Pratinho de Couratos

A espantosa vida quotidiana no Portugal moderno!

terça-feira, janeiro 20, 2009

Amor fora de horas

Spencer Elden possui o pirilau mais visto do planeta. Actualmente, Spencer tem 17 anos, é um all american boy, jogador de pólo aquático, snowboarder, surfista e fã de música
thecno, mas em 1991, com três meses de idade, seus pais, Renata e Rick Elden, a troco de 200 dólares, concordaram que o fotógrafo Kirk Weddler lhes retratasse o rebento boiando numa piscina. A Geffen Records encomendara a foto para a capa do CD “Nevermind” dos Nirvana. Nesses dias a “consciência pedófila” comichava no cérebro posterior das gentes de boas vontades e um pirralho nu acordava paixões. Na Walmart comprava-se, na boa, uma AK- 47, todavia uma escandaleira daquelas seria banida das prateleiras. Em Ventura, Califórnia, uma loja de discos exibia um ampliado poster promocional do CD, um polícia entrou e obrigou a colocação de um post-it no infantil “pai de todos”.
.
[
Curved Air – grupo inglês, equilibrado no muro de Humpty Dumpty entre o prog rock e o rock psicadélico, formado em 1969. Retiraram o nome da peça musical “A Rainbow in Curved Air” do compositor minimalista Terry Riley e foram uma das primeira bandas rock a servir-se do violino – “Melinda (More or Less)” ç “Propositions” ç “Back Street Luv” ç “Vivaldi” ç “Marie Antoinette” ç “It Happened Today” ç “Elfin Boy” ç no festival Isle of Wight.
.
Sonja Kristina – vocalista, e elemento constante nas várias transformações da banda, participou no elenco da versão teatral de “Hair” e cantou com os Strawbs no final dos anos 60. Prosseguiu uma carreira a solo, envolvendo-se no movimento “acid folk” londrino no início da década de 90, e recentemente integra, com Martin Ayres, o duo MASK – “Technopia” com a fantástica Mika Doll ç “Waves].
.
A “consciência pedófila” como todas as outras, a “ecológica”, a “política”, a “cívica”, a “parquímetra”, a “faixadegazística”, representa um enorme avanço no aprimoramento do Humano. No Estado da Geórgia, durante o liceu,
Wendy Whitaker, com 17 anos, foi apanhada fazendo um “trabalho assoprado” (blowjob) a um colega de 15. Numa idade e país em que os orifícios se confundem, em tribunal, deu-se como culpada de sodomia, consequentemente, foi condenada a 5 anos de pena suspensa e entrou na lista dos “ofendedores sexuais” (sex-offenders), que proíbe comprarem casa, ou trabalhar, a menos de 30 metros de escolas, igrejas, piscinas, ringues de patinagem, parques, paragens de autocarros escolares etc. etc. Em 2006, quase trintona, casada, mãe de uma filha adolescente, mede as distâncias entre os lugares interditos, antes de comprar casa em Harlem, Geórgia. Esqueceu-se da creche de uma igreja e foi despejada.
.
As gentes mais conscientes facilita o ingresso no rol de “ofendedores sexuais” asseando as sociedades. Sem saber copy nem paste uma pessoa
tomba nessa execrada categoria. Depois vão insultar o juiz, enquanto são empuxados para a pildra, porque o povo está cônscio. Já não papa grupos como nas perseguições dos séculos anteriores – as bruxas, os comunistas, os traficantes de droga – onde miríades de culpados escaparam ao justiceiro verdugo.
.
O azar de Wendy Whitaker não se limitou ao tempo – faltavam três meses para o lucky colega atingir o 16º aniversário que apagaria a criminalidade do acto – mas também no espaço. Noutros locais, o “trabalho assoprado” nem sequer é considerado sexo, por exemplo, na Sala Oval da Casa Branca. No reinado de Bill Clinton, o
vestido azul manchado de Monica Lewinsky levantou dúvidas, mas o imperador em exercício clarificou que na boca nada tem de sexual. Na América decente, na América evangélica, a boca é o órgão vital, aproxima do Senhor através da reza e afasta da clínica de aborto evitando gravidezes. Por isso, chocou que Bristol, na menoridade dos 17 anos, filha da temente Sarah Palin, olvidasse a ensinança da catequese e fosse all the way, emprenhando. Também Mary Key Letourneau se lixou quando percorreu “toda a via”.
