com o grupo de dança Hot Gossip. Nesse mesmo ano, ela também apareceu no vídeo de ‘Rock the Boat’, cantado por Forrest. Continou a editar singles ao longo de 1984 e 1985, participando com ‘Imagination’, no Song for Europe, em 1984, o concurso da BBC para encontrar a canção para a EurovisãoMisfit” (1986), (c/ Andy Warhol, motejando o seu vídeo para “Subterranean Homesick Blues”, de Bob Dylan) ♪ “Down to Earth” (1986), p/ Curiosity Killed the Cat. “Eles apareceram do nada, como se tivessem sido transportados de um universo paralelo, no qual o blue-eyed soul (isto é, o rhythm & blues e a música soul tocados por brancos) fosse a salvação do rock ‘n’ roll no final dos anos 80. Grupos afins como Johnny Hates Jazz: “Shattered Dreams” (1988), Waterfront: “Cry” (1988), Living in a Box: “Living in a Box” (1987) e Curiosity Killed the Cat, todos, apareceram e ao mesmo tempo desapareceram. Dos quarto, Curiosity Killed the Cat inclinava-se mais para a população adolescente feminina que pendurava posters da Smash Hits nas paredes dos seus quartos[7].
Heart and Soul” (1987) ♪ “China in Your Hand” (1987), p/ T’Pau. “A banda formou-se em 1986, em Shropshire, tomando o nome de uma idosa de Vulcano, da série de ficção científica ‘Star Trek’. Antes de decidirem o seu nome, eles chamavam-se Talking America, nas maquetes iniciais enviadas para as gravadoras e editoras When Will I Be Famous” (1988), p/ Bros. “Era 1989, o ano em que os Bros estavam no seu melhor. O seu maior sucesso, ‘I Owe You Nothing’, chegou a n. º 1 e eles tocaram em Wembley. Mas os gémeos enfrentaram a morte da sua irmã mais nova, Carolyn, que foi atropelada aos 18 anos por um condutor bêbado. [Matt Goss]: ‘A dor era tão intensa, era tão difícil de lidar com o que estávamos a passar como uma família, e então o que tínhamos de fazer para ganhar a vida, sair em tournée como vedetas. O contraste baralhou-me a cabeça’. A banda perdeu o baixista Craig Logan. Ele processou por royalties não pagos. Dentro de dois anos os Bros tinham parado de tocar e o caos das suas finanças foi apresentado em tribunal aos olhos de todos. Eles venderam 16 milhões de discos mas acabaram com 500 000 libras de dívida”; em 2010, Matt Goss era o novo Frank Sinatra de Las Vegas. This Is the Right Time” (1989) ♪ “Never, Never Gonna Give You Up” (1997), p/ Lisa Stansfield. “Nascida (11 de abril 1966) em Manchester, Lancashire, a sua carreira começou em 1980, quando ela ganhou a competição musical, Search for a Star. Após aparecer em vários programas de televisão e lançar os seus primeiros singles, Stanfield, Ian Devaney e Andy Morris formaram os Blue Zone em 1984. A banda lançou vários singles e um álbum, mas depois do sucesso de ‘People Hold On’ em 1989, em que Stanfield se destacou, eles concentraram-se na carreira a solo dela” Wait” (1989), p/ Dr. Robert & Kim Mazelle. Dr. Robert, nascido Bruce Robert Howard, a 2 de maio 1961, em Haddinton, Escócia, é vocalista dos Blow Monkeys, formados em 1981, depois do retorno de Howard ao Reino Unido, após passar a adolescência na Austrália: “Digging Your Scene” (1986) ♪ “Wicked Ways” (1986) I Wanna Be a Cowboy (1986), p/ Boys Don't Cry (Lemmy intrepreta um cowboy badass no vídeo). “Ao contrário da crença popular, o nome Boys Don’t Cry, na verdade, não veio da canção / álbum com o mesmo nome, dos The Cure. Em vez disso, o nome tem as suas origens nalgumas letras sussurradas pelos conterrâneos 10cc no êxito ‘I’m Not in Love’ (especialmente, ‘be quiet… big boys don’t cry’). Contudo, a banda, evidentemente, estava completamente ciente (e talvez, divertida) da confusão à volta do seu nome, e até incluiram uma faixa bónus instrumental chamada ‘The Cure’ no seu segundo álbum como piada Criticize (1987), p/ Alexander O'Neal. “Teve a distinção de ser talvez o cantor mais límpido a sair da fábrica de produção dos anos 80 de Jimmy Jam e Terry Lewis, a Tabu RecordsRelax” (1984), p/ Frankie Goes To Hollywood. O nome do grupo deriva de um poster do Miguel Ângelo da pop art, Guy Peellaert, que Holly Johnson teria visto no The New Yorker Only in My Dreams” (1987) ♪ “Lost In Your Eyes (1989), p/ Debbie Gibson. “Ao longo dos anos, Gibson tem sido alvo de perseguidores. Robert Bardo, que foi condenado por assassinar a atriz Rebecca Schaeffer em 1989, tinha uma parede em sua casa decorada com fotos de Gibson e Tiffany. Em maio de 1998, Michael Falkner, um fã descontente de Eau Claire, Wisconsin, foi preso no exterior do Palace Theater, de Manhattan, onde Gibson atuava na adaptação musical da ‘Bela e o monstro’ da Disney. Isto aconteceu depois de Gibson ter recebido cartas ameaçadoras, emails e faxes de Falkner, que usava o pseudónimo de Starcade”.
