Pratinho de Couratos

A espantosa vida quotidiana no Portugal moderno!

domingo, dezembro 27, 2009

Portugal 2010

Faça chuva! Faça sol! Neve! Orvalhe! Granize! Trambolhe o Gestor! o Governo! o Contribuinte! algo extraordinário, tão extraordinário como a entrada na Bolsa do templo Shaolin, está prestes a acontecer. As últimas doze badaladas retinirão “tlim-tlão” para um ano novo obviamente… português. Precatava o Dr. Salazar: “nunca houve uma boa dona de casa que não tivesse muito que fazer”. Este doméstico empenho nacional recompensará, na aurora da nova década, em mais-valias.
.
Moscas levarão bem alto, mais alto que um mastro de 100 metros, o nome de Portugal. Os feitos das suas gentes serão cantados pelos jipes. A “memória olfactiva” dos egrégios manará dos confins, fidelizando o orgulho no presente, ouvindo-se nos cybercafés, ambientados pelos Scum of the Earth, perfumosos encómios: “cheiras a Diogo Cão” ou “a marquesa de Alorna”. Como fortes indícios da retoma as casas de penhores fecharão e a primeira estação para uma cerveja no TGV abrirá. Os cartazes publicitários entrelaçar-se-ão para desenganar os que não vêm por bem para golfe e serviço de mesa. As mulheres de armas na tropa defenderão as fronteiras do turista sem cheta. As cândidas banhar-se-ão, lavadas sim para as páginas da Maxim. A lista de espera das coisas boas que arrimarão a Portugal, não agracia apenas o árduo trabalho, mas também o facto dos melhores vaticinadores possuírem CU (Cartão Único) português. Qualquer face culta pátria é maior que Kurt Gödel e Alan Turing juntos. Estes fundiram o tutano* para provar que não existe uma teoria matemática para tudo. Aqueles são a prova vivente de que há um teoria portuguesa para tudo.
----
* Ambos se suicidaram. Alan Turing, principal decifrador do código Enigma, inventor do computador, depois de um roubo na sua casa, admitiu uma relação homossexual com um dos assaltantes, acto sexual ilegal na Inglaterra, condenaram-no a prisão ou castração química. Dois anos de tratamento hormonal provocaram-lhe obesidade e depressão. Turing suicidou-se com uma maçã envenenada de cianeto tal como no seu filme favorito “Branca de Neve”. Kurt Gödel vivia no terror de ser envenenado, apenas aceitava comida da mulher Adele Nimbursky, quando ela adoeceu e foi hospitalizada, ele recusa comer e morreu de fome com 30 kg.
.
Um desses estranhíssimos renques de vaticínios germinou das casas projectadas por José Sócrates, engenheiro diplomado. Comentaristas posicionados no lado certo da Arquitectura desataram o molho do escárnio e maldizer. Botaram-se abalizadas sentenciúnculas sobre elas: atentados à paisagem conquistada por D. Afonso Henriques; sacrilégios nas fragas de Nossa Senhora; heresias ao espaço expandido pelo Infante D. Henrique; coisas feias a leste do gosto português treinado no estilo clássico greco-romano laivado de mourisco. Os empréstimos bancários para aquisição de casa em Portugal destinam-se a Taj Mahal e Frank Lloyd Wright e não a mamarrachos. O horizonte estético dos portugueses aninha-se na beleza em si, depois personalizada com bandeiras nacionais nos dias do futebol, azulejos, figuras de loiça e estendais. Gosto comparável ao dos soldados americanos que só vivem em palácios de Saddam* decorados com ginásio e estúdios de TV. Razão abarracava-se nesse novelo de críticas, pois os caixotes do Eugénio dos Santos para o marquês de Pombal, património municipal, são obviamente… diferentes das casas de Sócrates.
----
* Fotos de Richard Mosse.
.
Outro vaticinador, “smartportuguês” no segmento dos terminais de telecomunicações, é José da Silva Lopes. Ex-ministro das Finanças de Vasco Gonçalves e Nobre da Costa, sumidade na debelação de berbicachos, prescreveu para a “crise”: “acho que se deve congelar salários acima dos salários mínimos e reduzir os salários que estão cá em cima”. Dar cartas na cura da Economia é como andar de bicicleta, quando se aprende, nunca mais se esquece. Silva Lopes inova “numa lógica de”, menos dinheiro em circulação, expande a economia de um país. Um bom vaticínio de um homem com currículo. Ele poisou como presidente do Conselho de Administração do Montepio, onde auferia 410.249,21 €/mês, e por quatro anos de estafante trabalho temporário somou mais uma pensão de cerca de 4 mil.
.
Os valentes portugueses, de peito à intempérie, sorverão o seu cafezito nas esplanadas de 2010, circundados de mais-valias. Sendo formiguinhas trabalhadeiras e vaticinadores com olhão, acumulam outra mais-valia, vivem numa sociedade exclusivamente eclesiástica. E o Supremo Fã do Desporto Jesus velará pelo cumprimento do único propósito nacional o FUTEBOL. A vitória no Campeonato do Mundo é uma certeza. O espólio – taça, dinheiro, mulheres – virá para Portugal, numa batalha que nem aquecerá o Mister. Mas há mais-mais-valias. Em 2010 será esfregado o “frasco da gama”, versão local da lâmpada de Aladino, concedendo benesses, que catapultarão o optimismo, juncando o melhor ano de Portugal. Do boião largarão aviões vermelho-touro que sulcarão os capitais céus do país. Primeiro, a quermesse dos 100 anos da República, festarola da rija, um salsifré durante todo o ano, de classe, traje formal, como se o povo frequentasse um clube Playboy*, e nada de farturas, torrão de Alicante e tendas de frango assado. Segundo, a vinda do Papa, os jornais açucaram a boca para a hóstia, “Cavaco vai acompanhar toda a visita do Papa”, o acólito certo para lhe segurar o báculo e buzinar o papamóvel e, pelo ancestral desprendimento da Igreja, das coisas materiais, o “ministério das Finanças vai ser sacristia do Papa”, o homem certo, no lugar certo. E terceiro, os submarinos rasgarão o Tejo.