.
Casada, com dois filhos e duas filhas, professora na Shorewood Elementary School em Burien, Estado de Washington, no Verão de 1996, inicia um tórrido romance com o seu aluno
Vili Fualaau. Ela tinha 34 anos, ele 13. Presa em 1997, acusada de “violação de criança” foi condenada a 89 meses de cadeia. Entretanto, nascera a primeira filha do ilegítimo casal. O tribunal reduz a pena para 6 meses de prisão efectiva e obrigação de frequentar um programa para curar “ofendedores sexuais”. Letourneau é libertada em Janeiro de 1998 por bom comportamento com a proibição de não se acercar de Fualaau. Contudo, no mês seguinte é caçada pela polícia com Fualaau num carro. De volta à cadeia pariu a segunda filha. Foi libertada em 2004 e casou com o ex-aluno.
.
Os conscientes cientistas afluíram à TV para
explicar que isto não é amor, logo diagnosticaram uma doença mental, daquelas que têm em cardápio para todas as situações, receando pelo futuro da família Fualaau como se fossem economistas.
.
O futuro refulge com o recente amadurecimento da consciência. O Homem contemporâneo equivale a decisões ajuizadas, ponderação nas escolhas, sensatez nas opiniões. O Homem moderno é um
Airbus A380 enchido de sabedoria. Já ninguém culpa os primeiros-ministros pelas condições adversas nos seus países. Já ninguém espera um santo encafuado na Besta para salvar o mundo. Todos “conscientes” da sua quota-parte de responsabilidade olearam as sociedades numas risonhas brincadeiras de crianças.
.
Mika, 6 anos, e a namorada Anna-Bell, 5 anos, naturais de Hanover, decidiram casar nas terras exóticas de África. Atafulharam as mochilas de roupas de Verão, brinquedos de peluche, alguma comida e convidaram Anna-Lena, 7 anos, irmã de Mika, para testemunhar a cerimónia. De madrugada abalaram para o tórrido sol africano enquanto os absortos pais dormiam. Palmilharam um quilómetro e apanharam um eléctrico até a estação ferroviária de Hanover. Frustrou-lhes o
plano um funcionário que estranhou estarem sozinhos e carregados de artigos estivais numa Alemanha tiritante de frio.
.
[O termo “psicadélico” foi cunhado pelo psiquiatra inglês
Humphrey Osmond, fornecedor da dose de mescalina a Aldous Huxley, em 1953, que facilitou a lavra de “The Doors of Perception”. Huxley escreveu-lhe propondo uma nova palavra: “para tornar sublime este mundo trivial, tome meio grama de phanerothyme” (phanero = visível + thymos = segundo Platão, uma parte da alma juntamente com o “Logos” e o “Eros”) e Osmond retorquiu-lhe: “para sondar o Inferno ou elevar-se angélico, tome apenas uma pitada de psychadelic” (psyche = mente + dellos = manifestar). A palavra desagua na cultura pop em 1964, na modificação de um verso de “Hesitation Blues”, pelos Holy Modal Rounders: “Got my psycho-delic feet, in my psycho-delic shoes, I believe lord and mama got the psycho-delic blues, tell me how long do I have tell to wait, or can I get you now, or must I hesitay-ay-ay-ate”. E a expressão “rock psicadélico” aparece pela primeira vez em 1965, num cartão dos 13th Floor Elevators, desenhado pelo artista das capas dos seus discos John Cleveland.
.
Na História do Rock Psicadélico, talvez, o lugar fundador seja ocupado pelos Holy Modal Rounders, um duo folk de Nova Iorque, dotado para a palhaçada, que inchou com outros recrutamentos como o baterista Sam Shepard, entre 1966-69, e que ainda mexilha nos dias de hoje, com a reforma de Steve Weber, e a actividade de Peter Stampfel – “If You Want to Be a Bird” ç “Boobs a Lot” ç “TV Song” ç “Low Down Dog” ç “Hey Oh!” ç “Flop-Eared Mule].