I Think We're Alone Now” (1987) ♪ “All This Time” (1988) ♪ “Feels Like Love” (2007), p/ Tiffany. “Em 1981, Tiffany estreou-se com o cantor de música country Jack Reeves num local de country e western chamado Narod em Chino, Califórnia. No final, ela passou o chapéu entre a assitência e recolheu 235 dólares, no que seria o primeiro salário da sua carreira. (…). [Por volta de 1986], ela disputava com a sua colega Debbie Gibson por espaço nas capas de revistas para adolescentes, incluindo Tiger Beat, Bop e Teen Beat, assim como em programas da MTV. (…). Na edição de abril 2002 da Playboy, Tiffany apareceu nua. Ela admitiu que a sua incursão na Playboy foi ‘para deitar abaixo essas barreiras para que as pessoas podessem dizer, Ahhh, ela ainda é 14’” (que na Europa corresponde ao número 46) Dancing on the Ceiling” (1986), p/ Lionel Richie. “Nos últimos anos, Richie tornou-se um fenómeno em vários países árabes e atuou em Marrocos, Dubai, Qatar e Líbia. John Berman noticiou em 2006 para a ABC News que ‘homens adultos iraquianos ficam com os olhos embaciados pela simples menção do seu nome. ‘Eu adoro Lionel Richie’, dizem eles. Eles conseguem cantar uma canção inteira do Lionel Richie’. Berman escreveu que Richie disse que ele foi informado que civis iraquianos estavam a tocar ‘All Night Long’, na noite em que os tanques americanos invadiram Bagdade. Richie era contra a Guerra, mas disse que antevia um dia quando podesse vir e tocar em BagdadeWe've Got Tonight” (1983), p/ Kenny Rogers & Sheena Easton. A carreira de Rogers “começou em meados dos anos 50, quando ele gravou com um grupo de rockabilly chamado The Scholars, que teve algum sucesso com um single chamado ‘Poor Little Doggie’. Rogers não era o vocalista do grupo e após mais dois singles, separaram-se, quando o líder seguiu uma carreira a solo. Agora por sua conta, Kenneth Rogers (como ele era anunciado então) seguiu em frente com um single próprio, um sucesso menor chamado ‘That Crazy Feeling’ (1957)”. Sheena Easton, escocesa, nascida em Bellshill, debutou com o singleModern Girl” (1980) Faith” (1987) ♪ “Father Figure” (1987) (no vídeo Tania Harcourt-Cooze) ♪ “Freeek!” (2004), p/ George Michael. “Costumava dormir bastantes vezes com mulheres no tempo dos Wham!, mas nunca senti que poderia evoluir para um relacionamento, porque eu sabia que, emocionalmente, eu era gay. Eu não queria comprometer-me com elas mas era atraído por elas. Então, fiquei com vergonha de que poderia estar a usá-las” (2004). “A minha depressão no final dos Wham! foi porque eu estava a começar a perceber que era gay e não bisexual” (2009) Casablanca” (1982), p/ Bertie Higgins. “Que é de ascendência portuguesa, irlandesa e alemã e outrora se sustentava como mergulhador de esponjas, começou a carreira no mundo do espetáculo aos 12 anos como ventríloquo. Ganhou prémios em concursos locais de talentos e tornou-se um habitual em reuniões de escola ao redor de Tampa BayAlmost Paradise” (1984), p/ Mike Reno & Ann Wilson. Dueto do vocalista dos Loverboy e a vocalista dos Heart para a banda sonora de “Footloose” The Next Time I Fall” (1986), p/ Peter Cetera & Amy Grant. Dueto do baixista dos Chicago com a rainha da pop cristã. “Entre os elogios pelas suas contribuições para o género cristão contemporâneo, Grant também tem gerado controvérsia dentro da comunidade cristã, de ‘queixas que ela é demasiado mundana e demasiado sensual’ a uma ‘enxurrada de condenação’, após o seu divórcio e novo casamento”.