.
(* Playboy revista de muito bons artigos fundada em 1953. Artefacto fundamental de Hugh Hefner na Revolução Sexual dos anos 60, desvendando o mistério da mulher, em papel – a Playmate do mês decorava os cacifos – e em mais carne que osso, nos clubes.
.
O primeiro clube Playboy abriu dia 29 de Fevereiro de 1960, na rua E. Walton nº 116, na baixa de Chicago, com uma estremada instituição do entretenimento noctívago: as Bunnies. A brochura de inscrição oferece uma carreira glamorosa e ordenados de topo. Criteriosamente escolhidas. Meticulosamente treinadas. Têm o seu código de conduta no “The Playboy Club Bunny Manual” e cuidados especiais com a farfalhuda cauda. Algumas sobressaíram fora do horário nocturno, delas a apetecível Deborah Harry, vocalista dos Blondie. Ultrapassaram o proletariado pela esquerda “Bunnies of the World Unite!”. No filme "Purab Aur Pachhim" (1970) adornam intrincado argumento. Na série “Casei Com Uma Feiticeira”, as artes mágicas do tio Arthur de Samantha, transforma o coelho de Tabitha numa. Em “The Odd Couple” (1974) Felix (Tony Randall) disfarça as vergonhas da namorada Gloria (Janis Hansen), empregada num clube Playboy. No programa de variedades "Pink Lady & Jeff" (1980) intensificam a voz do patrão. Penny Marshall e Carrie Fisher vestem-se de coelhinhas, num episódio da série “Laverne & Shirley” (1982), servindo Hugh Hefner.
.
Em 64 inaugura-se uma filial do clube Playboy em Hollywood. Hugh Hefner é um fruto da ética protestante no novo mundo: investiu 600 dólares, oito anos depois, multiplicavam-se num império no valor de 20 milhões. Mas as feministas, por regra uns coiros, nunca engoliram a exposição de carne, embora sejam os (bons) ordenados que libertam a mulher. A jornalista Gloria Steinem, para uma reportagem publicada em 1963, infiltrou-se no meio das coelhinhas, sendo contratada pelo clube de Nova Iorque. Escreveu um relato menos atractivo do ambiente, perseguições de clientes, exames médicos compulsivos, pressões para acompanhar os VIP, que resultou no documentário “A Bunny’s Tale”, em 1985. Despindo o roupão de seda, Hugh Hefner e a filha Christie defenderam a imaculabilidade e o saudável entretenimento dos clubes, e a sua acomodação aos tempos com bunnies masculinos. O “queijo” mudou-se, isto é, o mercado deslocou-se, da apreciação das curvas femininas, para a lambarice de musculados corpos masculinos. Concursos dos desactualizados queijos perderam cliques. Não mais “carne saída da Playboy”, como Jayne Mansfield, no filme “Promises! Promises!” (1963). Em vão muitas outras enregelaram a epiderme nas sessões fotográficas. La Toya Jackson, o membro da família com cara de Michael, mas com (talvez) mamas e vagina, desvestia-se como peixe. E ainda Denise Richards 10 Drew Barrymore 10 a bomba búlgara Nikoleta Lazanova 10 Malina Rojel 10 Koa Marie Turner.
.
O acesso directo, a tecnologia de ponta, não sacodem o mercado do produto feminino, sobretudo desde que os gentlemen nem os loiros preferem, qualquer cor de cabelo ou carecas, marcha, o desemprego acossa as Cyber Girls da Playboy: Mariela Henderson 10 Kristen Lynn Gorano 10 Jenny Reid 10 Daniella Mugnolo 10 Addison Miller).
.
2010 odisseia no Portugal. Ano maravilha, contrapartida dos outros, que ficaram em águas de robalo. Retorno do investimento absoluto nos pastorinhos. Ano de frutuosos diálogos inter-partidários do sexo oposto. O português entre gajas nuas caminhará. Cessou a estafante tarefa de pôr-se a adivinhar tetas. Até os homens umas terão. Elas desvelar-se-ão nos desinteressados strips. O Sábado tautau reveza-se com o dia do Senhor. Num ano assim os portugueses tocar-se-ão.
.
A chuva dourada da felicidade cairá, aquietando o clima de tensão, desmoronando totalmente as instituições do vestuário: Kamilia Dupont 10 Aida Yespica 10 Nadia del Valle 10 Lory del Santo 10 Adele Jergens (strip no filme de Roger Corman “The Day the World Ended” (1956), para os sobreviventes da terceira guerra mundial) 10 Irán Eory (actriz nascida no Irão, nas “Historias de la Frivolidad” (1967), programa de Narciso Ibáñez Serrador, para a TV espanhola) 10 Jeanne Moreau e Brigitte Bardot (no filme “Viva Maria” (1965) de Louis Malle).
.
Cada português terá o “direito adquirido” a 77 virgens, seus nomes são: Katrin Kozy 10 April O'Neil 10 Teresa Moore 10 Ida Iveliz 10 Anna Benson 10 Bianca Beauchamp 10 Imogen Thomas 10 Kirsty 10 Victoria 10 Gisele 10 Vika 10 Lena 10 Camille10 Mona 10 Nicca 10 Conie 10 Rima 10 Eden e… mais 69, (dez não são virgens), que pediram anonimato, por biscatearem também no Paraíso muçulmano.
.
O primeiro ano do decénio deslizará, suave, lubrificado pelo 2 em 1, “óleo de massagem e lubrificante pessoal”, K-Y, e como dizem, ao enfiar-se num pulôver ou noutro gargalo apertado, o que custa é a cabeça, o resto é pescoço. Vaticina-se que será uma década portuguesa.