31 Comments:

  • At 5:42 da tarde, Blogger manuel said…

    "A “consciência pedófila” como todas as outras, a “ecológica”, a “política”, a “cívica”, a “parquímetra”, a “faixadegazística”, representa um enorme avanço no aprimoramento do Humano."

    Nada como a "tomada de consciência"!

     
  • At 5:52 da tarde, Blogger manuel said…

    O do "eros" está muito próximo da estética da editora "Private".

     
  • At 6:07 da tarde, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Depois da tomada da Bastilha , I think.

     
  • At 9:53 da tarde, Blogger stériuéré said…

    De todos , todos... só mesmo o Nevermind dos Nirvana ! DEMAIS! A tradição já não é o que era..... pois não?

     
  • At 12:10 da tarde, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Ó Nirvana, recordações de outra época. Tinha uma edição especial do CD, que era uma bolsa com água azul e as notas boiavam.

     
  • At 3:09 da tarde, Blogger philosophystrikesagain said…

    infelizmente,não peguei a época do Nirvana.de nenhum dos tipos de nirvana,nem os anos 60/70,época da psicodelia e das religiões alternativas advindas da Ásia quando eram moda aqui no ocidente.E também nunca li Aldous Huxley.Nem o Brave New World que tem aqui em casa,porém,devo fazê-lo um dia desses.E complicada essa situação da menina sex-offender.Se os jovens se informassem melhor...
    falei demais.até mais!

     
  • At 5:05 da tarde, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Isto já não com informação. Acho que está tudo doido. Até dizem que a madame Obi One veste bem e lança moda no USA e mundo, OMFG!

     
  • At 2:14 da manhã, Blogger o que me vier à real gana said…

    Boa noite, táxi... hoje bastante pluvioso!

    Eh pá, táxi, terá aquela k foi, k é, uma das minhas bandas favoritas contribuído para um dos ilícitos mais hediondos da nossa Sociedade?... Seja como for!...

    Então o rock psicadélico e o "Admirável Mundo Novo" são da família?! Interessante genealogia!

    Também quero uma dose... daquilo! eheheh já sei k é difícil... Nevermind!

     
  • At 11:47 da manhã, Blogger Táxi Pluvioso said…

    A capa foi censurada em certos meios. Admira-me como a não proibiram de vez.

    O problema é que a sociedade estupidificou. "Ver" crimes em todo o lado retirou o bom senso de circulação. Se calhar nunca existiu. Afinal, o povo gosta é de sangue.

     
  • At 5:41 da tarde, Blogger Carol Garcia said…

    POXA ACHO SUPER LEGAL ESSA RECORDAÇÕES SOBRE ELES :o

     
  • At 6:17 da tarde, Blogger dona tela said…

    Confesso que hoje já consegui ler metade. E aprendi muita coisa, pode crer.

    Muito boa tarde.

     
  • At 12:12 da manhã, Blogger Luís Correia said…

    Nirvana, tinham grandes músicas, pena terem acabado daquele jeito, enfim...

     
  • At 4:49 da manhã, Blogger xistosa - (josé torres) said…

    De música e por música, já sabe como sou.
    Só tenho dois tipos.
    É que sou um ser simples.
    Já nas mulheres é a mesma coisa.
    Só tenho dois tipos.
    As mortas e as vivas.
    Aqui, na música é a que gosto e a que não gosto.
    Sou muito redutor?
    Para quê inventar poleiros se a escadaria que nos conduz ao alto, está pejada de dejectos e abjectos?