PS: o problema do excesso de produção. Escreveu da China, Phil King, baixista dos The Jesus And Mary Chain: “Grupos como The Jesus And Mary Chain (e Lush, onde eu anteriormente tocava), eram conhecidos na China, porque os fãs tinham-nos escutado em gravações piratas dos seus trabalhos. Até me foi dito por uma pessoa, que a etiqueta 4AD era popular, porque os seus produtos não vendidos eram enviados para a China para irem para a lixeira. Artistas chineses exigentes tinham vasculhado o lixo e foram seduzidos pelos álbuns dos Lush e outros lançamentos da 4AD, por causa das suas capas caraterísticas. Um destino melhor que as cópias de ‘Rudebox’, do Robbie Williams, que a EMI despachou para a China para serem trituradas e foram utilizadas para revestir as estradas chinesas”, na revista Uncut, n. º 183, agosto 2012.
Cloreto de polivinilo (policarbonato no caso do CD), de possíveis artistas 4AD, reciclado em óculos de sol ou vibradores ou mangueiras à venda nos xitolos europeus. Clan of Xymox: “Muscoviet Musquito” (1999). The Birthday Party: “Nick The Stripper”, do álbum “Prayers on Fire” (1981). Cocteau Twins: “Heaven or Las Vegas” (1990). This Mortal Coil: “Song to the Siren”, do álbum “It'll End in Tears” (1984). Belly: “Slow Dog” (1993), banda formada em 1991 pelos ex-membros dos Throwing Muses, Tanya Donelly (que também pertenceu aos The Breeders) e Fred Abong. The Breeders: “Happiness is a Warm Gun”, do CD “Pod” (1990). Throwing Muses: “Call Me” (1986). St. Vincent: “Chloe In the Afternoon”, do CD “Strange Mercy” (2011). The National: “Bloodbuzz Ohio”, do CD “High Violet” (2010). X-mal Deutschland: "Orient", do álbum “Fetisch” (1983) ♪ “Mondlicht”, do álbum “Tocsin” (1984).
___________________
[1] Lily Allen, 1,58 m, 52 kg, 91-63-89, sapatos 38 ½, olhos e cabelos castanho-escuro, nascida a 2 de maio de 1985 em Hammersmith, Londres. Aos 3 anos apareceu no episódio “The Yob” (1988), escrito e interpretado pelo pai, Keith Allen, para a série de TV “The Comic Strip Presents…” (1982-2012). Frequentou algumas das mais caras escolas inglesas, Hill House School, Millfield ou Bedales School, no total, foi expulsa de 13 por beber e fumar e aos 15 anos abandona o liceu. Aos 13 anos estreara-se no cinema como uma dama de companhia no filme “Elizabeth” (1998). Comida favorita: feijão, queijo e torradas.