27 Comments:

  • At 5:44 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Escrever sobre a Lusitânia obriga ao uso de palavras como "abalizada", o advérbio "obviamente...", o advérbio de modo mais português de todos, que não existe nas outras línguas, como a "saudade", enfim, o trivial como diria o José Vilhena.

    O ano de 2010 será mais um ano português, tantas coisas boas sucederão, que os sacos do Corte Inglés não chegarão para levar tudo para casa. Algumas coisas ficarão mesmo na rua como o TGV ou a lagosta nossa de cada dia.

    Acredito piamente, bentamente, urbanamente, joãopaulomente, e todos os outros nomes dos Santos Padres, que as meninas que se despelam na Net e noutros meios de comunicação, incluídos peepshows e clubes de strip, são virgens.

     
  • At 6:46 da tarde, Blogger manuel said…

    A cândida de azul podia fazer carreira...

     
  • At 2:28 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Uma carreira de peso. Muito boa está a entrada em Bolsa do templo Shaolin em 2001 com grandes projectos de investimento. Portugal safava-se se metesse as suas igrejas (número infinito) na Bolsa.

     
  • At 2:52 da manhã, Blogger Humana said…

    Querido Táxi, depois de tudo isto só me resta desejar-te um Bom Ano de 2010!
    Beijinhos

     
  • At 8:04 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Ainda tenho dar uma volta pelos blogs para desejar um bom ano.