    Por estas horas, impróprias para quem tem que comer um leitão assado, amanhã ao almoço, só me leva metade do paleio.
    Mas não queria deitar-me sem falar na pedofilia.
    Segundo diz o meu dicionário: Pedofilia - amor, dedicação ás crianças.
    Pedófilo - que gosta muito de crianças

    Por estas "dicas" e com estas definições, não sei o que se passa em Tribunal, com aqueles amigos todos, que nem se consegue saber bem de quantos e de quem eram amigos.
    outros até estão fora da jogada, como o Paulo pedroso, que eu tinha como amigo das crianças, mas pelos vistos não é.
    Gosta mas da sua "beleza" lésbica ...

    Por vezes ponho-me a pensar, sim, ... ainda penso e penso que, todos os da minha idade e perto dela, devemos andar todos de rabo, com duas letras, sendo a última um "u" e a primeira um "c" encostado ás paredes, pois "eles andem por aí".

    Deixei de "aturar" os netos duns vizinhos meus, pois como gosto de crianças ... não sei se a onda me enrolava também.

    Por sorte a AK-47, não fui ver, mas deve ser a arma mais robusta e com mais sucesso no mundo (depois da nossa G3, claro!!!) que tenho nos baixios, ainda deve navegar ou voar, conforme a situação ...

    Mas então, voltemos ao assunto.
    São horas de fechar o tasco e ir-me ... (não me enganei) vou mesmo.
    Vou prometer voltar.
    Mas tenho mesmo que o fazer ...
    Já agora um obrigado pela encomenda escrita que me enviou.
    Fez cá um furor, que até tive direito a uns convites ...

    Como as luzes da ribalta são tão poderosas.
    Vou voltar.
    Um abração.

     
  • At 9:51 da tarde, Blogger manuel said…

    http://undeadfilmcritic.blogspot.com/2009/01/laila-abid-busty-news-anchor.html

    Boas razões para se ver o telejornal.

     
  • At 1:57 da manhã, Blogger xistosa - (josé torres) said…

    A esta hora falta-me o comprimido.
    Sou fraco em nomes de remédios, mas desconfio que é o JB15 não sei quê.
    E ainda bem, porque os (a)casos que aborta, desculpe, aborda, quer da Whitaker, quer o da professora, Mary Letourneau que nos põem a assoprar, apeasr de não haver as calças azuis manchadas.
    Ou foi um vestido? Talvez!
    Daí os insultos ao juiz, num apís de justiça exemplar para que não merdem, digo, medrem, os maus exemplos, que para muitos são divinais.
    Mas a mente humana é preversa nalgumas latitudes, ou longitudes, depende, penso eu, do "tratamento".

    Coitados dos miúdos que não conseguiram fugir prá frente e com tanto skate, foram meter-se "nu" eléctrico, ou pior, nas mãos do dito cujo.

    São estes pequenos prazeres ... "Amores fora de horas" (mas há horas?) que vão enchendo notícias de nadas, mas que acontecem.

    Vou parar no "psicadélico", tal como o techno, vão apara além da minha massa cinzenta.

    Posso não gostar ... como não gosto duma cabidela, seja ela feita com que bicho for, quanto mais levar pancadas nos ouvidos e cabeça a um ritmo que nem os antigos torcionários atingiam.

    Agora vou de férias.
    Aprendi a nadar quando era puto.
    Como vou para a beira dum precipício, não sei quando volto.

    Mas pelo sim, pelo não, ATÉ JÁ!!!

     
  • At 3:29 da manhã, Blogger manuel said…

    http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?contentid=87322353-DB2C-4F40-95F7-9B93766B1110&channelid=00000010-0000-0000-0000-000000000010

     
  • At 1:57 da tarde, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Carol Garcia: estive desligado da Net nestes dias. As respostas vão atrasadas. Você deve estar-se a referi aos Nirvana. Um dia tenho fazer um post com a música de Seattle.