The Fear” (2008): “And I'll take my clothes off and it will be shameless / 'Cause everyone knows that's how you get famous”: (“Lily Allen esteve ocupada competindo com a Lady GaGa em Glastonbury (2009) para ver quem vestia a indumentária mais indecorosa. A londrina subiu ao palco num fato de macaco com um revelador decote e peruca cor-de-rosa, enquanto a escandalosa americana mostrou ainda mais das suas nádegas do que o habitual num modelo que parecia ter sido inspirado numa bola de espelhos de discoteca. Mas a boa velha Lily ainda encontrou tempo para oferecer um tributo ao falecido Michael Jackson quando enfiou uma comprida luva branca na mão direita”). “Fuck You” (2009), “foi originalmente escrita sobre esse imbecil do caralho que costumava ser o presidente dos Estados Unidos da América. O seu nome é George W. Bush”, esclareceu Lily em São Paulo ♪ “22” (2009) ♪ “True Love” (2013) c/ a Pink ♪ “Hard Out Here” (2013): “I suppose I should tell you / What this bitch is thinking / You find me in the studio / And not in the kitchen”, o vídeo “mostra-a atuando junto de bailarinas com pouca roupa twerking e a certa altura ela, sugestivamente, come uma banana parodiando a forma como as mulheres são tratadas na promoção da música. (…). O seu vídeo surge no meio de preocupações acrescidas sobre a representação das mulheres nos vídeos musicais. Recentemente, Annie Lennox pediu uma classificação por grupos etários para os telediscos por causa do aumento de imagens sexuais, e Miley Cyrus causou um reboliço quando apareceu nua no vídeo de Wrecking Ball”.
Inapelável, Lily. Loira, “a mudança aconteceu sob conselho de Kate Moss e das mãos do cabeleireiro das celebridades James Brown, de acordo com fontes. Uma fonte interna revelou: Lily perguntava de que cor deveria pintar o cabelo e elas chegaram ao loiro” (abril 2008) No Hotel du Cap Eden-Roc na Riviera francesa (maio 2008) No i-D Magazine (verão 2009) Bronzeado tangerina (2009) “Yep, estou a beber novamente. Ontem à noite bebi o meu primeiro copo. De maneira nenhuma eu subo ao palco sem tomar uma bebida. Acho que fico mais engraçada quando emborco uns quantos. Não achei difícil parar de beber, nem sequer penso sobre isso. Realmente não tive necessidade de uma bebida, mas agora que estou em tournée, é divertido beber ocasionalmente. Mas algumas coisas mudaram. Não bebo qualquer zurrapa agora – desta vez, só vinho caro serve. Subi na escala” (janeiro 2009) “Uma vez beijei gémeas idênticas em San Diego. Eu estava no sofá e tive as duas. Estava a dançar e espetando o meu cu numa delas e uma na minha parte da frente. (…). Foi a única vez, mas tenho sonhos húmidos – sonhos lésbicos – um montão de vezes”, no Gay Times (fevereiro 2009), depois do namoro com o DJ Seb Chew e Ed Simons dos Chemical Brothers “Os pais devem dizer: As drogas podem parecer divertidas, mas elas fazem coisas esquisitas ao seu cérebro. Algumas pessoas reagem bem a isso, outras não. Experimenta e vê o que pensas. (…). Se não fosse famosa teria tomado bateladas [de ecstasy]. Não seria muito sensato agora. (…). Nunca fui muito boa com cocaína e drogas desse tipo. Fazem-me ficar com raiva de tudo. Evito a heroína ou o crack”, revista holandesa Revu, republicado pelo News Of The World (fevereiro 2009). “‘Telefonando aos meus advogados e tomando medidas legais, o News Of The World precisa de um melhor tradutor de holandês’, declarou ela via Twitter depois da publicação do artigo. ‘Como se eu fosse dizer uma coisa dessas. E eles sabem disso”, NME (fevereiro 2009) Enevoada pelo álcool entrou no quarto do DJ Felix da Housecat que tuítou: “# Lily acaba de invadir o meu quarto!!! Adoramo-la” # “Lily acaba de me dizer que se foda Felix da Housecat” # “Ela não vai lembrar-se de corno pela manhã… porque estava toda fodida” (março 2009) Saindo de Los Angeles com dois volumes de tabaco (março 2009).