     
  • At 2:03 da tarde, Blogger manuel said…

    O salazalhães:


    http://jornalodiabo.blogs.sapo.pt/45792.html

     
  • At 4:49 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Ah! as mudanças de tecnologias provocam sempre comoção social e emotiva prosa. Enquanto hoje se afinfam ao computador, naquele tempo eu fui contra a retirada da ardósia do material escolar.

    Tal como hoje contestam o TGV eu, no tempo do Fontes Pereira de Mello, fui contra a introdução do comboio em Portugal.

     
  • At 8:36 da manhã, Blogger Rafeiro Perfumado said…

    Achas mesmo que alguma coisa vai mudar? Só se for a capa da Playboy, essa mensalmente vai variando um bocadinho.

    De qualquer forma, um feliz 2010 (e seguintes) e um grande abraço!

     
  • At 8:42 da manhã, Blogger Marco Rebelo said…

    muito obrigado. um fantástico ano para ti tambem :)

     
  • At 9:17 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Rafeiro Perfumado: para pior é expectável (gosto desta palavra bem portuguesa), pra melhor só com o Papa em Belém (de cá).

    A capa da Playboy nacional tem servido para confirmação do sucesso das operações plásticas das nossas mediáticas. Para ser franco nunca vi nenhuma.

     
  • At 9:20 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Marco Rebelo: tenho a impressão que neste ano vamos todos andar de canoa, ou catraio, que é mais pequeno, não há navios pra ninguém.

     
  • At 11:03 da manhã, Blogger Fernanda said…

    A imagem do teu texto é muito interessante, tenho que voltar para ler ...

    Trago-te aqui a minha resposta ao teu comentário lá no Rau.


    Só tu para me fazeres rir...
    Claro que o Barak vai cumprindo como pode. Eu também acho que ele, como todos os outros, prometeu o que já sabia impossível, mas...

    Lembrei-me agora da anedota dos três fulanos que se encontram um dia acidentalmente num jardim nos States. Um Australiano, o Bin Laden, e um Motard.
    Nisto tropeçam numa lâmpada e poof ...sai de lá o célebre mágico que lhes concede um só desejo a cada um.
    O Australiano que é agricultor, pede que as terras australianas sejam sempre férteis...desejo concedido, piece of cake.

    O Bin Laden, pede então que fosse construído um muro altíssimo e larguíssimo para proteger todas as terras islâmicas dos infiéis. Poof, desejo concedido.

    O Motard meio confuso, pede explicações sobre esse muro, especificamente se ele é completamente eficaz, se não há forma de alguém sair mesmo ou entrar, ao que lhe é respondido...não, impossível.
    Então ele formula o desejo dele " Encha tudo com água".

    Amigo, isto é só uma Joke...

    Beijihos e Bom Ano 2010!

     
  • At 11:25 da manhã, Blogger RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO said…

    Olá, Caríssimo!
    Deixo-lhe este poema e os meus sinceros votos de Feliz 2010, sempre com a esperança de dias melhores, em todos os planos*
    Obrigada por tudo. Você a diferença para mim em 2009. Continuemos.
    Beijos,
    Renata

    SEMPRE É TEMPO DE SER FELIZ
    Teu charme é luz que seduz
    Em sorrisos de plena alegria
    Tua beleza desfila a clara manhã
    De cintilantes majestades
    E as horas passam depressa
    Tão ligeiras tão saltitantes
    Qual suave vento do mar
    Dizendo que tua vida encanta
    Tua inteligência vibra e voa
    Pairando em desfiles de pura poesia
    Por onde passas por onde vives
    Deixarás saudades e lembranças
    Definitivas
    Sempre é tempo de ser feliz

     
  • At 8:50 da tarde, Blogger São said…

    Eu também sou...de signo, rrsss


    Um excelente 2010!

    Abraços.

     
  • At 10:52 da tarde, Blogger Mariazita said…

    Ao apresentar as despedidas do "velhote" e dar as boas vindas ao "bebé", não quero deixar de dizer uma coisa que tenho sentido ao longo dos tempos do nosso conhevimento mútuo...
    - Admiro a sua capacidade para 'construir' posts. A sério, é uma coisa que, sempre que aqui venho, e o leio, me espanta.

    Pois, meu amigo, que continue assim profícuo pelos anos mais próximos - e pelos mais longíncuos também.