    Dona Tela: já fico satisfeito com isso. Não foi tempo perdido a escrever ou a ler.

    Luís Correia: é verdade. Acabou mal.

     
  • At 2:07 da tarde, Blogger Táxi Pluvioso said…

    José Torres: bem, nas mulheres também tenho duas categorias. As que ficam e as que partem com os outros.

    Ter muitos amigos só atrapalha. Em criança, ou em adulto. Ter uns inimigos até é bom pelo desafio. A pedofilia tornou-se numa grande mascarada porque perdeu-se o bom senso e os advogados criaram mais uma fonte de rendimentos.

    AK-47 é a arma da revolução. A melhor invenção do século XX.

     
  • At 2:09 da tarde, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Manuel: a nossa Moura Guedes também fica assim no Verão.

    As pensões baixas dá nisto. Crime geriático.

     
  • At 2:14 da tarde, Blogger Táxi Pluvioso said…

    José Torres: tenho que falar um dia da música techno. Será preciso dar uma volta pela filosofia, mas se conseguir tornar as coisas simples, publico.

     
  • At 6:35 da tarde, Blogger Armando Rocheteau said…

    É sempre com prazer que te leio, seguindo as incursões musicais, e ainda tenho o privilégio de te ouvir nas conversas dos jantares. 2009 promete!

     
  • At 10:08 da tarde, Blogger Carla said…

    és uma verdadeira agência noticiosa cheia de diversidade e qualidade na informação que transmite
    beijos e bom fds

     
  • At 1:24 da tarde, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Armando: à pala dos jantares fiquei com a escrita atrasada.

    Carla: a última história, dos catraios que iam para África casar, é muito boa. A ideia deles, que aquilo é só calor e praia, é a dos adultos: África é boa para férias.

     
  • At 3:25 da tarde, Blogger Rafeiro Perfumado said…

    O que eu ando a "perder", é que para pirilau mais visto do mundo eu não lhe meti os olhos (nem outra coisa) em cima, e assim pretendo continuar!

    Abraço!

     
  • At 3:31 da tarde, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Todos viram a capa do CD Nevermind, mas à volta da Cidade Universitária, também costumava surgir uns competidores deste desejado título. Se as universitárias não fechassem os olhos talvez o recorde ficasse em Portugal.

     
  • At 2:50 da manhã, Blogger o que me vier à real gana said…

    Táxi, torna-te mais árido agora, pá!... Tb já é chuva a mais! Invo pr'á í um anticiclone...se o dos Açores não quiser, pode ser mesmo o da República Checa. Tá?

    Abraço

     
  • At 2:24 da tarde, Blogger Táxi Pluvioso said…

    Acho que o anticiclone pregou-me cá uma preguiça que não há maneira de atacar as teclas do próximo post oh god!

     
  • At 1:47 da manhã, Blogger CRMV said…

    Neste novo caso, não havia mesmo amor :(

    não foi em casa, foi mesmo na rua:

    Queimada pelo namorado com o ácido sulfúrico.

    Que deveria acontecer a alguém que faz algo assim???!?

     
  • At 2:44 da manhã, Blogger xistosa - (josé torres) said…

    Então esse pãozinho quente que está no forno, quando é que sai?

    Por vezes falha-se por faltas, outras por excesso.
    Que vida tão incongruente.

    INTÉ!!!

     
  • At 2:09 da tarde, Blogger Táxi Pluvioso said…

    CRMV: tenho que ler e comentar esse post quando tiver oportunidade.

    José Torres: é verdade que estou atrasado na escrita. Nem posso culpar o frio. Uma série de acontecimentos simultâneos provocaram esta paragem. Espero tê-lo acabado no fim-de-semana.

     
  • At 1:24 da tarde, Blogger São said…

    Sem, infelizmente, tempo para o ler, lhe desejo bom fim de semana.

     

Enviar um comentário

<< Home