“Lily Allen revelou que a sua crescente amizade com Lindsey Lohan está a chatear o pai desta. (…). Lily explicou: ‘Recebi um tuíte do pai dela dizendo # Querida Lily, penso que tens um problema com o álcool que precisa de ser enfrentado. De Michael Lohan. Eu fui, tipo, deixe-me em paz’” (março 2009) “A tournée europeia de Lily Allen rola no Melkweg em Amesterdão. A certa altura a asmática Lily deu uma bombada no seu inalador de salbutamol enquanto ofegava para respirar. A cantora teria sofrido dois ataques de asma no mês passado” (maio 2009) “Se o consumidor quer boa música, então tem que começar a pagar por ela. A indústria da música é gerida por um bando de idiotas do caralho, e se você estiver a dar menos dinheiro a essas pessoas, elas vão investir em bandas que não são muito boas. Quanto mais dinheiro houver na indústria da música, mais eles vão investir em bandas de qualidade. (…). Há pessoas realmente a lutar por fazer o seu caminho, estão a ser rejeitadas muito mais rapidamente, não lhes sendo dada a oportunidade de gravar segundos álbuns. Os únicos responsáveis são aqueles que estão a descarregar música ilegalmente, porque não há mais dinheiro que vá para as bandas”, NME (junho 2009) Lobista contra o download ilegal no seu desativado blogIt’s Not Alright, aprovada por outros artistas do mundo da canção: “‘Quero levantar a mão em apoio da Lily Allen’, escreveu James Blunt. Descrevendo Allen como ‘a nossa líder’, Blunt continuou: ‘Ela está a pedir para os músicos britânicos se galvanizarem por um crime grave: a morte de uma indústria da Grã-bretanha – o nosso negócio da música’” (setembro 2009) Escreveu ela no Twitter: “Alguém quer comprar um Breitling novinho em folha. É demasiado grande para mim. 3200 libras, comprei-o por 4440 euros, portanto terei prejuízo. Ao lado de um link para a foto do relógio, ela escreveu: ‘deus sou uma idiota’” (agosto 2009) Com a amiga Kate Moss em St. Tropez (agosto 2009) Na última noite do festival Sudoeste no palco TMN (agosto 2009) Na estação de rádio Key 103 Lily inverteu a marcha sobre o download ilegal: “Se alguém vier com uma cópia martelada do meu CD e vende-a por 4 libras, não tenho problema com isso, desde que a pessoa que compra atribua algum tipo de valor à minha música” (novembro 2009) Na campanha publicitária para a linha de malas e acessórios Coco Cocoon, assinada pela Chanel e desenhada por Karl Lagerfeld (2009) Em topless para William Baker (2010) De tetas ao léu no balcão (2010).
Em 2010, Lily interrompeu o seu negócio da música para abrir uma loja com a irmã, Lucy in Disguise, para vender ou alugar roupa vintage de marca. Primeiro em 10-13 King St, Covent Garden WC2E8HN, Londres, depois, para poupar na renda, mudaram-se para Soho 48 Lexington St, Londres W1FOLR. “O empenho de vestuário – concebido por Lily e a sua irmã Sarah Owen – foi forçado a fechar portas entre notícias de que vai para administração judicial, e ainda devendo milhares de libras a um dos principais fabricantes. Um porta-voz de Lucy in Disguise disse. ‘Tomámos a decisão de nos concentrarmos no nosso negócio online, que está a mostrar maior lucro e obviamente tem maior alcance e maior potencial de crescimento “Lily Allen revelou que foi abordada para entrar na “Guerra dos tronos”, mas recusou o papel porque envolvia uma cena incómoda com o seu irmão na vida real, Alfie Allen. Falando do tema, a cantora disse que os produtores da série de sucesso da HBO ofereceram-lhe um papel contracenado com Alfie, que interpreta Theon Greyjoy. O papel implicava ela representar a personagem da irmã de Theon, a guerreira Yara, que ele não via há anos. Contudo, Lily, de 29 anos, continuou explicando que a história envolvia uma cena de Theon a tentar seduzir a sua apartada irmã. ‘Senti-me desconfortável porque eu teria que ir a cavalo e ele teria que me apalpar e merdas’, disse Lily. ‘Depois de me dizerem o que implicava, eu disse, não obrigado’” (maio 2014) De biquíni preto e peruca loira no clube londrino G-A-Y (2014) (Se não for aldrabice nética) a sua carne-mijada num concerto na Alemanha (2014).