    Um 2010 à maneira!

    Abraço
    Mariazita

     
  • At 12:12 da manhã, Blogger manuel said…

    Um bom ano Táxi! Boa sorte no amor e nos assuntos patrimoniais.

     
  • At 8:47 da manhã, Blogger xistosa - (josé torres) said…

    Para começar o ano, ou será para acabar?
    As artes de kung-fu, se bem aplicadas por nós, povo anónimo, seriam um sucesso para alguns e talvez um insucesso para outros, se bem que fosse sobrecarregar o sistema de saúde.
    Mas como dizia, ontem na Ant. 1, o presidente da não sei quê ou quantas Seguranças Rodoviárias, um eng. bem vestido e bem falante,

    "não foram contabilizadas as vítimas mortais que morreram"

    Isto demonstra a preocupação de todos os grandiloquentes abusadores da nossa paciência, para com a nossa saúde, mesmo para além da morte.

    Isto é para lhe agradecer os votos formulados e que o 2010 seja bem melhor do que este mísero que agora acaba.

    Já agora, cuidado com as grainhas das uvas passas. Salvo o devido respeito por elas, não se devem cuspir para o chão, mas sim para o ar até colarem no tecto.
    É um bom exercício físico para começar o ano, cheio de fôlego.

    INTÉ!!!

     
  • At 9:06 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Fernanda: acho que o presidente Báráque (aportugueso o nome porque ele é quase nosso) cumpriu bem. Aumentou o número de mortos no Paquistão (que Wbush tinha planeado e o fofo presidente cumpriu, 20 valores para ele). Um dos seus primeiros actos de poleiro foi chamar a Washington o mister 10%, que andava a fazer acordos de paz com os taliban, e dizer-lhe "no can't do" vamos mas é matá-los.

    Está a bombardear os evil ones no Iémen, mais 20 valores. Só não concordo com a subversão do Irão por dentro, preferia uma guerra à antiga, com bombardeamentos e tropas a avançar, mas tenho fé que ainda seja ordenada.

    Pena não ter havido acordo em Copenhaga, para ele não assinar, fica para a próxima.

     
  • At 9:12 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Renata Maria Parreira Cordeiro: que a felicidade desça como o pássaro azul da juventude ou doutras cores.

     
  • At 9:17 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    São: dizem que lavado fica como novo, por isso acredito na "donzelidade" de todas aquelas que meti o link (má escolha de verbo mas estou com pressa para pensar noutro) e dessoutras.

     
  • At 9:25 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Mariazita: a maior parte dos posts são chalaças para mostrar o ridículo das situações. E neste ano os portugueses estiveram particularmente ridículos.

    A procissão Sócrates deixa-me de boca aberta. As casas, como se os portugueses tivessem gosto requintado nas escolas de arquitectura. A licenciatura, como se nunca tivessem frequentado uma Universidade e não soubessem como se tira um curso, etc etc.

    Claro que os jornalistas têm um objectivo político e depois as pessoas emprenham pelos ouvidos e depois é o que se vê e lê.

     
  • At 9:28 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Manuel: bem que preciso de sorte. Tenho um azar do caraças nesses dois departamentos. Um azar que talvez o prof. Karamba cure mas I'm not a believer como os Monkees.

     
  • At 9:33 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    José Torres: ó diabo "vítimas mortais que morreram" isso é muito grave. Mais uma prova que este Governo não tem uma orientação correcta. As vítimas mortais morrem e o Sócrates não faz nada, ainda por cima fecha urgências e centro de saúde, uma vergonha.


    UM BOM ANO PARA TODOS

     
  • At 6:29 da tarde, Blogger o que me vier à real gana said…

    Táxi, A Conie é virgem?!... Quem diria!
    Como vão as coisas aí nas Seicheles?.. Cuidado com a subida as águas!
    Bem, para ti, família e amigos, desejo um 2010 cheinho de saúde e felicidade!
    Abraço

     
  • At 10:34 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    É de certeza, muitos testaram e confirmaram que yes...

     
  • At 3:03 da manhã, Blogger Lívia said…

    Só espero que as portuguesas não tenham direito a 79 tipos virgens. Eu abdico dos meus, obrigado.

     
  • At 9:07 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    ahahaha... creio que não. Nesse caso são experientes, musculados, loquazes cavalheiros. Com bigode ou sem, conforme o gosto.

     

Enviar um comentário

<< Home