[2]It's Alright” (1996), p/ Groove Theory, “It’s a Dream” (2006), p/ East Clubbers, e desatarraxa o pote dos méis: “Hip Hop Honeys”, vídeo c/ Aliyah Yi, 1,52 m, 48 kg, 86-60-88, olhos castanhos, cabelo preto, n. 24 de agosto 1977, em Riverside, Califórnia, (faleceu, 20 de outubro 2012, em Venice, Califórnia) & Kai (t.c.c. Maya), que foi uma das vulgívagas no vídeo “P.I.M.P.” (2003), p/ 50 Cent, e uma das estroinas na Playboy Midsummer Nights Dream Party 2011.
[3]Are You Chained?”, p/ Delilah, (único papel de Jessica Mark), uma performer de topless e cantora de glam metal de Honolulu no filme “Angel of Destruction” (1994), real. Charles Philip Moore, produtor executivo Roger Corman, c/ Maria Ford, Charlie Spradling… “ЮРА, ПРОСТИ”, (“Jura perdoar”), p/ duo ucraniano NeAngely (НЕАНГЕЛЫ), composto por Olga Kuznetsova (Slava) e Yekaterina Smeyuha (Vika), (Vika aclarou a voz na Playboy ucraniana, março 2013). Comparativamente, como vídeo de controlo, “ТВОЯ” (“Tua”), prova uma diminuição na cristalinidade e equilíbrio das vozes causada pelos vestidos e pelos sapatos.
É um facto, daqueles que os pensadores conservadores enfatizam, que uma sueca vestida é um crime contra a humanidade. As irmãs Magdalena e Hannah Graaf, formam The Graaf Sisters: “Give It Up” (1998). Outro facto, as russas nascem nuas. Katya Sambuca (Катя Самбука), 1,70 m, 51 kg, 96-62-93, olhos verdes, cabelo loiro, n. 27 de agosto 1991, em S. Petersburgo: “В России Я” ♪ “Сказка”. Um contrafacto, a idade quer roupa: Thank You Very Much” (2013), p/ cantora polaca Margaret (Małgorzata Jamroży).
[4] Se a mulher for cientista não se nota a nudez na sua produção. Elizabeth Plimpton, (Judy Greer), física cosmológica de Princeton, ou, como lhe chama Penny, a dra. Coelhinha Porcalhona (“dr. Slut Bunny”): “Queres saber um segredo?”, Leonard (Johnny Galecki): “Quero”, Elizabeth: “Escrevi a parte sobre o efeito Wilson-Bappu completamente nua”, Leonard: “A sério? Não se nota ao ler”, Elizabeth: “Eu mostro-te. Ao considerarmos a luminosidade das estrelas variáveis pulsantes, começamos a ver uma possível explicação para algumas das discrepâncias encontradas na constante de Hubble”, na série de TV “A teoria do Big Bang” (2007-presente).
[5] SOD National Idol Unit (“Sofuto On Demando”), banda formada por atrizes que atuam, sem o lastro do lixo tóxico, no Cinema bom, (“Fã de ação de graças all you can cum um ídolo nacional”), são nove estas gestoras de excelência: Uta Kohaku, Maya Hodumi, Asami Nanase, Ayaka Tomoda, Aimi, Hibiki Ohtsuki, Sayaka Kazuki, Kotomi Asakura e Miho Akimoto → “Natal” ♪ mesmo separadas são amigas do acionista privado que até o Deutsche Bank chancelaria: “Love Spider”, p/ Akaya Tomada (artista da Milky Pop Generaton) ♪ Invitation”, p/ Kotomi Asakura, Uta Kohaku e Ayaka Tomoda.
Uta Kohaku, (vocalista), 1,67 m, 43 kg, 81-58-83, nascida a 14 de fevereiro de 1992 em Okinawa. Hobbies: anime, ver filmes. Talentos especiais: ballet clássico, dança, basquetebol e softball. Uta pediu em 2012 aos seus fãs para doarem esperma para o filme “Semen Colletion 2” e recebeu 100 garrafas em menos de 10 dias. Ela tuítou: “Sémen de todo o Japão começou a chegar. Tomarei conta dele como se fosse o meu próprio filho” # “O sémen dos meus fãs! Sugoiiiiii (espetacular!)” → “Gravure.comEx-Girl Friend’s Desperate Struggle” (2013) {blog} Maya Hodumi, 1,61 m, 85-64-90, olhos e cabelos castanhos, nascida a 24 de abril de 1989 em Tóquio. Hobbies: acessórios prateados e ler. Zona erógena: eu amo clítoris … vibrador. Posição favorita: cowgirl → “Eros 4” {blog} Asami Nanase, 1,68 m, 88-60-89, nascida a 5 de novembro de 1989 em Tóquio. Hobby: ler. Talento: piano RedTube Coalescência de emoçãoMenina do cabelo preto Ayaka Tomoda, (baterista), 1,60 m, 83-57-80, nascida a 14 de setembro de 1988 em Tóquio → “Moe Moe UniformBeautiful Ayaka TomodaYounger sister-in-law brought a friend” (c/ Ayumi) Japanese Feet Lovers” (c/ Miki Minase) {blog} Aimi (Aisin), nascida a 27 de maio de 1992 em Okayama Sayaka Kazuki, 1,56 m, 90-60-86 → “Pinku redi: Onna wa sore wo gaman dekinai” (2012) {blog} Kotomi Asakura, 1,58 m, 76-57-81, olhos e cabelos castanhos, nascida a 11 de março de 1987 na província de Kanagawa → “School Girl Kotomi Asakura Used on Train” {blog} Hibiki Ohtsuki, (teclas), 1,62 m, 52 kg, 88-57-85, olhos e cabelos castanhos, nascida a 21 de fevereiro em Otaru, Hokkaido. Hobbies: skate, snowboard, dormir, fazer compras. Talento especial: piano → “Curvy SchoolgirlKawaii Café Girls” (c/ Erika Kashiwagi, Ayumu Sena, Sena Minami, Tsukushi Sugina) {blog} Miho Akimoto, 1,68 m, 87-63-91.
[7] No século XXI, a adolescência troca os posters na parede do quarto por mamadas. O “mamading” deglutia nas férias em Espanha antes de ser esmagado pelo Estado noutro ataque às liberdades individuais depois da publicitação de um vídeo na net. “As imagens mostram uma jovem loira britânica despachando mais de 20 homens na pista de dança ao som de ‘Sexy and I Know It’, dos LMFAO. Em troca ganhava uma garrafa de Cava, que não vale mais do que 3 euros”, no nightclub Carnage. “Amigos da família revelaram que a profundamente religiosa família, eles são cristãos evangélicos, está a reunir-se em torno da moça de 18 anos, após a vergonha na internet. A adolescente de Co Armagh escondeu-se desde que foi filmada a realizar atos sexuais em 24 homens em Magaluf. O horrendo vídeo mostra a loira a realizar atos sexuais, em homens, quando eles estão na pista de dança. Aplaudida por uma multidão ébria, a adolescente é vista a incentivar os homens a baixar as calças, um após outro. Um amigo disse ao Mirror Irish que a família acredita que ela foi uma vítima, dizendo: ‘Ela é uma rapariga adorável, mas está à procura de curtição. Ela cometeu um erro terrível há umas semanas e foi totalmente perdoada. Toda a gente está devastada. Ela foi uma vítima, um alvo da maldade, da perversidade e, definitivamente, foi desencaminhada’”. A bem do liberalismo, contra a ingerência do Estado, cante-se à boca cheia: “Don't stop doin' what you're doin' / Everytime you move to the beat / It gets harder for me and you know it / Know it, know it”: “Don't Stop”, p/ australianos 5 Seconds of Summer.